Posts Recentes

RESENHA O Conto da Aia

3 de janeiro de 2018


Precisei de alguns dias para digerir a leitura desse livro e finalmente resenhá-lo, apesar de lê-lo após ver a série, o impacto não foi menor. Margaret Atwood certamente foi um dos grandes nomes do ano de 2017 e fez por merecer, com dois livros adaptados para séries, tudo conspira para que em 2018 ela se torne ainda maior. Podemos observar qual é a sua intenção em cada livro, se em Vulgo Grace (que inclusive já tem resenha, AQUI) a intenção era mostrar como mulheres eram tratadas no passado, em O conto da Aia a intenção é levar o leitor a refletir como as mulheres podem ser tratadas em um futuro não muito distante, e meus amigos... Que livro! 



Offred é uma Aia, basicamente ela é uma incubadora humana, é assim que as mulheres são tratadas nessa sociedade fundamentalista, cada mulher desempenha um papel e isso varia de acordo com o seu status. Offred é uma Aia então ela basicamente serve como meio de reprodução, sendo assim, cada família de bom poder aquisitivo possui uma Aia em casa, em determinados dias acontece o ritual onde Aia, esposa e marido se unem em uma sala, rezam e então fazem sexo com o único intuito de procriar. Se você acha que isso é indício para uma orgia está redondamente enganado, as Aias são colocadas entre as pernas das esposas, dessa forma estão "ligadas" e são uma só, então o marido tem a relação com a Aia, enquanto a esposa assiste, para que fique claro que o único motivo desse ritual todo é seguir o papel que Deus designou para cada um e para que assim novas crianças venham povoar a terra. 

Por mais assustador que isso tudo pareça, no decorrer do livro vamos entendendo o motivo para essa sociedade se encontrar nessa situação, após uma espécie de peste horrível, mulheres se tornaram inférteis, houve um golpe de governo e todos os direitos das mulheres foram retirados, por mais cruel que isso possa parecer aqui fica bem claro que se você quer tomar uma sociedade, comece congelando o seu dinheiro, deixando-os assim de mãos atadas. O que parecia ser uma medida de emergência logo mostrou-se ser um golpe onde um novo modelo de Estado foi implantado.


Nós não sabemos o nome verdadeiro de Offred, qualquer coisa sobre o seu passado não pode mais ser mencionado, as poucas pistas que temos são as que ela solta enquanto conta a sua história, desse modo sabemos que seu esposo conseguiu escapar e sua filha também, mas o mundo "antes" de tudo isso não pode mais existir, tanto é que seu nome é uma combinação com o dono da casa em que ela reside.

Acontece que de uma coisa sabemos muito bem, Offred é uma mulher forte, que apesar de ter se tornado uma escrava do seu país, jamais deixou de formular suas opiniões ou de sonhar com uma vida além disso, no início da leitura achei que ela fosse uma coitada que já havia aceitado as coisas, mas isso não acontece, ela é forte, destemida, questiona os direitos das mulheres e lança uma importante dúvida: Quando as mulheres deixaram de ser seres humanos e se tornaram incubadoras? E se você pensa que isso se restringe apenas ao livro, pense nas leis referentes ao aborto e veja como essa obra é atual.

É claro que há um romance no livro, obviamente Offred aos poucos vai ganhando a confiança do dono da casa, mas acho que o que de fato merece notoriedade no livro é a união das mulheres, as Aias nos centros de treinamento se ajudavam, após serem transferidas para casas ainda dão um jeito de criar uma rede de informações, tudo buscando mostrar que mesmo escondidas, elas ainda resistem.

Eu vi a série antes do livro e achei que isso fosse interferir minha leitura, que nada! A produção foi fiel ao livro e isso me deixou espantada, a atriz escolhida para interpretar a personagem principal tem um ar de mulher independente que corta o papel de submissa interpretado pelas Aias e mostra como o lugar da mulher é onde ela quiser! Uma obra pra lá de necessárias, cheia de citações que parecem socos no estômagos mas que nos deixam temerosos a respeito de por onde caminha a humanidade. 





Título: O Conto da Aia
Autora: Margaret Atwood
Editora: Rocco
Nº de Páginas: 368
Sinopse: "Escrito em 1985, o romance distópico O conto da aia, da canadense Margaret Atwood, tornou-se um dos livros mais comentados em todo o mundo nos últimos meses, voltando a ocupar posição de destaque nas listas do mais vendidos em diversos países. Além de ter inspirado a série homônima (The Handmaid’s Tale, no original) produzida pelo canal de streaming Hulu, o a ficção futurista de Atwood, ambientada num Estado teocrático e totalitário em que as mulheres são vítimas preferenciais de opressão, tornando-se propriedade do governo, e o fundamentalismo se fortalece como força política, ganhou status de oráculo dos EUA da era Trump. Em meio a todo este burburinho, O conto da aia volta às prateleiras com nova capa, assinada pelo artista Laurindo Feliciano."

*Exemplar cedido em parceria com a editora.
Todos os direitos reservados 2019 |
Desenvolvimento por: Suelen Marques - Web Design
Para o topo!