RESENHA Nuvens de Ketchup

quinta-feira, 20 de julho de 2017
Título: Nuvens de Ketchup
Autora: Annabel Pitcher
Editora: Rocco
Nº de Páginas: 270
Sinopse: "Indicado ao prêmio Edgar Allan Poe na categoria juvenil, Nuvens de ketchup é o segundo romance da inglesa Annabel Pitcher, autora do também premiado Minha irmã mora numa prateleira. A trama gira em torno da jovem Zoe, que narra, por meio de cartas enviadas a um prisioneiro condenado à morte, seu dia a dia com a família, seus envolvimentos românticos e um segredo sombrio que ela não tem coragem de contar a mais ninguém. As inúmeras dimensões dramáticas da jovem protagonista e a narrativa cativante mostram o desabrochar da juventude e percorrem temas como amor, culpa, luto, erros e acertos de forma sensível e bem-humorada."










 A editora Rocco tem como principal função me surpreender, disso eu já tenho certeza, sejam em suas edições maravilhosas ou em suas histórias com enredo simples mas que no final te deixam literalmente sem ar, te fazendo ver o mundo de maneira totalmente diferente do que você via antes, sempre de maneira positiva e isso ganha tanto pontos que suas obras tem lugar especialzinho em meu coração, Nuvens de Ketchup entretanto foi uma obra que dividiu sentimentos, mostrou a dualidade do ser humano, do amor ao egoísmo e se você me perguntar o que sinto por esse livro eu não saberei responder.


Zoe tem só 15 anos, é uma garota normal mas que vive de modo peculiar, diria até que a maneira como ela descreve sua casa, soa meio sombria. As coisas mudam quando ela se apaixona pelos irmãos Max e Aaron. Que fique claro, os nomes não são verdadeiros, Zoe muda os nomes para poder contar para Stuart o que realmente aconteceu. Stuart é um homem que está no corredor da morte, só aguardando a sua vez chegar e você quer alguém melhor para ouvir os seus segredos mais obscuros do que um cara que vai partir dessa para outra, literalmente?
 Quando você lê a sinopse ou qualquer resenha, acha que esse é mais um romance bobo sobre uma garota que se apaixona por dois caras que são irmãos e que provavelmente ela vai passar metade da história em duvida sobre quem escolher, certo? Errado, tudo é muito confuso, agoniante, chega a ser perturbador. O livro é composto por cartas que Zoe envia para Stuart contando os fatos, desde o início até o ponto onde algo muito grave aconteceu e se você quiser saber o que foi, vai ter que ler até o final.
 Conforme ela vai contando a história via cartas, você vai criando uma visão sobre a personagem, em muitos momentos achei-a egoísta e até maldosa com os sentimentos dos rapazes, é como se fosse uma criança gulosa que não é capaz de escolher um doce só e isso me deixou tremendamente irritada, para mim ela parecia uma personagem completamente imatura e narcisista. Acontece que nas últimas páginas as coisas mudam, quando você descobre finalmente o que aconteceu e como aconteceu, quando descobre como as coisas mudaram pra sempre depois daquilo, não vai conseguir sentir antipatia por Zoe, na verdade eu só senti pena e tristeza, é incrível como algumas atitudes são capazes de moldar o nosso destino pra sempre e que isso nem sempre é feliz.
 Então sim, se me perguntarem o que eu sinto por esse livro, eis aqui: Um tiquinho de impaciência porque sinceramente, tratar um triângulo amoroso como o ponto alto da sua vida é no mínimo fútil, PORÉM, dor, eu não quero ser Zoe, nem Max e muito menos Aaron, suas vidas nunca mais foram as mesmas e nem a minha, terminei a leitura transformada e mais atenta ao que o outro sente. 



10 comentários:

F disse...

Ola
Não me interessei por essa obra, pelo fato de ter triangulo amoroso, eu realmente fujo desse estilo, porque quase sempre acabo ficando perdida diante das escolhas dos personagens e do meu próprio envolviment com eles. Mas fiquei curiosa por seus comentários a respeito de ter um estilo mais pertubador, o que de fato eu não imaginaria mesmo.
Beijos, F

Ivi Campos disse...

Talvez o triangulo amoroso também me irritasse, mas acho que o restante do enredo seria muito apropriado e gostei da dica.
Espero poder ler em breve.
Beijos

Bruna Costabeber disse...

Olá!
Esse livro parece ser ambíguo, não é? Ele parece incomodar o leitor por colocar o triângulo amoroso num ponto tão alto e importante na vida de uma pessoa, mas interessante por marcar tanto a vida de quem lê.
Nunca tive muita vontade de ler esse livro, mas sua resenha abriu meus olhos e espero que a oportunidade surja em algum momento.
Beijos

Ana Paula Medeiros disse...

Oi! Há séculos adicionei esse livro como "quero ler" no Skoob, mas nunca tinha dado muito bola, apesar de ter gostado da sinopse desde que conheci a obra.
Depois da sua resenha fiquei curiosa demais para conhecer a situação da protagonista e o que a levou de egoísta para digna de pena. Sério. Vou ter que ler o quanto antes agora rsrsrs
Obrigada pela indicação!

Felipe Silva disse...

O livro parece ser bem interessante, é essa capa é linda demais. Ótima resenha.

Amanda Colares disse...

Oiee!!
Acho que lendo essa história sobre triângulo amoroso eu me sentiria um pouco impaciente, como vc. Também sentiria antipatia por Zoe, devido à imaturidade de não conseguir escolher. Porém, fiquei curiosa quanto aos segredos. E talvez mais ainda para saber como ela começou a se corresponder com um prisioneiro no corredor da morte rsrs
Obrigada pela dica!

Um beijo

www.asmeninasqueleemlivros.com

Giovana Soares disse...

Oii, tudo bem?
Realmente de inicio parece ser um daqueles livros clichês, mas fico muito feliz por ele não cair nisso, acho que até o fator dela estar escrevendo para um cara no corredor da morte é algo diferente, estou ansiosa para poder ler esse livro, com certeza esta na listinha.

Sabrina Finoti disse...

Oi!
Eu também não sou fã de triangulos amorosos, sinceramente me dá nos nervos quando tem um terceiro elemento aí hahahah.
Mas fiquei bem curiosa para saber o que aconteceu e porque ela troca cartas com um cara no corredor da morte, acho que só isso já me prenderia na leitura

Priscila Alexandre disse...

Tenho esse livro na minha estante há algum tempo já e sou doida para lê-lo... Porém, nunca consigo incluí-lo em minhas listas =/

Fiquei intrigada mais pela capa quando vi o livro, tanto que nem li a sinopse. Fiquei sabendo mais sobre ele agora com sua resenha, huahuahua! Vou tentar incluí-lo na minha meta d eleitura deste ano!

Abraços!
www.asmeninasqueleemlivros.com

Francine Nunes disse...

Olá!
Nunca li um livro epistolar, tenho curiosidade, tanto que comprei Ligações Perigosas.
Quanto a esse livro em particular a premissa não me chamou atenção, eu não gosto muito de ler sobre triângulos amorosos.
É complicado quando um livro nos tras sentimentos duos né? A primeira lida, parece mesmo um romance clichê, se eu não lesse sua resenha nunca imaginaria que seria perturbador.
Abs e parabéns pela resenha ^^

Postar um comentário

 
© Uma dose de Cacto - janeiro/2016. Todos os direitos reservados.
Criado por: Dear Maidy. Tecnologia do Blogger.
imagem-logo