[RESENHA] Gostar de ostras

quarta-feira, 27 de dezembro de 2017


Título: Gostar de ostras
Autor (a): Bernardo Ajzenberg
Editora: ROCCO
Nº de páginas: 192
Sinopse:
"Um jornalista solteiro e entediado de trinta e poucos anos e um espalhafatoso casal de franceses octogenários são os protagonistas do novo romance do prestigiado escritor, tradutor e jornalista Bernardo Ajzenberg. Em Gostar de ostras, Marcel e Rachelyne Durcan invadem o cotidiano monótono de Jorge, seu vizinho, de forma semelhante à trepadeira que cresce desordenadamente no jardim do prédio onde moram, compensando sua presença caótica com uma flor roxa de beleza intensa. Com sua prosa ao mesmo tempo firme e sensível, Ajzenberg envolve o leitor com a história dessa amizade improvável, que levará os Durcan a revisitar seu passado difícil, incluindo os motivos que fizeram com que deixassem seu país, e que mostrará a Jorge que a vida pode ser mais desafiante e colorida do que ele se acostumou a imaginar."

 

Jorge é um jovem rapaz de 30 anos que mora em um apartamento situado em Bela Cintra, e pelas paredes finas do mesmo, o rapaz consegue ouvir tudo o que se passa no apartamento de seus vizinhos franceses octogenários que moram acima dele, Marcel e Rachelyne.
Vizinhos esses que são cheios de energia e levam a vida aproveitando cada segundo como se fosse o último, muito diferente de Jorge, que "vive" a sua baseada naquilo que vê e ouve dos outros inquilinos. Antissocial, depressivo, metódico, melancólico, essas são algumas das características do nosso protagonista.

Cheio de clichês e pontos que acalentam e dão aconchego na gente enquanto a leitura flui, Gostar de ostras é um livro totalmente diferente do que eu já havia lido, não me lembro de ter me sentido tão à vontade lendo algo até o momento de pegar essa obra em minhas mãos.

Os diálogos são ricos em conteúdo, mas nada robusto e que prejudica a interpretação. Marcel e Jorge são amigos de verdade, quase que como pai e filho, pai esse que Jorge não teve quando se fala em relações humanas, já que após um fato ocorrido em seu passado, ele acabou se fechando para o mundo, e aquilo que ele jurou não assombrá-lo mais, voltou à tona e ele percebeu o quanto aquilo ainda estava lhe fazendo mal e precisava ser resolvido.

Marcel e Rachelyne são um casal octogenário como já mencionei no início, mas engana-se quem pensa que eles são atrasados ou algo do tipo. Apesar de seus costumes eles são pessoas digamos, "pra frente". Acolhem Jorge como filho e o ensinam muitas coisas,
 práticas e literais.





Um livro curto, porém arrebatador. Com trechos que nos tocam na alma e nos fazem pensar.

Sua dose de melancolia, existencialismo, morbidez, são todos na medida certa, nada é exagerado, o que me deixou bastante feliz com a escrita de Bernardo.









Outro ponto muito positivo do qual gostei, é a facilidade do autor em nos aconchegar na leitura, nos fazer sentir em casa, acolhidos, apesar de todos os fatores ocorridos que nem sempre são tão felizes assim.

Por fim, um livro maravilhoso que merece ser degustado página por página, e que no fim nos deixa aquele gostinho de quero mais com uma mistura de pensamentos que antes não havíamos imaginado.

Espero muito conhecer as outras obras do autor, pois Gostar de ostras me pegou de jeito. Só pra fechar aqui, deixarei com vocês o tiro que recebi logo de início ao abrir o livro.

Beijinhos <3



9 comentários:

Marijleite disse...

Olá, eu ainda não conhecia esse livro,e se não fosse por sua resenha talvez eu nunca desse atenção à ele. Mas pelo seu post, parece ser uma daquelas leituras cativantes e encantadoras, já quero ler.

petalasdeliberdade.blogspot.com

Jéssica Christina disse...

Oie, tudo bom?
ADOREI as quotes das fotos que você postou, amo livros com frases assim. O título não me chamou a atenção, se não tivesse lido sua resenha jamais me interessaria por ele, mas como li, ele já tá na minha listinha da amazon ♥

Barbara M. Cabalero disse...

Oi.
Adoro esse tipo de histórias que parecem ser simples, mas trazem reflexões bem legais. Mas é aquele tipo de livro que eu não escolheria só pela sinopse.
Não conhecia o livro e já adicionei a minha lista.
Beijos.

Ivi Campos disse...

Eu adoro livros que pelo título, você nao manja nada da história. Achei o enredo simples, mas ainda assim fiquei curiosa com o livro.
MEU AMOR PELOS LIVROS
Beijos

Dayhara Martins disse...

Oi migo, quando você me mandou uma foto desse livro, com um quote doloroso eu fiquei super empolgada! Com toda a certeza é um livro que eu leria, principalmente por conta de todo o niilismo presente.

Vitória Doretto disse...

Oi, Pedro!
Nossa esse título é maravilhoso! É muito legal encontrarmos esses livros que pelo título não conseguimos ter nenhuma pista da trama, é mais legal ainda escontrar uma história que proporciona esse aconchego que você mencionou sentir! |Não conhecia a obra, mas fiquei bastante curiosa com o que você nos contou na resenha, quero muito conhecer Jorge e esse casal que parece lhe ensinar tanta coisa. Marquei na listinha pro próximo ano :)
Beijos!

Diane disse...

Olá...
Ainda não conhecia a obra em questão, mas, adorei seus comentários sobre a obra! Achei a premissa muito legal e pelos seus comentários a obra possui vários elementos que me atraem em uma leitura... Espero poder ler em breve <3
Achei o título super atrativo ;)
Valeu pela dica!
Bjo

Anelise Besson disse...

Olá.

Realizei a leitura no ano passado e adorei também. Como você disse, eu também me senti confortável lendo e foi uma leitura muito enriquecedora, apesar de curta. Concordo com tudo o que disse. Parabéns pela resenha.

beijos!

Ana Paula Medeiros disse...

Oi! Apesar de ser uma leitura mais reflexiva gostei da proposta dele. Peguei um parecido para ler esses dias e me arrependi de ter lido tão rápido, pois não queria que acabasse rsrs
Assim como a maioria citou em seus comentários adorei o título também. E lendo a resenha acabei me interessando mais ainda. Dica anotada aqui!
Beijos!

Postar um comentário

 
© Uma dose de Cacto - janeiro/2016. Todos os direitos reservados.
Criado por: Dear Maidy. Tecnologia do Blogger.
imagem-logo