RESENHA - Aqui estou

domingo, 13 de agosto de 2017
Titulo: Aqui estou
Autor: Jonathan Safran
Editora: Rocco
Nº de páginas: 592
Sinopse: " Após onze anos de espera, Jonathan Safran Foer, um dos mais aclamados nomes da literatura deste século, retorna ao romance com Aqui estou. Assim como nos celebrados Tudo se ilumina e Extremamente alto e incrivelmente perto, o autor apresenta uma narrativa que, partindo do doméstico, transborda universalidade ao contar a história de uma família judia em Washington que vive um momento de crise, ao mesmo tempo que um terremoto de grandes proporções atinge Israel, gerando ainda mais instabilidade política e social na região e abalando também as convicções de cada um dos personagens e a própria estrutura familiar. Captando com precisão o espírito caótico de nosso tempo em uma trama pontuada por casamentos em xeque, cidades devastadas e opiniões polarizadas, Foer reflete sobre os conceitos de felicidade, tristeza, vida, morte, amor, intimidade, sexualidade, religião, ceticismo, tradição, tecnologia, cultura, passado, presente e futuro. Considerado um dos melhores livros de 2016 pela crítica (The New York Times, Time Magazine, Times Literary Supplement), Aqui estou é uma obra impactante, engraçada e, acima de tudo, urgente."


Precisamos bater um papinho sério aqui pessoal, Safran é um dos novos nomes da literatura e para mim isso faz sentido absoluto, a maestria com que ele escreveu Extremamente alto & Incrivelmente perto( tem resenha aqui ) me deixou encantada, acontece que o fofo demorou 10 anos para voltar a publicar algo, quando vi esse lançamento pela editora Rocco não pensei duas vezes, mal li a resenha e já o solicitei, eis que no meio do caminho havia um calhamaço... Quando essa belezinha chegou em minha casa meu queixo caiu, 592 páginas precisa ser história pra caramba, pra manter você preso a leitura, certo? Infelizmente não foi o que aconteceu comigo, fui com muita sede ao pote.
 O livro vai contar a história de uma família Judia que vive nos EUA, e até aí tudo bem, eu amo a maneira como Jonathan escreve tão bem sobre esse núcleo, é algo que me toca profundamente, todos os personagens parecem muito verdadeiros, Quando Sam, um pré adolescente, precisa esclarecer aos seus pais porque o diretor encontrou um bilhete escrito por ele com vários insultos, tudo se complica e o seu bar mitzvah pode não acontecer, isso o deixa preocupado, principalmente porque sua mãe não acredita em suas palavras e enquanto eu adentrava na história, tinha absoluta certeza que a trama era sobre Sam e como a família iria lidar com isso, certo? Também! Vão surgindo tantos outros temas que acabei ficando perdida, senti que o autor colocava todos os problemas relacionados à família mas nenhum de fato era resolvido.
 Eu realmente fiquei muito perdida com tudo isso, a leitura foi um pouco amarrada mas nada disso tirou a ternura que sinto ao ver que o autor escreve tão bem sobre seus personagens! Sam tem irmãos fofos e ele tem uma maneira tão engraçada de falar as vezes que fiquei pensando se ele realmente tinha a idade que aparentava ter.
 Sintetizando a minha opinião, eu me decepcionei um pouquinho, esperava toda a euforia que senti ao ler a ultima obra de Safran mas isso não aconteceu, a história foi vaga, quase dispersa, tinha tudo pra ser um baita livro! Dramas familiares, religião, crise, personagens fortes, a fórmula perfeita, mas isso não aconteceu, infelizmente. Entretanto, a editora caprichou nessa edição, com páginas amareladas e uma capa que diz tão bem a respeito da história. 

"Jacob disse para si mesmo: A vida é preciosa, e eu vivo no mundo".


4 comentários:

Entre Livros e Amores disse...

Olá ♥
É tão ruim quando vamos com toda vontade do mundo em um livro e ele acaba nos decepcionando, e as vezes não é que o enredo é ruim nem nada do tipo, mas sim por que já conhecemos a escrita do autor e sempre esperamos mais e mais dele. Ultimamente tento não colocar muita expectativa em livro nenhum que vou ler, nem dos meus autores favoritos. Para ser sincera não curtir muito a premissa do livro, acho que assim como você me sentiria perdida, só que ao contrario de vcê eu não leria até o final, pois livro que não me prende eu tento até vê que não dá mais. Gostei da sua sinceridade, parabéns pela resenha.

Porre de Livros disse...

Oi, que pena que você não gostou. È bem complicado quando vamos numa leitura com muita expectativa e ela no decepciona. Eu não conhecia o autor, apesar de ele ser bem conhecido no meio. A história até parece interessante, a premissa e o reflexão que deixa para o leitor, mas não sei se leria, apesar de ser um livro que entra como um dos gÊneros que costumo ler.

www.porredelivros.com

Manuscrito Literário disse...

Goosteei da resenha!
Ainda não li nenhum dela, e me solidarizo com você, é horrível quando vamos tão intusiasmadas para uma leitura e o livro nos decepciona.
Espero que isso não tenha te deixado com ressaca.
Beijos

www.manuscritoliterario.com.br

Cristiane Rodrigues disse...

Oiii!!
Não conhecia esse livro. Uma pena que não foi exatamente o que você pensava. Eu não gosto de criar expectativas justamente para não me decepcionar. Achei a capa muito bonita, mas não me animei a ler depois de saber que a história não é empolgante.
Beijos

Postar um comentário

 
© Uma dose de Cacto - janeiro/2016. Todos os direitos reservados.
Criado por: Dear Maidy. Tecnologia do Blogger.
imagem-logo