Posts Recentes

RESENHA Peixe Fora D'água

11 de novembro de 2017

Solicitei esse livro achando que encontraria uma história fofa sobre superação e encontrei a minha meta de vida. Pra quem não sabe eu curso Letras, sou professora em formação e já estou atuando na área, é tudo bem diferente do que esperava e adivinha? Eu achei que teria controle em sala de aula, mas nem tudo sai como o esperado, muitas vezes me vi sem reação e Peixe fora D'água veio para me salvar, ensinar o que é ser um professor de verdade e a como despertar o melhor dos alunos, sem nunca deixar de acreditar em cada um deles, independente de qual seja o seu talento ou dificuldade, é espetacular.

Ally é uma garota diferente, ela é extremamente lenta para ler e escrever, se culpa o tempo todo por isso e se acha burra, acredita fielmente que sua capacidade intelectual depende dessas duas ações e se ela não é capaz de fazê-las com louvor, ela é burra, uma pena! Ally é talentosa em outros meios, como exatas e artes, mas ainda assim não parece ser suficiente, a garota sofre ataques de alunos maldosos, se diminui o tempo todo por conta de sua condição, tudo isso porque nunca encontrou alguém para encorajá-la, até chegar o Sr. Daniels...

Ele é o professor substituto e vai cuidar da turma de Ally por um tempo, nada de diferente, certo? Errado, Dani é o típico professor que marca a vida de qualquer aluno (pro lado bom, claro), ele é doce, carinhoso, encontra métodos para cativar cada criança, acredita no potencial de cada um e não desiste deles, em um hipótese alguma. Dani faz isso com tanta naturalidade que fica claro como ele nasceu para ser professor e como ensinar é um dom, não um ofício.

Aos poucos Ally vai se abrindo para ele e se permitindo, mostrando assim a sua dificuldade, ciente de que ele não é capaz de ajudá-la quando é o contrário que acontece. Ally não é nenhuma burra como imaginava, ela é especial e precisa de ensinamento diferenciado, mas nada disso compromete sua intelectualidade, ela só precisava de um pouquinho de amor! 

Desse modo, Ally que era uma garota sozinha acaba encontrando alguns amigos e percebe que não é a única diferente no mundo, o fato das pessoas não terem os mesmos problemas que você, não te torna diferenciada, mas ainda assim, a amizade que é semeada nesse livro é maravilhosa, doce e empática. 

Essa é uma obra maravilhosa e que deveria ser leitura obrigatória de cada professor em formação, terminei transformada e apaixonada, foi tudo doce, tocante e muito profundo. O bacana é saber que a história foi inspirada na vida da própria autora!
“A maior parte dos professores parece gostar que todos os alunos sejam iguais: perfeitos e quietinhos. O professor Daniels, na verdade, parece gostar que sejamos diferentes.”

Título: Peixe fora d'água
Autora: Lynda Mullaly Hunt
Editora: Rocco
Nº de Páginas: 262
Sinopse: "Todo mundo é inteligente de diferentes maneiras. Mas se você julgar um peixe pela sua habilidade de subir em árvores, ele passará a vida inteira se achando burro.” É exatamente assim, como um peixe fora d’água, que Ally se sente. A cada mudança de escola ela tenta disfarçar sua dificuldade para ler e sua inaptidão para se encaixar. Mas sua vida tem sido difícil. Até que um novo professor consegue enxergar a Ally brilhante e criativa que existe por trás da garota rotulada de lenta e difícil; e até que ela conhece Keisha, uma menina sem papas na língua, e Albert, um garoto obcecado por fatos e ciência. Conforme esses três deslocados começam a encontrar seu lugar, coisas surpreendentes acontecem na vida de Ally, Keisha e Albert. E de todos ao seu redor."

*Exemplar cedido em parceria com a editora.

RESENHA Lembra Aquela Vez


Esse é um dos títulos que tanto esperei pelo lançamento, Lembra aquela vez tem sido comentado por todos os booktuber que tanto amo e todas as pessoas envolvidas no meio da leitura na qual preso a opinião para saber se o livro me atrai. Pois bem, quando vi essa belezinha no catálogo da Rocco eu não pensei duas vezes em solicitar, o enredo me atraiu e decidi mergulhar nessa história.

Aaron é um garoto doce que sofre de alguma síndrome de azar, não é possível, a vida dele sempre consegue ficar um pouquinho pior do que se pode imaginar, seu pai cometeu suicídio tem algum tempo e isso o afetou diretamente, ele tentou também e não se orgulha nada disso, carregar esse fardo é tão doloroso que ele não consegue falar disso com ninguém. Ele não consegue falar sobre isso nem com sua namorada Genevieve que sinceramente... Essa garota tem a minha admiração! É uma das melhores personagens da trama, acontece que ela resolve viajar para um acampamento de Artes e nesse meio tempo Aaron conhece Thomas, um garoto especial em todos os sentidos.

Sinceramente, eu achei as primeiras páginas do livro um porre, tudo muito parado, muito bobo... Eu estava de fato desconfortável com tudo que acontecia na história porque me parecia que o autor escreveu aquilo sem se dar ao trabalho de deixar o leitor satisfeito com a leitura. A partir da página 80 as coisas começam a andar de fato, me atentei aos acontecimentos e dali em diante não larguei mais o livro, na verdade eu deixei ele de lado sim... Pra chorar, que livro devastador!

Em tempos como esse que estamos vivendo essa leitura é mais do que necessária, se você quer chorar por sentir a dor do outro, Adam Silvera vai te ensinar direitinho a como fazer isso. 

Em muitos momentos me vi desesperada, sem chão, quando eu imaginava saber qual caminho os personagens iriam seguir tudo mudava e meu coração ficava em pedacinhos, toda a crítica que fiz a respeito do início do livro se perdeu quando terminei, a intensidade das situações foi tamanha que você termina a leitura com ódio dessa sociedade e de como ela pode ser monstruosa quando qualquer coisa foge do tradicional.

Tentei não dar spoiler porque sei como cada detalhe nesse livro constrói um cenário surpreendente e que vai te deixar de coração apertado. Eu gostaria de levar Aaron comigo, guardá-lo em um lugar seguro, para sempre.

“A felicidade não deve ser tão difícil.”

 
Título: Lembra Aquela Vez
Autor: Adam Silvera
Editora: Rocco
Nº de Páginas: 336
Sinopse: "Finalista na categoria romance juvenil do Prêmio Lambda, o mais tradicional do segmento de literatura LGBT do mundo, e celebrado por veículos como The New York Times (“lindo romance de estreia”) e Chicago Tribune (“comovente”), entre outros, Lembra aquela vez conta a história de um garoto do Bronx (re)descobrindo sua sexualidade. Aos 16 anos, Aaron carrega no pulso uma cicatriz que registra a dor pelo suicídio do pai, mas, com o apoio da mãe e da namorada, Genevieve, está determinado a seguir em frente. Quando a garota viaja para um acampamento, porém, Aaron se aproxima de Thomas, e acaba encontrando nele mais do que um melhor amigo. Confuso, Aaron considera recorrer ao LETEO, um instituto que realiza procedimentos científicos para apagar memórias indesejáveis, na tentativa de esquecer lembranças ruins e, principalmente, quem ele é. Mas será possível encontrar a felicidade fugindo de si mesmo? Com uma narrativa pungente e sincera, Adam Silvera fala sobre bullying, homofobia, medo, incertezas, ética, amizade, amor, aceitação e a procura pela felicidade."
*Exemplar cedido em parceria com a editora.

RESENHA Quatro Soldados

8 de novembro de 2017


Quatro soldados irá nos levar a aventuras de quatro soldados (que estes não são x-men, nem muito menos os mosqueteiros haha). A história se passaa em 1754 no Brasil,  em Rio Pardo. Teremos quatro personagens e suas histórias estão interligadas, e isso é algo que nós vamos descobrindo conforme vamos lendo o livro.

Cada personagem possui sua "parte" no livro, que é como se fossem capítulos, ou contos, que narra a trama do personagem designado. Nosso cenário são as guerras guaraníticas. Com o apoio dos jesuítas, os indígenas lutam contra a investida espanhola de demarcar território e migrá-los para outro lugar.

O primeiro livro, por assim dizer, será narrada a história de Licurgo, um jovem ao qual foi designada a missão de descobrir o que há dentro de um forte espanhol que aparentemente se encontra abandonado.



                   

Obviamente que a resposta para o mistério não é algo óbvio como nós imaginamos, até porque as referências com o clássico O nome da rosa, estão muito presentes, e para quem gostou do tal, com certeza Quatro soldados vai te cativar.

Para mim o livro começou um tanto confuso, com o narrador tentando se apresentar e ao mesmo tempo não. A linguagem robusta ajudou um pouco na falta de interpretação, mas logo a trama toma um ritmo legal e começa a fluir muito melhor.


Falando da parte física, o livro é muito lindo. Páginas pretas no início de cada "livro", ilustrações artísticas no cabeçalho de cada parágrafo, mapas nas folhas de rostos, uma arte que me chamou muita a atenção. E sem falar na capa, que achei maravilhosa.   

“No caminho, perguntaram ao índio sobre o que sabia do entreposto espanhol. Miguel os olhava de modo desconfiado, como se a pergunta em si fosse absurda. Respondeu: o demônio, é claro. Contou que volta e meia alguém [...] tentava chegar ao entreposto atravessando o jardim, e todos sabiam que o encontrariam morto no dia seguinte, sem os pulmões.”  

      
Fora essa referência, teremos várias outras que integram a trama. Para quem gosta de aventura e mistério em um cenário Brasileiro, o que é bem peculiar já que não se vê falar muito sobre, Quatro soldados é um prato cheio. Uma trama que com certeza vai te levar a lugares e conhecer culturas que nunca imaginou conhecer.

Leitura super recomendada.


Título: Quatro Soldados
Autor (a): Samir Machado de Machado
Editora: ROCCO
Nº de Páginas: 320
Sinopse: "Nos últimos anos da guerra contra os índios e jesuítas, quatro jovens têm seus caminhos entrelaçados. Um alferes que, ainda adolescente, recebe seu primeiro comando, um rígido e melancólico capitão de cavalaria, um desertor que vive do contrabando de livros e um tenente de motivações sempre ambíguas. Em comum possuem a mesma inquietação com o papel que lhes é destinado no mundo, enquanto vão e vêm no espaço místico e nebuloso da fronteira brasileira no século XVIII. Entre labirintos perdidos e viagens subterrâneas, entre o Iluminismo e o Terremoto de Lisboa, nenhum deles, nem mesmo o narrador, consegue passar incólume. Talvez nem mesmo você."

RESENHA Do Outro Lado



Do outro lado é realmente um livro muito lindo e ao mesmo tempo marcante, a narrativa é bem jovial e fluída, o que faz com que a leitura seja rápida, mas não interfere na sua interpretação e nem no fato de correr demais e passar por detalhes despercebidos. 

A trama trata de um assunto delicado, colocando nossa protagonista em uma situação da qual ela e nem nós nunca imaginaríamos passar. 

Descobrir que ainda não é a sua hora pode parecer um choque, ainda mais quando percebe que tem de resolver as coisas pendentes aqui no nosso plano, como recuperar o seu verdadeiro amor, por exemplo. Mesmo sem saber que isso não é possível, a gente se coloca em posição do personagem e por muitas vezes imaginamos como seria para nós, caso isso acontecesse conosco. 
"Quando ela inclinou a cabeça, a imagem no espelho repetiu o gesto, e, quando ela sorriu com a súbita percepção de que esse reflexo era de fato o dela, a bela Evie de vinte e sete anos no dourado polido também sorriu."

Nossa protagonista tem total sanidade do motivo que a impede de seguir a sua vida, seus segredos jamais ditos e nunca mencionados pelo fato de não ter tido coragem de se livrar dos mesmos. Para poder continuar, Evie precisa ser forte e ter coragem para reviver aquilo de novo. É como se fosse uma ferida que necessita ser aberta novamente para ser fechada. 
“Sua alma está pesada demais para cruzar esta porta. Deixe o peso do mundo no mundo de outrora. Depois que ela estiver mais leve, sua chave vai virar, e o que você deseja acontecerá.”


Confesso que quando li a sinopse desse livro pela primeira vez, eu não sabia realmente o que esperar e nunca pensei que iria me emocionar tanto com essa história que apesar de pequena e leve, consegue nos tocar fundo, com seus ensinamentos, lições... Um livro que eu realmente recomendo para quem gosta de leituras rápidas e de refletir sobre a vida, sobre as coisas que realmente nos importam, sobre como lidar com as coisas antes de partir.

Leitura concluída com muita satisfação. 



Título: Do Outro Lado
Autor (a): Carrie Hope Fletcher
Editora: Fábrica 231 (Selo da Rocco)
Nº de páginas: 272
Sinopse: "Primeiro livro de ficção da jovem atriz, cantora e escritora britânica Carrie Hope Fletcher, que mantém um canal no youtube muito popular na Inglaterra. Do outro lado conta a emocionante jornada de Evie Snow, que morre aos 82 anos, serenamente e cercada pela família, mas descobre que ainda precisa acertar algumas contas com o passado para que sua alma consiga chegar ao Paraíso. Nesta espécie de segunda chance, Evie se vê aos 27 anos e sabe que precisa se livrar de culpas e segredos antes que seja tarde demais. Mas assim que começa a refazer a própria jornada, ela percebe que sabia pouco sobre a própria vida e que precisa recuperar o verdadeiro amor para encontrar a paz."

RESENHA Um Tom Mais Escuro de Magia

7 de novembro de 2017

Se você é o tipo de leitor que gosta de se aventurar em outros mundos e se jogar na fantasia, então esse livro é totalmente e 100% para você. Em Um tom mais escuro de magia, Victoria E. Schwab nos trás uma história emocionante onde nosso protagonista Kell vive viajando entre mundos paralelos de uma mesma Londres. Nesses mundos existem a Londres Negra, Branca, Cinza e a Vermelha, a qual Kell pertence.


Viajar por entre essas Londres não é permitido desde o que aconteceu na Londres Negra, exceto com o mandato do rei, e Kell é o último Antari (feiticeiro) a qual é permitido tal ato. Os vestígios do passado ninguém sabe, a única coisa que sabemos é que há magia envolvida, e não é magia das boas...
                                              

Por ter "passe livre" para viajar entre os mundos, Kell acaba contrabandeando coisas pertencentes às outras Londres, o que é totalmente errado, e é contrabandeando que ele acaba se metendo em uma enrascada que pode custar a sua vida, quando um objeto muito poderoso vai parar em suas mãos e tudo que ele tem de fazer é destruí-lo antes que cause mais danos. Mas obviamente que isso não acontece, se não, não teríamos uma trama não é mesmo? Haha.

E é exatamente nessa parte que aparece uma das personagens que eu mais amei conhecer, Delilah, ou como ela prefere ser chamada, Lila. Ela é uma mulher extremamente forte que se veste de homem, faz assaltos e é procurada (mas no livro seu auto retrato e identidades são todas no gênero masculino, já que ninguém desconfia que ele é na verdade, ela) por todo canto.

Ao se juntar com Kell, eles vão viver aventuras incríveis na tentativa de destruir o objeto que causou tantos danos, e é claro que não seria fácil, os desafios que eles enfrentam são cobertos por lutas, sangue, e morte (AMO).


Lila tem uma personalidade extremamente forte e um passado sombrio. Vivendo sozinha por aí, já enfrentou inúmeros confrontos, e a prática a levou a se tonar uma assassina nata e habilidosa. Um símbolo feminino de extrema sensatez, quebrando qualquer paradigma que a gente conhece.

Sem querer entregar mais da história, a resenha ficou um pouco breve, mas a intenção é exatamente de instigar o novo leitor a ler o livro e aproveitar cada pedacinho. Os capítulos são curtos, o que torna a leitura muito mais rápida mesmo com o livro tento mais de 400 páginas, o que não atrapalha em nada no desempenho da leitura. 

Super recomendado para quem gosta de ação, aventura, sangue e mortes, e para quem gosta de viajar na fantasia e deixar a mente te levar a lugares inimagináveis com situações inusitadas. Um tom mais escuro de magia entrou com certeza para a minha lista de favoritos, espero que gostem. 

Título: Um Tom Mais Escuro de Magia
Autor (a): V. E. Schwab
Editora: Record
Nº de Páginas: 418
Sinopse:"Entre em um universo de aventuras audaciosas, poder eletrizante e Londres múltiplas. Kell é um dos últimos Viajantes - magos com uma habilidade rara e cobiçada de viajar entre universos paralelos conectados por uma cidade mágica. Existe a Londres Cinza: suja e enfadonha, sem magia alguma e com um rei louco - George III. A Londres Vermelha: onde vida e magia são reverenciadas, e onde Kell foi criado ao lado de Rhy Maresh, o boêmio herdeiro de um império próspero. A Londres Branca: um lugar onde se luta para controlar a magia, e onde a magia reage, drenando a cidade até os ossos. E era uma vez... A Londres Negra. Mas ninguém mais fala sobre ela. Oficialmente, Kell é o Viajante Vermelho, embaixador do império Maresh, encarregado das correspondências mensais entre a realeza de cada Londres. Extra-oficialmente, Kell é um contrabandista, atendendo pessoas dispostas a pagar por mínimos vislumbres de um mundo que nunca verão. É um hobby desafiador com consequências perigosas que Kell agora conhecerá de perto. Fugindo para a Londres Cinza, Kell esbarra dom Delilah Bard, uma ladra com grandes aspirações. Primeiro ela o assalta, depois o salva de um inimigo mortal e finalmente obriga Kell a levá-la para outro mundo a fim de experimentar uma aventura de verdade. Magia perigosa está à solta e a tradição espreita em cada esquina. Para salvar todos os mundos, Kell e Lila primeiro precisam permanecer vivos."
Todos os direitos reservados 2019 |
Desenvolvimento por: Espalhando Bonitezas - Web Design
Para o topo!