RESENHA - À primeira vista

segunda-feira, 31 de julho de 2017
Titulo: À primeira vista
Autores: David Levithan e Nina Lacour
Editora: Galera Record
Nº de Páginas: 294
Sinopse: "Esqueça amor “à primeira vista”. Esta é uma história de amizade “à primeira vista”... ou quase
Mark e Kate são da mesma turma de cálculo, mas nunca trocaram uma única palavra. Fora da escola, seus caminhos nunca se cruzaram... Até uma noite, em meio à semana do orgulho gay de São Francisco. Mark, apaixonado pelo melhor amigo — que pode ou não se sentir do mesmo jeito —, aceita o desafio que mudará sua vida. E sobe no balcão do bar em um concurso de dança um pouco diferente... Na plateia, Kate, fugindo da garota que ela ama a distância por meses e confusa por não se sentir mais em sintonia com as próprias amigas, se encanta pela coragem e entrega do rapaz. E decide: eles vão ser amigos. Em meio a festas exclusivas, fotógrafos famosos, exposições em galerias hypadas, essa ligação se torna cada vez mais forte. E Mark e Kate logo descobrem que, em muito pouco tempo, conhecem um ao outro melhor que qualquer pessoa. Uma história comovente sobre navegar as alegrias e tristezas do primeiro amor... uma verdade de cada vez."



Quando solicitei esse livro estava um tanto quanto incerta sobre o que essa história me reservava, quem lê seu titulo tem quase a absoluta certeza de que se trata de uma história de amor e tamanha foi a minha felicidade em saber que era exatamente o contrário! Aqui o que fala mais alto é a amizade, essa conexão única que acontece quando encontramos um melhor amigo e sabemos que isso irá durar para sempre.
Mark é um cara tímido, reservado e extremamente apaixonado por seu melhor amigo, Ryan, e ele até tem seus motivos pra nutrir esses sentimentos, eles ficam espontaneamente, estão sempre juntos, as vezes Mark sente que a qualquer momento Ryan vai notar que o ama e enfim eles vão ficar juntos, mas isso tem demorado tanto que não parece que vai acontecer um dia. Até que na semana do Orgulho Gay ambos resolvem ir para uma boate comemorar essa data e tudo começa a desandar. Ryan fica com um cara na frente de Mark, enquanto o mesmo está em cima de um balcão de bar, perfomando! Como se não fosse suficiente, tudo para de acontecer exatamente quando ele encontra sua colega de turma Kate, que está na mesma boate e imaginava que ele fosse o garoto mais tímido do universo! Mas o que Kate faz ali? Ela está fugindo, essa é sua especialidade, apesar de sua habilidade incrível com arte, todo o seu talento não vale de nada quando o que ela mais faz é fugir, de suas obrigações sobre pensar para qual faculdade ir, encontrar seu amor platônico que chegou de uma temporada com o circo(sério), e exatamente isso o que Kate está fazendo na boate, ela fugiu do encontro com seu grande amor Violet, por medo, receio, ausência de coragem, chame do que quiser, Kate não está dando conta.
 Mark com o coração partido, Kate se sentindo insuficiente, os dois se agarram um ao outro por conta de pessoas que interferem em sua vida de maneira boa ou não e aí nasce uma bela amizade, com duas missões, fazer Mark ficar de vez ou desencanar de seu amigo, dar a devida coragem para Kate, afinal o seu amor está ali, porque ela está fugindo?
 Feito um mapeamento maior sobre a história, preciso contar minhas impressões que foram as melhores possíveis, me vi em Kate! Essa necessidade do mundo em nos cobrar respostas imediatas acaba nos deixando ansiosos, essa cobrança exacerbada suga toda a nossa energia, nosso talento não deve ser uma obrigação, nunca! Ela foge de seu amor por medo de não ser boa, por medo que Violet não fosse o que ela esperava, é como se ela antecedesse todo o sofrimento que é hipotético, Kate, eu te entendo totalmente. Já Mark... Ele é exatamente o tipo de garoto que eu gostaria de segurar seus bracinhos, olhar em seus olhos e gritar para que parasse de ser bobo, seu amigo coloca-o em uma situação de friendzone tão grande que você fica abismado em como o amor nos coloca em situações complicadas, ele fica nessa amizade, mesmo machucado, porque espera que um dia seu melhor amigo note que também o ama!
 As coisas melhoram quando Mark ganha o cartão de um fotógrafo e ele e Kate resolvem ir até a festa que ele está dando, no dia seguinte os dois viram notícia, ela se torna uma artista conceituada e ganha uma exposição de arte só sua, Mark se torna o gato da vez, eles enfim ganham a notoriedade necessária para darem a guinada em suas vidas, é como se esse fotógrafo agisse como uma fada madrinha moderna.
É muito bacana acompanhar o resultado após esse sucesso, como eles combinam tão bem e como o amor consegue destoar tanto em uma única história, outra coisa que me chamou a atenção é que essa história tem total visibilidade ao público LGBT, Mark e seu amigo são gays, Kate e sua galera são lésbicas e isso é tratado com uma naturalidade tão magnifica que beira ao esplêndido! Esse não é o ponto alto da história, nunca foi, obvio que a representatividade está ali por um motivo, mas tratam isso exatamente da maneira que deveria ser na vida real, são só pessoas exercendo o seu direito de amar.
 Essa foi uma leitura gratificante, recheada de boas risadas e noites agitadas. Um livro que nasceu de uma troca de e-mails entre os autores foi capaz de ganhar o meu coração. 




 - Tá, tudo bem. Agora, vamos para a pergunta real: você já quis tanto uma coisa que isso meio que toma toda a sua vida? Tipo, você continua fazendo tudo que tem de fazer, mas só está seguindo o fluxo, porque está totalmente consumido pela coisa?


15 comentários:

Tais Burigo disse...

Oi tudo bem?
Eu amo a escrita do Daivid e estou louca para ler esse livro. É muito bom quando nos encontramos em personagens né?

Beijos

F disse...

Ola
Também ja fiz essa leitura e gostei muito do desenvolvimento, mas ja esperava isso sendo que o autor tem um jeito unico e muito especial de apresentar as histórias. Adorei poder conferir as suas impressões a respeito, ainda mais por conseguir me identificar com as suas impressões.
Beijos,|F

Jéssica Christina disse...

Oie, tudo bom?
Eu amei a idéia do livro, só acho meio errado eles mostrarem que uma mulher só pode ser amiga de um homem caso os dois sejam gays. Não sei se foi essa a aintenção, mas nunca vi um livro onde duas pessoas de sexo diferentes fossem só amigos! Estranho né? Mas eu AMO a temática LGBT e fiquei curiosa pra saber o destino dos casais <3

Paloma Machado disse...

Oie, tudo bem?
Nossa, jurava que seria mais um romance clichê, ele já estava em minha lista, mas não esperava muito achando que seria mais do mesmo... Tava na lista só por ser do David mesmo, mas depois da sua resenha acho que vou dar uma chance para ele antes do esperado ♥

Beijos.

Ivi Campos disse...

Estou muito curiosa pra ler este livro porque eu amo a escrita da David, apesar que sempre prefiro lê-lo sozinho, sem co autoria. Mas a premissa dest elivro é tão boa que vale a pena, tenho certeza disso.
MEU AMOR PELOS LIVROS
Beijos

Livros & Café disse...

Oi.

Estou quase terminando a leitura deste livro. Adoro os livros do David Levithan e ainda não conhecia a Nina, então, está sendo uma boa surpresa para mim ler um livro com esses dois autores. Gostei muito da leitura até agora e sei que ficarei satisfeita com o final.

Delmara Silva disse...

Oi,
eu nunca li nada do David, pelo que tenho acompanhado da publicações dele esse é bem o estilo de leitura do autor, pelo menos todas as resenhas que já li de obras dele relatam que a trama aborda de alguma forma a temática LGBT pelo que pude perceber em sua esse nesse livro o assunto ocorre de forma mais abrangente o que é um ponto que me atrai bastante já que estou começando a conhecer obras nesse estilo, recentemente li um livro do tipo e gostaria de conhecer outras obras e essa me chamou bastante a atenção.

Beijos!

Thiana Santana disse...

Olá!
Tenho muita vontade de ler algo do autor. Sempre ouço elogios tanto de seus livros solos quanto das diversas parcerias que faz.
O que me chamou a atenção é que você já desmitifica o fato de o livro não ir para o lado de uma história de amor e sim da conexão que criamos com algumas amizades e graças a Deus tenho sido muito feliz com os amigos de verdade que entram em minha vida.
Acho que o colunista do meu blog o K, vai gostar muito desse livro.

Bjs,
Garotas de Papel

Sick, Sad Books disse...

Esse livro é MARAVILHOSO!
Não tem como não amar o Levithan, sua escrita é tão sutil e traz a mensagem que deseja passar de uma forma que só ele consegue <3

Aninha Goulart disse...

Oiiii,

Eu não tinha lido nada sobre a obra ainda e pelo titulo também achei que seria um romance, gostei muito de ser uma amizade a primeira vista e de ser uma história LGBT que é tratada com naturalidade, porque infelizmente é um tema que precisa ser muito bem tratado e não sãoo todos os autores que tem cuidado. Adorei a capa e gostei muito da resenha.

Beijinhos...
http://www.paraisoliterario.com/

Bruna Costabeber disse...

Olá, tudo bem?
Já li dois livros do David e amei um e detestei o outro, mas sei que é um autor com muito potencial que mostra esse lado LGBT de uma forma magnífica.
Fiquei muito contente por ser um livro com esse tema, mas que trata tudo com naturalidade, é bastante incomum isso. Alguns autores tratam a homossexualidade como um tabu, infelizmente.
Apesar de imaginar oque pode acontecer, tenho vontade de ler para ter certeza.
Beijos

Polly.webs disse...

Olá, tudo bom?
Assim como você, esperava que esse livro se tratasse de um romance. Fiquei surpresa quando li em sua resenha que na verdade é sobre amizade, e a conexão que acontece quando descobrimos um melhor amigo e sabemos que isso irá durar para sempre. Curti saber também que você se identificou tanto com Kate e claro, sobre essa abordagem LGBT que existe na obra, que é super importante!
Adorei a resenha e espero poder conferir este livro em breve.
Beijos!!

Sabrina Finoti disse...

Oi!
Que bacana esse livro!
No começo da sua resenha também achei que seria uma história de amor como tantas outras que a gente lê por aí, mas fiquei feliz em saber que é muito mais que isso, que tem muita representatividade e fala muito de amizades verdadeiras que acontecem em momentos completamente aleatórios.

Tamires Marins disse...

Nunca li nada do autor. Ele gosta de escrever livros colaborativos, né? Gostei de saber que é um livro que fala sobre amizade, realmente pelo título dá pra pensar que é um romance. Hehehe
Mas eu não tenho muito interesse nessa história, nenhum livro do David me desperta a vontade de ler, não sei bem o porquê.

Beijos

Isadora Gazote disse...

Que resenha linda! Eu tô doida por esse livro, não vi até agora ninguém falar dele, e amei sua opinião! Eu só sabia que falava sobre amizade, mas não tinha mais noção de nada! Quero desesperadamente! Amei sua opinião!

Postar um comentário

 
© Uma dose de Cacto - janeiro/2016. Todos os direitos reservados.
Criado por: Dear Maidy. Tecnologia do Blogger.
imagem-logo