SOBRE: Como eu era antes de você

terça-feira, 23 de fevereiro de 2016



"Aos 26 anos, Louisa Clark não tem muitas ambições. Ela mora com os pais, a irmã mãe solteira, o sobrinho pequeno e um avô que precisa de cuidados constantes desde que sofreu um derrame. Sua vidinha ainda inclui o trabalho como garçonete num café de sua pequena cidade - um emprego que não paga muito, mas ajuda com as despesas - e o namoro com Patrick, um triatleta que não parece muito interessado nela. Não que ela se importe.
Quando o café fecha as portas, Lou é obrigada a procurar outro emprego. Sem muitas qualificações, consegue trabalho como cuidadora de um tetraplégico. Will Traynor tem 35 anos, é inteligente, rico e mal-humorado. Preso a uma cadeira de rodas depois de ter sido atropelado por uma moto, o antes ativo e esportivo Will agora desconta toda a sua amargura em quem estiver por perto. Sua vida parece sem sentido e dolorosa demais para ser levada adiante. Obstinado, ele planeja com cuidado uma forma de acabar com esse sofrimento. Só não esperava que Lou aparecesse e se empenhasse tanto para convencê-lo do contrário.
Uma comovente história sobre amor e família, Como eu era antes de você mostra, acima de tudo, a coragem e o esforço necessários para retomar a vida quando tudo parece acabado."



Se você espera uma resenha detalhada, desculpe, essa resenha vai ser pessoal, TEM de ser pessoal, os sentimentos que esse livro despertam vão muito além de um virar de páginas.
 Não tenho palavras suficientes para explicarem o quanto esse livro me marcou. Li fazem alguns anos, sem pretexto algum, esperando um romance bobo para passar o tempo...Acontece que mordi a língua e a história toda me consumiu, odiei e amei Will tantas vezes que perdi as contas, me senti a melhor amiga de Lou, e acima de tudo, amadureci como pessoa.
 A primeira impressão que temos, é que o livro é bobo, um pequeno passatempo, lemos na curiosidade absurda de saber qual a próxima piada de Lou, que apesar de tantas dificuldades na vida, nunca deixou de sorrir. Lemos na esperança do gelo que habita o peito de Will derreta logo, lemos rezando baixinho, torcendo pro romance acontecer. E sabe como terminamos? Nos importando com a dor da pessoa ao nosso lado, pensando no quanto pedimos e no quão pouco agradecemos. Will nos mostra que ninguém é capaz de entender nossa dor a não ser nós mesmos, e Lou nos mostra o quanto a vida pode SIM ser bela. Chorei por uma semana pensando nas questões que esse livro aborda, amor, esperança, fim, vida, interesses, chorei porque a partir dele, vi que peco como ser humano, e a partir dele busco ser melhor.

Esse ano sai o filme, e se você não acreditou em nada do que eu disse, veja o trailer e tire por si suas próprias conclusões:




0 comentários:

Postar um comentário

 
© Uma dose de Cacto - janeiro/2016. Todos os direitos reservados.
Criado por: Dear Maidy. Tecnologia do Blogger.
imagem-logo