Posts Recentes

Resenha Extremamente Alto & Incrivelmente Perto

15 de março de 2017


Esse livro é daquelas nossas listas de "Preciso ler antes de morrer" e quando terminei, fiquei encantada com a doçura do pequeno Oskar, obrigada Editora Rocco, por essa injeção de amor.



Oskar é um menino pra lá de inteligente, aos 9 anos ele é tão conhecedor do mundo que você fica boquiaberto ao ler sobre o garoto, tão jovem e com tanta bagagem nas costas, é quase impossível não querer abraçar ele o tempo todo e dizer o quanto é especial! Infelizmente, nem mesmo sendo especial a vida nos deixa passar por aí sem sofrer, não é? O pai de Oskar morreu no atentado do World Trade Center e desde então tudo tem se tornado ainda mais complicado, depois do falecimento, suas únicas companhias são sua mãe e sua avó que mora do outro lado da rua. 

Com uma vida triste, solitária e uma inquietude fora do comum, Oskar preenche os dias com invenções inusitadas, cartas para cientistas incríveis e até mesmo com uma avó, uma mulher incrível por sinal. Eis que um belo dia, procurando por coisas que lembrem seu pai, o garoto derruba um vaso sem querer e encontra um envelope com uma chave, nele estava escrito somente Black, só isso, nenhuma pista. 


Oskar entende isso como um grande mistério que seu pai deixou para ele, e decide encontrar a fechadura para essa chave, começa procurando em sua casa e a chave não abre nada, o depósito de coisas do seu pai, nada, e então ele decide procurar por todas as pessoas de sobrenome Black que moram em Nova York, são inúmeras pessoas e isso é um trabalho que teoricamente levariam anos, mas quem se importa? Oskar não vai desistir disso, e é assim que acompanhamos a sua caminhada, encontrando pessoas diferentes, se esvaindo de seus medos, doando de si para compreender os outros. 

E então me perdi na leitura! De modo abrupto somos apresentados a outros dois personagens sem nem uma apresentação formal, somos jogados para a história dos avôs paternos de Oskar e apesar dessa maneira cruel, faz todo o sentido. Os avôs dele são sobreviventes de um bombardeio na Segunda Guerra Mundial, a história toda é bastante triste, cada qual contando a sua maneira e você demora para conectar os fios... Mas quando faz isso, é surpreendente.


Jonathan consegue com uma maestria surpreende, fazer com que nos apaixonemos por Oskar, um garoto diferente, com um modo de falar que reverbera a nossa fé na humanidade.

Me vi confusa quando iniciei a leitura, o livro é repleto de páginas com diálogos soltos, quase poéticos, fotografias, e as partes dos avôs ou Oskar não são bem explicadas, tudo isso você precisa descobrir sozinho e quando o faz... Meu caro, é surpreendente. Pensei em parar a leitura em muitos momentos, mas o autor soube perfeitamente amarrar tudinho e deixar o melhor para o final, o livro é denso, até você se acostumar com a escrita e os personagens é complicado, mas não me arrependo de nada. Extremamente Alto & Incrivelmente Perto é um desses livros em que vai se construindo dentro do seu peito, e quando você dá por si, ele já é seu coração por inteiro.
“O ser humano é o único animal que enrubesce, ri, tem religião, declara guerra e beija com os lábios. Por isso, de certo modo, quanto mais usar os lábios para beijar, mais humano você é.


Título: Extremamente Alto & Incrivelmente Perto
Autor: Jonathan Safran Foer
Editora: Rocco
Nº de Páginas: 392
Sinopse: "Nunca é possível reconhecer o último momento de felicidade que antecede uma tragédia. Seja ela o ataque às torres do World Trade Center, seja o cruel bombardeio aliado sobre Dresden, que arrasou a cidade e a população civil da histórica cidade alemã na Segunda Guerra Mundial. Portanto, dificilmente há tempo de verbalizar o amor que se sente pelas pessoas próximas que, por um golpe do destino, tornam-se distantes. Esta constatação e os dois acontecimentos históricos guiam 'Extremamente alto & incrivelmente perto'. O principal narrador do livro, Oskar, é um menino extremamente inteligente de 9 anos de idade, sofre com a morte do pai, uma das vítimas do ataque ao World Trade Center, que estava no local da tragédia por um mero acaso - uma reunião no Windows of the World, o restaurante no último andar de uma das torres."

RESENHA Em Algum Lugar nas Estrelas

13 de março de 2017



Oi gente, hoje vamos falar desse livro MARAVILHOSO, Em algum lugar nas estrelas. Eu já começo dizendo que esse livro me trouxe tantas sensações e experiências e pensamentos, que nem sei explicar tudo isso de maneira que eu não pareça um doido (risos).

Sem mais delongas, Em algum lugar nas estrelas vai nos contar a história de Jack Baker, um menino que recentemente perdeu a sua mãe, tem um pai ausente por ser capitão da marinha. Diante dessa situação, o pai não acostumado a ter um filho e não saber como lidar com isso, resolve então mandar Jack para um internato no Maine.

Um colégio militar só para meninos. Jack se vê isolado por não conhecer ninguém, e nem é da vontade dele estar ali, por ele, viveria com os avós, mas o pai preferiu assim e Jack não teve muita escolha. Tudo muda quando o garoto conhece Early Auden, um menino considerado estranho pelos outros garotos do colégio.

Early tem seu jeito excêntrico de ser. Ele é incrivelmente inteligente, sabe de muitas coisas (quando digo muitas, é muitas mesmo). Dificilmente alguém entra numa discussão com ele e sai ganhando, pois o menino tem argumentos sempre muito válidos e todos na ponta de sua língua. Early também tem uma regra de músicas para ouvir de acordo com cada dia da semana: Louis Armstrong às segundas; Sinatra às quartas; Glenn Miller às sextas; Mozart aos domingos e Billie Holiday sempre que estiver chovendo.

A amizade deles se torna definitivamente real quando chegam as festas de fim de ano e o pai de Jack não aparece para passar esse tempo de "férias" com o filho. O menino fica triste com o pai, e até muito bravo, afinal aquele seria seu suspiro de um lugar onde não quer ficar, e na primeira oportunidade o seu pai faz com que tudo isso vá por água abaixo.

Como Early é sozinho, sem pais, ele decide então fazer uma cruzada em busca do Urso Apalache, usando as estrelas e a história de PI como guias. Muito se deixa entendido sobre Early e sua saúde mental, já que o menino consegue ver cores, texturas, e até cheiros, nos números. Segundo ele, Pi é uma pessoa, que saiu de casa e se perdeu no caminho, e agora nessa aventura, os dois vão atrás de Pi.

“Encontrar o caminho não significa que você sempre sabe o que está fazendo. Saber encontrar o caminho de volta para casa é que é importante.”


O tempo todo da aventura dos dois, Jack dúvida das coisas que Early conta e em que acredita, mas isso vai mudando conforme os fatos vão se concretizando. Nessa aventura iremos encontrar piratas, seres fantásticos e outras coisas, por isso cuidado para não cair demais na fantasia.



Apesar de toda essa fantasia do livro, a verdade sempre está muito escancarada na nossa cara, a sutileza que autora nos leva nesse universo, é impressionante. Aos poucos ela vai te levando e te tocando e confesso que por vários momentos eu embarguei com aquele nó na garganta, muito antes de chegar ao fim do livro, pois já vou logo dizendo: Os tapas na cara são inevitáveis. O livro fala muito sobre amizade, fidelidade, amor, e quando você o termina, tudo fica diferente. Você se obriga a pensar nas coisas de outro modo, a tratar as pessoas de outra forma, a dar valor a tudo aquilo que possui.

Clare Vanderpool conquistou meu coração junto a Jack e Early, é um livro que eu recomendo muito a todos que desejam uma leitura saudável, com aventuras, risos (sim, eu ri muito com esses dois), choros, reflexões. Eu entendi que Em Algum Lugar nas Estrelas fala de amor, e esse livro estará para sempre no meu coração.

“Senti a inquietação crescer dentro de mim. Não queria ficar sozinho com a tristeza, a chuva e os fantasmas do passado. Sabia que seguiria Early onde quer que ele fosse. Ele pode se perder e me levar junto, mas é melhor do que ficar perdido e sozinho. Era o que eu pensava, pelo menos.”

Título: Em Algum Lugar nas Estrelas
Autor(a): Clare Vanderpool
Editora: Darkside
N° de Páginas: 284
Sinopse: "Em algum lugar nas estrelas é um romance intenso sobre a difícil arte de crescer em um mundo que nem sempre parece satisfeito com a nossa presença. Pelo menos é desse jeito que as coisas têm acontecido para Jack Baker. A Segunda Guerra Mundial estava no fim, mas ele não tinha motivos para comemorar. Sua mãe morreu e seu pai... bem, seu pai nunca demonstrou se preocupar muito com o filho. Jack é então levado para um internato no Maine. O colégio militar, o oceano que ele nunca tinha visto, a indiferença dos outros alunos: tudo aquilo faz Jack se sentir pequeno. Até ele conhecer o enigmático Early Auden."
Todos os direitos reservados 2019 |
Desenvolvimento por: Espalhando Bonitezas - Web Design
Para o topo!