Resenha: Redoma de vidro, Sylvia Plath

quarta-feira, 11 de janeiro de 2017
Titulo: Redoma de vidro
Autora: Sylvia Plath
Editora: Biblioteca azul
Sinopse: "Dos subúrbios de Boston para uma prestigiosa universidade para moças. Do campus para um estágio em Nova York. O mundo parecia estar se abrindo para Esther Greenwood, entre o trabalho na redação de uma revista feminina e uma intensa vida social. No entanto, um verão aparentemente promissor é o gatilho da crise que levaria a jovem do glamour da Madison Avenue a uma clinica psiquiátrica.
 Lançado semanas antes da morte da poeta, o livro é repleto de referências autobiográficas. A narrativa é inspirada nos acontecimentos do verão de 1952, quando Sylvia Plath tentou o suicídio e foi internada em uma clínica psiquiátrica. A obra foi publicada na Inglaterra sob o pseudônimo Victoria Lucas, para preservar as pessoas que inspiraram seus personagens. Sutilmente, a autora apresenta ao leitor o ponto de vista de quem vivencia o colapso. Esther tem uma visão muito crítica, às vezes ácida, da sociedade e de si mesma, mas aos poucos a indiferença se instaura, distanciando a moça do mundo à sua volta. Me sentia muito calma e muito vazia, do jeito que o olho de um tornado deve se sentir, movendo-se pacatamente em meio ao turbilhão que o rodeia."




Acho que não houve maneira melhor de finalizar as leituras de 2016, definitivamente Redoma de vidro se tornou um dos livros da minha vida, onde autora e obra se unem nesse emaranhado de sentimentos e situações e quando dei por mim, também estava imersa, de todas as maneiras possíveis.
 O livro conta a vida de Esther Greenwood, uma jovem muito aplicada aos estudos, que sempre teve boas notas e nunca deu problema aos seus pais. Com uma inteligência notável, ela ganha uma vaga de estágio em uma reconhecida revista feminina, isso é claro, deveria ser motivo para felicidade, mas com Esther a coisa não funciona assim...
 Para que possamos entender o livro, é preciso saber que a obra tem cunho autobiográfico, Sylvia se matou pouco depois da publicação e é visível como a personagem tem tanto da autora, desde sentimentos até a maneira de agir.
 Ao terminar o estágio a garota volta para a sua pequena cidadezinha e é onde a coisa de fato começa a desandar, em todos os sentidos possíveis, a todo o momento ela pensa em suicídio, maneiras de morrer, motivos para não viver, essa infelicidade é sufocadora em alguns momentos, e reconfortante em outros. Ao voltar para seu lar é onde Esther tem o seu primeiro surto e logo em seguida é internada em uma clínica para tratamento psiquiátrico, a partir daí, a vida toda da personagem vai ter sempre o mesmo fundo, hospitais psiquiátricos. Ver a realidade desses pacientes através dos olhos da jovem é como se estivessemos presos naquilo tudo, seja para levar os dolorosos tratamentos de choque, ou para concluir que nós somos a nossa própria prisão.

Se você sofre de problemas psicológicos, recomendo que não o leia, ou que esteja bem o suficiente para encarar os obstáculos juntos com a personagem, eu vi a minha vida nas mãos de Esther em muitos momentos, senti que ela era uma amiga que entendia completamente porque eu não tinha amigos, porque era indiferente com as coisas que aconteciam ao meu redor, e porque o sofrimento interno me afogava tantas vezes. Foram pouquíssimas as situações em que me apaixonei por um autor após ler apenas UMA de suas obras, mas foi isso que aconteceu em Redoma de Vidro, o livro é atual, lembro-me de como me assustei ao ler o primeiro capítulo e pensar "Caramba, parece que isso foi escrito ontem" de tão cativante que é a escrita de Sylvia. Me lembro também do pesar que sentir, ao ver que eu me identificava com uma personagem problemática, e que convenhamos, ninguém quer estar na pele de uma suicida. 
 Esse livro fala sobre quão graves doenças psicológicas podem ser, como se tornam pequenos monstrinhos dentro de nossa mente e que nem mesmo seres geniais como Sylvia Plath foram capazes de vencer seus próprios demônios.







26 comentários:

Nay Sartor disse...

Oie! Tudo bem? Olha só pelo fato de você ter citado que ele é bem psicológico eu não realizaria a leitura dele nesse momento, mas gostei de ver que conseguimos nos conectar com a personagem de uma forma que ela se torna nossa melhor amiga e nos entende nos momentos em que estamos passando! Vou anotar o nome dele, para futuramente realizar a leitura!
Bjss

Paty Souza disse...

Nossa, é forte esse enredo hein, e você tem razão, pra ler livros com essa temática, é preciso estar preparado, não é pra qualquer um.
Preciso ler pra conferir essa mesclagem de autora e personagem, fiquei bem curiosa pra conferir esses sentimentos retratados e tentar entender o que se passava na cabeça dela.

Beijos e até mais.
Leituras da Paty

F disse...

Olá
Adorei poder conferir suas impressões a respeito desse livro. É um título que já esta na minha lista de desejados, porque só leio comentários bem intrigantes a respeito de o quão forte o enredo é, assim como na sua resenha mostra isso, que me deixou ainda mais motivada e instigada para conhecer essa trama. Acho que irei curtir a leitura sim!
Beijos, Fer
www.segredosemlivros.com

Manoel Alves disse...

Olá
Eu ainda não tinha ouvido falar de sele livro, mas também leva em consideração o fato deu não estar tão ligado nos lançamentos dessa editora kkj. Adorei a capa e parece ser um livro bem intenso. Seu aviso pedido para quem tenha problemas psicológicos não lerem me deixou um pouco assustado kk. Enfim, fico feliz que tenha sido uma leitura muito boa para esse fim de ano! Até mais ver
Bjs

Camila Moraes disse...

Uau!
Muito bom quando uma leitura nos encanta e muitas vezes temos dificuldades em colocar em palavras pra que todo mundo sinta aquilo que sentimos ao lê-la.
Adorei sua resenha e aguçou muito minha curiosidade para conhecer a obra e mais sobre o autor que até então não conhecia.
Obrigada pela dica!
Beijos!

https://bookobsessionresenhas.blogspot.com.br/

Amanda disse...

Oi, tudo bem?
Vi muitas pessoas falando de Redoma de Vidro e elogiando a obra, mas confesso que não tinha parado para ler nem mesmo a sinopse da história. Me surpreendi ao descobrir do que se tratava em sua resenha e confesso que agora fiquei bastante interessada, especialmente porque a autora cometeu suicídio depois de ter escrito o livro, sendo que o próprio fala sobre isso. Me parece mesmo ser uma leitura bem pesada, mas é um tema que me agrada bastante na literatura então gostaria de conhecer a história, especialmente porque a autora colocou bastante de si no livro. Adorei a sua resenha.

Beijos! ♥

Ju disse...

Que bom saber que esse livro te agradou tanto assim, porque faz tempo que tenho vontade de ler. Claro que a vontade está bem maior depois da sua resenha, me parece uma leitura fascinante. Gosto muito de livros que tratam de doenças psicológicas, porque infelizmente até hoje tem gente que não entende como são graves e traiçoeiras, e adorei saber que a escrita da autora é cativante.

Diane disse...

Oie...
Adorei sua resenha!
Sempre tive vontade de ler essa famosa obra, mas, infelizmente ainda não tive oportunidade.
Gosto de livros que tem essa pegada mais psicológica, mas, ultimamente ando dando preferência para leituras mais leves, logo, não realizaria a leitura no momento.
Beijos

Ivi Campos disse...

Ultimamente tenho ouvido falar bastante da Sylvia Plath e a cada nova indicação, a minha curiosidade aumenta. Achei ótimos os quotes que você compartilhou e tenho vontade de conhecer a escrita completa dela, mas não sei se estou em um bom momento par uma livro tão perturbador.
Amei a dica
MEU AMOR PELOS LIVROS
Beijos

Tony Ferr disse...

Olá!

Eu tenho um livro dela, mas não li, porém pesquisei sobre ela. Foi uma pessoa bastante complicada e depressiva, infelizmente teve um fim trágico. Sua resenha ficou excelente, mas sei lá, dá um sentimento ruim saber que esse foi o último escrito dela, para poder se matar.

Abraços

Bruna Costabeber disse...

Olá!
Só de ler sua resenha já fiquei toda arrepiada.
Gostei muito de conhecer a obra e suas impressões e meu coração ficou na mão por saber que a Sylvia cometeu suicídio após escrever esse livro. É horrível sofrer de depressão, já conheci pessoas que passaram por isso e, só de lembrar, dá um aperto no coração, pois essa doença está enraizada.
Fiquei bem curiosa para conhecer a trama, mas preciso pôr a mente no lugar antes.
Beijos,
Um Oceano de Histórias

Janiele Silva disse...

Oieee, Apesar de já ter ouvido muitos elogios a obra ainda não a li, mas ano novo, lista nova, espero poder ler com certeza!!!

Bjs

http://www.leituraentreamigas.com.br/

Thiana Santana disse...

Olá,
Fiquei com muita vontade de ler esse livro. Não conhecia da Sylvia, mas agora fui procurar algumas coisas referentes a ela e chocada com a idade em que se suicidou, 30 anos apenas.
Não sei se tenho um psicológico preparado para esse livro, principalmente já sabendo que em parte algumas coisas foram reais na vida da autora.
Pelos trechos a narrativa parece bem fluida, o que pode complicar na hora de parar um pouco para assimilar tudo.

Bjs,
Garotas de Papel

Gabrielly Marques disse...

A Sylvia tratou de um assunto tão pesado, tão difícil, de uma forma tão envolvente e com uma personagem tão cativante que foi impossível não gostar do livro e não envolver com a Esther. Eu li o livro em uma época bem difícil da minha vida, e já enfrentei momentos bem parecidos com o da protagonista, então o livro me marcou de uma maneira bem única. Concordo com você que ele pode ter alguns gatilhos para quem tem problemas psicológicos ou estão em alguma crise, pois não é uma narrativa muito positiva. Quero muito ler outras coisas da autora, seus poemas. Sua resenha ficou ótima!! Adorei <3
Beijoos

Brooke S. disse...

Nossa, essa é uma obra que é trata de uma realidade muito forte e eu tenho quase certeza que não leria. Gosto de ler obras com temas fortes, mas por algum motivo esse não me conquistou. Acho que saber que a autora colocou um pouco de si na personagem e que se matou depois de escrever me fez sentir algo tão pesado que mesmo com uma lição importante de vida e proporcionando um aprendizado eu não seria capaz de ler. Fico feliz por você ter encontrado uma obra que pode se identificar tanto, mas passarei a dica!
Um beijo
www.brookebells.com

Vivianne Sophie disse...

Olá,

Não conhecia o livro, mas achei a temática bem forte e interessante. Fiquei curiosa por esses desafios que a protagonista enfrenta e como tem essa pagada psicológica no livro, isso com certeza deve nos afetar. Quero muito saber mais do enredo e ficar por dentro das lições e reflexões que eu poderia tirar com essa leitura.

Abraços,
Cá Entre Nós

Barbara M. Cabalero disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Barbara M. Cabalero disse...

Oi.
Fiquei com aperto no peito só de ler sua resenha.
Saber que a obra tem cunho autobiográfico e que a autora se matou pouco depois que a obra foi publicada é um pouco pesado.
Creio que o livro tem um caráter reflexivo muito forte. E isso não vai funcionar para mim no momento, apesar de eu considerar interessante entender a mente de uma pessoa que tem pensamentos suicidas.
Vou anotar o titulo para ler em outro momento da minha vida, pois agora estou passando por um momento de muita pressão e não seria bom para mim.

Ana Gabriela disse...

Sempre ouvi falar desse livro e nutri uma vontade de lê-lo.A carga emocional deve dar uma adrenalina.
Bjs

Memórias da Cat disse...

Nossa eu amo esse livro!!! Eu até recomendei a leitura desse livro no papo sério do mes passado que falava sobre transtornos. Esse é um dos livros que melhor fala de depressão que já vi. Amei. Beijos

Priscila Alexandre disse...

Conheço a autora apenas de nome, nunca li nenhuma de suas obras.

Sempre a imaginei uma grande autora - só a sinopse já comprova meu pensamento - e sua resenha confirmou. Não sei porque ainda não peguei nenhum livro dela para ler... Talvez falta de oportunidade.

Gostei muito da sua resenha, gosto demais de livros com essa temática. Costumo ler muito histórias sobre transtornos mentais. Esse agora entrará para minha lista.

Abraços!
www.asmeninasqueleemlivros.com

Michelle Ladislau - As Leituras da Mila disse...

Oie
Tudo bom?
Nossa a história desse livro parece ser bem forte. Que pena a autora ter se matado depois de escrever esse livro, por isso tenho que concordar que parece uma autobiografia.
Não sei se teria coragem de ler esse livro.
Beijos

Camila Coelho disse...

Oi, tudo bem?
Acho que a autora passou para sua persogem tudo que sentia e talvez esse livro fosse para ela um grito de socorro que ninguém ouviu a tempo. Eu tenho curiosidade de ler essa obra mas tenho medo do quanto pode ser que ela mexa comigo uma vez que sofro de transtorno de ansiedade e en alguns momentos tebho que lutar com pensamentos negativos de forma exaustiva. E como você mesma disse o emocional tem que estar bem. Acho que é uma obra para ser lida sim mais em uma ocasião menos conturbada da minha vida.
Bj

Dryh Meira disse...

Oiee ^^
Eu já tinha visto o título deste livro várias vezes, mas não sabia do que se tratava. Fiquei chocada por não saber mais dele até o momento, e fiquei também muito curiosa para ler. Parece ser uma história bem forte, principalmente por ser verídica. Imagino que vou sentir como se estivesse na pele da protagonista *-*
MilkMilks ♥
http://shakedepalavras.blogspot.com.br

Livreando disse...

Adorei a dica de hoje. Gosto muito de livros com o teor psicológico, principalmente quando caminhamos pela mente do personagem, nos identificamos melhor, o que é também um pouco aterrorizante, levando em consideração o estado psicológico da personagem. Ainda não conhecia essa obra, mas já anotei na minha lista.
Bjim!
Tammy

Camila dias disse...

Faz algum tempo que ouvi falar sobre esse título e de cara o desejei. O en redor é muito chocante, ainda mais com essa mesclagem de autora e personagem. Estou me preparando psicologicamente para encarar essa história.
Adorei conferir suas impressões.
Bjs, Mila

http://a-viagem-literaria.blogspot.com.br

Postar um comentário

 
© Uma dose de Cacto - janeiro/2016. Todos os direitos reservados.
Criado por: Dear Maidy. Tecnologia do Blogger.
imagem-logo