Inércia sentimental

terça-feira, 29 de dezembro de 2015


E quando se encontraram tudo foi estranho, vontade de dizer “eu te amo” e na verdade surgiu um simples comprimento, os braços ficaram largos  mas não existia coragem para um abraço, tanta vergonha substituiu o desejo, até que o sentimento não suportou e rompeu o silêncio:
- Esperei tanto por esse momento, já não era hora, não há como abraçar por cartas e emails..
Ela ruborizou, tantas juras de amor ditas em palavras, jamais ouvidas pertinho do ouvido, apenas dançavam no papel amarelo das cartas ou brilhavam e viajavam pelos emails, e agora ela sentia que podia dize-las a qualquer momento, bastava ele clicar no botão iniciar.
Abraçou-o com mais força, sentiu seu cheiro- sempre fantasiou seu cheiro e sua temperatura, tão melhores agora sentindo-
- Eu poderia ficar abraçada com você aqui a tarde toda e não me cansaria.
Medo, dor, saudade antes mesmo de partir...Amor dava os primeiros sinais que encontrou uma vaga no estacionamento daquele coração, e pretendia ficar lá por tempo permanente...
Ele abaixou o rosto, esbarrou os lábios no caminho do pequeno pescoço, encontrou a orelha e disse:
-  Eu poderia fazer qualquer coisa e não me cansaria, desde que fosse com você.
Arrepios, sorrisos, mãos suando, a vaga do estacionamento estava sendo preenchida...Calma coração, fecha o buraco, agüenta o tranco, não se acorrenta sabendo que vai perder a chave do cadeado!
Mordeu os lábios, o filha da puta mordeu os lábios, e que lábios lindos! Não me olha assim, não faz essa carinha de quem faz juras de amor enquanto pratica-o, não olha pra minha boca como se fosse devorá-la, vai com calma, a carne é fraca.
- Está frio aqui, não? Idiota! Ele ta mordendo o lábio, a ultima coisa que ele está sentindo é frio.
- Coloca a mão por baixo da minha blusa, nas costas, isso, assim, ainda sente frio?
Calma coração, é só um gesto de caridade, ele está só esquentando as minhas mãos, nada sexual, só esquentando as minhas mãos, epa, bate nesse carro, pô coração, não deixa ele estacionar!
- Seu sorriso é lindo..
Vai com calma querido, não me olha assim, não faz essa cara de quem traz café da manhã pro seu amor na cama, não respira, não esquenta, não deixa minhas mãos sentirem tua pele macia, gostosa, não permita que minhas mãos sejam o imã e você a geladeira, algum guarda tira o carro desse estacionamento proibido!
- Teus olhinhos de gato, puxadinhos no final, indicando outro caminho, que eu quero passear por ele.
Perdi! Eu perdi a luta, ele estacionou, nem com multa sai dali, ele é uma espécie de carro forte que estaciona em local proibido e não se importa que o guarda de trânsito apareça para multá-lo, ele fica bem, mesmo estando sozinho nesse estacionamento. É, acho que tem uma vaga livre pra moto no estacionamento dele..Quem sabe a minha velha bicicleta, que tanto apanhou na vida possa ficar quietinha um tempo por lá...

0 comentários:

Postar um comentário

 
© Uma dose de Cacto - janeiro/2016. Todos os direitos reservados.
Criado por: Dear Maidy. Tecnologia do Blogger.
imagem-logo