RESENHA - Resistência

domingo, 30 de abril de 2017
Título: Resistência
Autora: Affinity Konar
Editora: Fábrica231(Selo da Rocco)
Nº de páginas: 320
Sinopse: "Auschwitz, 1944. As gêmeas Pearl e Stasha têm 12 anos quando desembarcam no campo de concentração nazista na Polônia. à medida que conhecem o horror e têm suas identidades fraturadas pela dor e sofrimento, tentam confortar uma à outra e criam códigos e jogos para se proteger e recuperar parte da infância deixada para trás. Mas quando Pearl desaparece sem deixar pistas, Stasha se recusa a acreditar que a irmã esteja morta e embarca numa jornada desesperada em busca de justiça, paz e de si mesma. Livro notável pelo The New York Times; Livro do Ano pela Amazon e pela Publishers Weekly; indicação de leitura dos principais veículos de imprensa norte-americanos, Resistência narra, com uma voz poderosa e única, a trajetória de duas irmãs lutando pela sobrevivência em um dos períodos mais devastadores da história contemporânea e mostra que há beleza e esperança até diante do caos."





Que eu sou chorona não é novidade, mas dessa vez, o meu coração ficou esmagado em cada página desse livro, de verdade, não há definiçao melhor. Affinity com sua sutileza me arrancou lágrimas que não senti derramar.
Pearl e Stasha são irmãs gêmeas e foram retiradas bruscamente dos braços de seus familiares, principalmente sua mãe, por possuírem a mesma carga genética, elas são gêmeas idênticas e no período de guerra, isso atraia muitos olhares curiosos, usavam gêmeos para experimentos, o que é um absurdo. Elas são entregadas ao Anjo da Morte, ou o Doutor Mengele.
Eu sempre procurei fugir de leituras tristes, se choro com romances, imagine com coisas relacionadas à guerra... Dessa vez quis me fazer de forte, mas desabei logo que as gêmeas são separadas, cada uma segue seu rumo, uma procurando a irmã, ciente de que ela está viva, a outra... O fato é que as duas sofreram tanto, mas tanto, que em diversos momentos eu deixei o livro de lado para poder respirar, parar de chorar, tudo foi difícil demais, meu coração ficou em cacos, essas irmãs não mereceram nada daquilo. Eu simplesmente não consigo lembrar dessa leitura sem chorar, mas vamos la...
Quando Pearl sumiu, Stasha ficou desesperada, uma não vivia sem a outra. 
O livro em si é como um soco no estômago, mas a autora tem uma linguagem tão doce, um caminhar tão sutil, que você não percebe as "porradas" que leva durante a leitura. Claro que não dá pra acreditar que gêmeos sofriam tanto assim, pessoas estourando seus tímpanos, machucados, injeção de doenças em suas veias, isso não pode ser real, certo? Errado, cada coisa ali citada, foi real nos campos de concentração, alias, a história é baseada em uma história real, as gêmeas ali citadas eram REAIS, vocês tem ideia disso?
Resumindo, a história é linda, extremamente cansativa, li as primeiras páginas amarrada na ideia de que precisava confiar na indicação da editora, mas quando dei por mim, estava além da metade, sofrendo muito por elas, odiando o Anjo da Morte. Quando terminei só me sobrou um pensamento: O ser humano é capaz de coisas horríveis.
Super indico a leitura!

Jamais diga que chegou ao fim
Quando céus de chumbo anunciam um futuro amargo;
Pois certamente a hora que desejamos ainda vai chegarE na marcha nossos passos serão trovoada: sobreviveremos



23 comentários:

F disse...

Olá
Essa é a primeira resenha que leio desse livro, mas fiquei bem curiosa diante dos elementosque você comentou. E pelo que pude compreender, a trama repassa algumas mensagens bem importantes heim.. gostaria de saber mais a respeito desse desenvolvimento e em especial sobre a narrativa da autora.
Beijos, F

Dicas Rodapé disse...

Que capa linda, sinto que esse livro vai ser como o menino do pijama listrado um rio de lágrimas, mais quero muito ler, adorei a resenha um beijo!

Jéssica Christina disse...

Oi, tudo bom?
Eu amo leituras sobre a guerra, é um período que me fascina muito, e acho que quando lemos algo que foi inspirado naquilo, estamos honrando as pessoas que sofreram por tudo aquilo. Meus livros favoritos foram ambientados naquela época, e esse já entrou na minha lista de desejados do amazon. #PartiuDesidratar

Carol Mendes disse...

Tive a oportunidade de solicitar esse livro, mas acabei desistindo pois, apesar de gostar desse tipo de história, ao mesmo tempo não achei que conseguiria lidar com a história depois. Mas lendo sua resenha eu fiquei curiosa pra ler. A gente acha que esse tipo de coisa não pode acontecer, mas esse tipo de crueldade infelizmente é real :s

Virando Amor

Thiana Santana disse...

Olá,
Por se ambientado nesse período de guerra o livro já me atrai, pois gosto disso. Mas já imagino que para mim será uma leitura muito sofrida e que com certeza me deixará com uma baita ressaca literária.

Bjs,
Garotas de Papel

No Conforto dos Livros disse...

Olá!! :)

Eu não fazia ideia da existência deste livro e devo confessar que não me deixou la muito curioso, ate pela capa (que nunca me faria comprar... :P)

Bem, acho bom que, mesmo que "um soco no estomago", o livro tenha um linguagem e escrita tao subtil assim! :)

Boas leituras!! ;)
no-conforto-dos-livros.webnode.com

Sabrina Finoti disse...

Oi!
Não tinha ideia que essa era uma história inspirada em pessoas reais.
Eu corro de livros sobre a guerra, pois mexem demais comigo e sinto cada dor que os personagens passam na pele, de modo que não faz bem pra mim.
Mas em alguns momentos, alguns livros devem nos fazer olhar um pouquinho para o passado para lutarmos que isso nunca mais aconteça, pois histórias como essa são cruéis demais.

Jessica Alves disse...

Olá!
Ainda não tinha conhecimento sobre o livro ou a autora, mas já me deu vontade de chorar com sua resenha. Me imagino lendo... Enchentes e inundações.
Mas fiquei bem instigada para conhecer a história e saber o que acontece com as irmãs. É muito rriste saber que existe seres que são capazes de infligir dor e sofrimento em alguém só para "experimentos científicos". É pura crueldade. Nem podem ser considerados humanos.
Amei sua resenha e quero adiciona-lo a lista de leitura...
Bjs e até mais!

Ps: Visite nosso blog, estamos com um top comentarista em andamento ;)
http://lovereadmybooks.blogspot.com.br/2017/04/top-comentarista.html

http://lovereadmybooks.blogspot.com.br

Pollyanna Campos disse...

Olá, tudo bom?
Quero muito ler esse livro, principalmente por gostar muito quando abordam a segunda guerra em livros de literatura, mas, estou me preparando psicologicamente para realizar essa leitura. Sei que não vai ser fácil e que provavelmente terminarei com os nervos e sentimentos em frangalhos como você, mas, vale a pena né? Sugestão mais que anotada!

Beijos!

Tamires Marins disse...

Acho essa capa linda e não duvido que o livro possua uma grande carga dramática, mas não leria porque não gosto de livros ambientados no holocausto, passo longe. Que bom que aproveitou a leitura apesar do sofrimento. Rs

Beijos

Carla disse...

Oie!
Nossa, eu acho que vou gostar muito dessa leitura, pena que achou a história um pouco cansativa. Acredito que vou gostar dessa história, e vou me emocionar muito!
E achei a capa desse livro linda, uma ótima escolha da editora!
Bjks!
Histórias sem Fim

Paty Souza disse...

Olá, tudo bem?
Não conhecia esse livro, mas a capa logo me chamou a atenção, amei o tom.
Que enredo denso, pela sua descrição é bem visceral, mas como se passa em Auschwitz e em 1944, eu não vou deixar essa dica passar. Mas já sei, que assim como você, vou ficar destroçada com a leitura.
Já foi para minha estante de desejados.

Beijos

Lauri Brandão disse...

Oi. :)
Achei a premissa bem interessante, mas não é o estilo de estória que curto.
Tenho uma "trava" com estórias que se passam na guerra, ou estórias que contam momentos marcantes da história do Brasil ou lá de fora.
Sua resenha ficou ótima, mas não sei se leria.
Blog As Meninas Que Leem Livros.
Bjs.

Nayara Borges disse...

Olá!
Eu não sou muito chegada em livros que trazem histórias de guerra, justamente porque a leitura na maioria das vezes é bem cansativa, mas com certeza é sempre triste. O ser humano é um bicho sem coração e ler sobre as coisas que acontecem nesses períodos são sempre emocionantemente tristes. Entendo porque você chorou lendo essa história, só de imaginar a separação dessas irmãs já fico agoniada. Ótima dica, se eu tiver oportunidade, lerei, por mais que eu não seja acostumada com esse tipo de leitura.
Beijos,
Nay
Traveling Between Pages

Rafaelle Vieira disse...

Oi, tudo bem?
Eu não me dou tão bem com dramas, mas fiquei curiosa com a premissa desse livro. O fato de a autora ter uma linguagem sutil, me deixou aminada para conhecer o livro. Adorei a capa!

Beijos,

Rafa [ blog - Fascinada por Histórias]

Carolina Ramires disse...

Olá!
Acho essa temática muito interessante e sempre tenho curiosidade em ler livros desse estilo, então realmente, estou morrendo de vontade de ler depois da sua resenha. Acho que essas porradas são necessárias para nos mostrar a verdadeira face da guerra e tentar criar uma consciência em gerações futuras.
Beijos.

Kaline Rainha disse...

Uau!! Que relato forte e angustiante o seu!
Livros com temáticas assim embora sejam reais, é preciso que se leia. Penso que seja uma forma de sermos solidários à essa quantidade impressionante de pessoas que sofreram atrocidades por causa da ignorância de um lunático. Parabéns por sua resenha!!!

Charlene Cíntia disse...

Nossa que capa maravilhosa!
Que sinopse triste.
Chorei com tua resenha tantas emoções.as irmãs separadas de uam forma cruel
O nazismo foi tão cruel.devastou diversas famílias
Este livro se tornou meu desejado
Primeira resenha que leio dele e foi suficiente para tocar meu coração

Pintando as Letras disse...

Olá!

Confesso que quando vi esse lançamento de cara me apaixonei pela capa ( sou dessas ) mas até ler sua resenha não tinha parado para analisar se me interessaria ou não pela leitura, e meu Deus, preciso desse livro para ontem!

Amei a resenha, adoro livros que me emocionam e esse parece ter um enredo que apesar de doloroso nos fazem refletir, adoro quando isso acontece! fora a temática de guerra que amo!


Beijos
Jess
www.pintandoasletras.com.br

Nay Sartor disse...

Oie! Tudo bem?

Li uma resenha desse livro em outro blog e amei demais a proposta dele e agora com a sua resenha novamente positiva, só vejo mais motivos para realizar a leitura da obra, espero gostar como você!

Bjss

Brooke S. disse...

Meu Deus, minha garganta ficou apertada só de ler sua resenha...imagina se eu fosse ler um livro assim? Eu fujo completamente dessas histórias que retratam a realidade de guerras e dos campos de concentração! Não tenho nenhum estômago para lidar com isso, e definitivamente é uma história forte que eu não conseguiria ler e ficar bem... então eu prefiro nem fazer. Mas foi bom para conhecer o estilo e suas impressões, realmente é uma obra que é bem intensa!
Um beijo
www.brookebells.com

Rillismo disse...

Oiii

Terminei de ler esse livro essa semana e concordo com vc, é uma leitura tão forte que ler foi doloroso, foi bem triste mesmo. Também solicitei por recomendação da editora e fiquei tão envolvida quanto você com a estória da Pearl e da Stasha. Mengele foi um sem coração mesmo, e me doia a alma ver a Stasha sendo tão ludica em relação a ele. Enfim, foi bom ver mais uma pessoa com as mesmas impressões que tive com a leitura, pra mim não desejo mais ler nada da 2º Guerra ahhaha

Bjão
http://rillismo.blogspot.com.br/

Entre Livros e Amores disse...

Olá
Não conhecia a obra e de olhar para capa podia jurar que ela um romances. Mas que premissa em? Assim como você sou uma manteiga derretida, já fiquei com os olhos marejados vendo você falar da separação das irmãs e o que faziam com os gemios. Só de saber que é uma estória real parece que dói mais ainda na gente. Parabéns pela resenha, beijos!

Postar um comentário

 
© Uma dose de Cacto - janeiro/2016. Todos os direitos reservados.
Criado por: Dear Maidy. Tecnologia do Blogger.
imagem-logo