RESENHA Sem filtro

sexta-feira, 2 de março de 2018
Título: Sem filtro
Autora: Lily Collins
Editora: Galera Record
Nº de Páginas: 240
Sinopse: "Lily Collins — estrela de filmes como Instrumentos mortais, Espelho, espelho meu e Simplesmente acontece — estreia na literatura com um livro confissão; uma conversa entre amigas. Honesta. Sem filtro. Pela primeira vez, Lily fala da vida pessoal e confessa seus segredos mais bem guardados. Lily desnuda suas vulnerabilidades com uma coragem comovente, e lembra que a vida não é feita apenas de risos e um eterno alvorecer cor-de-rosa. Para cada alegria há, também, dor e desilusão; luz e trevas, como em qualquer trama bem urdida. Aceitação é a palavra mágica. Para Lily, olhar o espelho e gostar do que vê, fazer as pazes com você mesma é a chave para suportar os dias ruins. Embora o caminho para o amor-próprio possa ser sinuoso, a autora aprendeu que basta uma pessoa estender a mão, alguém tomar uma pequena atitude para todos os demais entenderem que não estão sozinhos. Engraçada e terna, a voz de Lily irá inspirar você a ser quem é e a sempre dizer o que sente. Chegou a hora de achar sua voz. E viver sua vida... plenamente."

*Livro cedido em parceria com a editora


 Eu sempre torci um pouquinho o nariz para autobiografias ou livros que falem sobre atores, nunca fui tão fã de alguém a ponto de querer saber absolutamente tudo sobre a vida da pessoa, mas a proposta do livro de Lily me encheu de ânimo, um relato pessoal a respeito de todas as suas fragilidades me parece um meio coerente de conhecer alguém, sabemos quem ela é, o que conquistou, onde chegou com o sucesso, mas e seus medos, suas dores, seus problemas? Com uma biografia bastante diferente, Sem filtro é uma maneira peculiar de provar como atores estão muito mais próximos dessa imperfeição humana que imaginamos.



 Conheci Lily em Simplesmente acontece, a adaptação de um dos meus filmes favoritos da vida foi muito bem feita e sua atuação foi digna de enaltecimento, a personagem era exatamente como imaginei, foi uma experiência sensacional, a partir disso comecei a vê-la com mais frequência, em filmes e séries, sua última atuação que fez sucesso foi O mínimo para viver, um filme sensacional da Netflix e que fala sobre distúrbios alimentares, só isso já é suficiente para nos atentarmos a esse relato, certo? Pois bem, Em Sem filtro Lily revela que também teve distúrbios alimentares e que não foi fácil se livrar disso, ter uma família por perto, alguém te amando e te acolhendo não era suficiente, Lily Collins sofreu por anos, grande parte disso é culpa de sua carreira como modelo e atriz que prega uma imagem perfeita da mulher na mídia, que veste determinado número de roupa e caso você não se encaixe nesse padrão, você é o erro.
 Fora isso encontramos na biografia alguns relatos fofos sobre o relacionamento com seus pais, a mãe incrível que ela teve e que sempre teve um modo bastante diferente de mostrar o mundo para a filha, tudo isso serviu como um alicerce bom o suficiente para moldar o caráter de Lily, uma pessoa sensata, e que não se deixa enganar pelo máscara da fama dos outros. 


 Um dos pontos que mais me tocou e que teve grande importância na obra é no que diz respeito à relacionamentos abusivos e como o vicio destruiu seus amores, quem vê ela toda doce e sorridente não imagina o quanto ela sofreu na mão de homens que faziam de tudo para manipulá-la, desde agressões psicológicas até as físicas, todos os relatos foram muito reais e em certo momento eu senti a falta de ar enquanto ela narrava uma discussão que praticamente foi estrangulada.
 Pela capa eu não daria nada por essa obra, muito menos pelas folhas brancas, mas ler esse relato me rejuvenesceu, me tornou ainda mais feminista do que sou e me fez criar uma espécie de sororidade pelas atrizes, elas não são perfeitas, muito pelo contrário, são mulheres frágeis e que sofreram muito para estar onde estão, Lily tem um espaço especial em meu top de filmes prediletos mas também ocupa um lugar saudoso em meu coração.


Então, obrigada a todas as pessoas que me colocaram em situações horríveis e me disseram não – isso tornou o sim muito melhor de ouvir.

32 comentários:

Karini Couto disse...

Como vai? Eu sou dessas que torço total o nariz para autobiografias, não leio! Já tentei uns e odiei.

Apesar de ter curtido sua resenha, ainda não tenho nesse tipo de leitura como algo de primeira escolha.

Mas os temas mencionados que o livro aborda são interessantes, como vícios e relacionamentos abusivos e realmente como diz o ditado: "Quem vê cara, não vê coração" - por mais que a pessoa carregue um sorriso no rosto e aparentemente passe "suave" por nós, por dentro pode estar em um turbilhão de emoções, problemas e afins.

Pela capa e por ser autobigrafia também nem chegaria a ler sequer a sinopse, mas é bom ler resenhas como a sua para quem sabe me motivar a sair da zona de conforto e me aventurar em gêneros e temas que não são rotineiros, pode ser que eu encontre coisas boas, como você encontrou.

www.alempaginas.com

Fernanda Barroso disse...

Olá!

Definitivamente eu não daria nada pelo livro lendo a sinopse e sabendo que é um relato de uma atriz mundialmente conhecida. Sério, sua resenha me fez ver o livro de outra forma e, apesar de eu não gostar muito de livros com um ar de "auto ajuda" ou mesmo "autobiografia", eu fiquei bem curiosa quanto a este livro. Ótima resenha!

Abraços

Dryh Meira disse...

Oiee ^^
Eu também me apaixonei pela Lily em Simplesmente Acontece, e depois de ver "O mínimo para viver", me tornei uma grande fã. Eu gostei bastante do livro, achei corajoso da parte dela desmascarar o que sempre achamos que se passa com gente famosa, que suas vidas são perfeitas e etc. Mas senti que faltou um desenvolvimento maior nessa profundidade, principalmente em relação aos relacionamentos abusivos dela e dos distúrbios :/
MilkMilks ♥

Estante da Kah disse...

Gente, como eu não sabia desse livro antes?
Eu sou apaixonada pelos filmes da Lily, Simplesmente acontece é o meu filme favorito. Já assisti mais de 20 vezes, sei as falas decoradas e mesmo assim, não enjoei.
Vou ver as condições de compra, realmente fiquei interessada
Beijoos

Milena Nones disse...

Olá!
Como eu não conheço ela, creio que a leitura não seria tão interessante para mim, mas não tenho dúvidas de que é uma excelente dica para quem curte e acompanha o trabalho da atriz. Parabéns pela resenha.
Beijos

Ana Caroline Santos disse...

Olá, tudo bem? Também não sou muito adepta a ler biografias, mas assim como você me apaixonei por ela em Simplesmente Acontece. Acho que seria uma leitura que faria com gosto, então vou tentar me desfazer desse pré-conceito com o gênero. Sua resenha está maravilhosa. Espero também gostar!
Beijos,
https://diariasleituras.blogspot.com.br/

Beatriz Andrade disse...

Eu gosto de biografias, mas depende muito da pessoa. Atores, cantores, youtuberes e afins nunca me despertaram interesse. Mas eu fiquei curiosa com esse livro, não sei se o leria, provavelmente não, mas achei interessante ver a sua opinião com a leitura.

Viviane Almeida disse...

Oi, tudo bem?
Eu gosto muito de biografias, mas as que eu tenho são de escritores e falam muito das suas obras, não tenho interesse em ler biografias de atores, acho que eles são muito superficiais..rss!

Beijos e Abraços VIVI
http://vickyalmeida.blogspot.com

D e s s a disse...

Sabe que eu também não curto muito livros que falam sobre as pessoas? Mas depois de saber um pouco mais sobre essa história, e o que a autora passou, fiquei comovida e com vontade de ler mais sobre a Lily. A acho uma excelente atriz, e realmente vendo ela, não pensamos por tudo que ela passou.
beijos
www.apenasumvicio.com

Ler, Resenhar e Postar disse...

Dentre todos os fatos eu nunca imaginaria que a atriz tivesse passado problemas com alimentação, pois recentemente vi um filme em que ela protagoniza na netflix e achei sensacional sua atuação, mas nunca suspeitaria que tivesse tanto dela na personagem. Já havia passado a admirá-la depois disso e agora a admiração só cresce. Também não curto muito biografias, mas essa me fez querer saber mais.

Parabéns pela resenha!

/Juliane
Ler, Resenhar e Postar

Mari disse...

Conhecia pouco da vida da atriz, mas pelo que li no seu post, o livro dela deve ser muito legal de ler, fiquei bem interessada para conhecê-la melhor.
Beijos
Mari
Pequenos Retalhos

Menino Livros disse...

Olá!
A primeira coisa que me chamou atenção foi a capa, muito linda. Já a conhecia nas telas e gostei de saber que ela escreveu um livro. Sobre o livro, gostei do tema é sobre o que ela falou. Sua resenha me deixou com vontade de ler. Parabéns pelo post.
Abraços.

Menino Livros, Haulisson.

Ritchelly Galani disse...

Olá! Confesso que também não sou muito chegada em biografias, mas essa parece ter um apegada diferente, na maioria das vezes só vemos livros biográficos contando sobre a carreira da pessoa e não simplesmente contando sobre a pessoa em si. A proposta é bem bacana mas eu não leria! A resenha também ficou muito show de bola e as fotos lindas demais!

Beijos,
Conta-se um Livro

Cabine de Leitura disse...

Eu leio autobiografia quando sou fã do autor e biográfias quando são de personagens históricos, então eu torço o nariz sim rsrs. Apesar de passar a dica,
eu gosto de saber que alguém com tamanha influência abordou questões familiares e relacionamentos abusivos.

Abraços.
https://cabinedeleitura0.blogspot.com.br/

Jéssica Melo disse...

Olá, eu não dou fá de biografia e nem autobiografia, mas seus comentários me deixaram um pouco curiosa para conhecer um pouco mais sobre a atriz, vou deixar anotado e quem sabe algum dia eu leia ele também =)

Grazi Souza disse...

Lily é uma das poucas atrizes da atualidade de quem eu leria uma biografia e ela parece bem interessante. Sem floreios ou enaltecimentos exagerados. Sem querer parecer melhor do que é. Gostei.

Tamires Marins disse...

Oi, Day

Eu não gosto de biografias, muito menos de autobiografias. Acho obras autobiográficas o cúmulo do narcisismo, é algo mais forte que eu! Hahahah
Eu realmente tenho interesse zero na vida alheia, não leria nem a autobiografia de um parente ou amigo pra te falar a verdade.
Mas acho legal o fato dela ter se aberto ao ponto de falar de coisas tão íntimas quanto seus distúrbios alimentares e relacionamentos abusivos. Às vezes as pessoas pensam que artistas não sofrem, né?

Beijos
- Tami
http://www.meuepilogo.com

Renata Souza disse...

Olá
Sou que nem você, não gosto de autobiografias, não tenho tanto interesse na vida pessoal de nenhum ídolo meu e por mais que eu tenha assistido alguns filmes bem legais com essa atriz eu ainda não consigo simpatizar com ela. Vou passar a dica.
Beijuh

Ivi Campos disse...

Eu só li e ouvi elogios para com este livro eu tenho que confessar que eu jamais o procuraria para ler se não fossem os comentários bons que tive acesso. Em função disso, quero ler também e me juntar o coro que tem promovido esta obra.

Bruna Costabeber disse...

Olá!
Assim como você, nunca fui muito de ler biografias, mas eu confesso que tenho vontade de ler essa, pois eu amo a Lily e acho que sua história precisa ser disseminada, sabe? Eu já dei uma pesquisada sobre o que ela passou ao longo da vida e confesso que me surpreendi por vê-la forte e sorrindo, mas isso é uma prova que nós podemos superar os acontecimentos terríveis da nossa vida.
Amei sua resenha e vou anotar a dica.
Beijos,
http://www.umoceanodehistorias.com/

Nilda de Souza disse...

Eu também torço a cara pra esse tipo de livro, principalmente se o ator/atriz for muito jovem. Acho que autobiografia só são interessante que se tem uma longa história de vida.
Bom, fato é que você gostou e isso é o que importa quando a gente ler um livro: tirar proveitos do conteúdo.

Beijos

Tay Meneses disse...

Essa obra me interessou bastante, justamente pela forma que ela aborda as coisas, a partir de fragilidades. Já havia lido a respeito, mas é a primeira vez que vejo uma resenha positiva a respeito, do tipo positiva mesmo e não aquele negativismo maquiado de positivismo. Mesmo outras resenhas não terem sido muito legais para com a obra me interessei em ler, pelo mesmo motivo que você se interessou. Não sei quando, mas logo quero ler essa obra.

#leitoraconectada

Jessie disse...

Oi oi!

Tudo bem? Eu gosto da Lily Collins e vi quando ela anunciou o livro (ano retrasado se não me engano!), mas nunca me interessei sabe? Eu sei que ela traz algumas coisas bem interessantes e aborda acontecimentos da sua vida de maneira muito tocante, vi algumas resenhas de Sem Filtro por aí e tal.

Mas a vida pessoal da Lily não me interessa a ponto de me fazer ler sabe? Não acompanho nem a carreira dela, acredito que o livro seja mais interessante para fãs.

Realmente falar sobre relacionamentos abusivos e vícios, ainda mais se tratando de uma obra de não-ficção, é algo que toca a gente mesmo né? Fico feliz que você tenha gostado da leitura, mas vou passar a dica.

Beijinhos
www.paraisoliterario.com

Aninha Goulart disse...

Oiiii,

Eu soy louca para ler este livro desde que vi ele no Instagram da Lily e descobri que ela falava realmente de tudo sem medos. Ela é uma garota que lutou muito pra chegar onde chegou e que passou por muitas coisas também. Apesar de não gostar de biografias eu fiquei muito curiosa pra ler a dela.

Beijinhos...
http://www.paraisoliterario.com

Dani Souza disse...

Oi.

Eu já tinha visto esse livro e resenhas dele, mas não tenho interesse. Não sou muito fã desse tipo de livros. Mas para quem curte parece ser bem legal, ainda mais pelas histórias dela.

Poesia na Alma disse...

Oi.
Até leio autobiografias, mas geralmente de quem acompanho o trabalho, como Cher, por exemplo. neste caso, não faço a mínima ideia de quem seja a atriz, mas que bom que a obra te ajudou a ser mais feminista é disso que precisamos.

kênia Cândido disse...

Olá, tudo bem?

O único trabalho que conheço da Lily Collins é no filme Instrumentos mortais e gostei bastante. Achei sua resenha interessante porque eu não sabia da existência deste livro. Vou anotar a dica será uma ótima oportunidade de conhecer melhor a Lily e seus objetivos.

Bjos

Livros & Tal disse...

Oie!
Nossa eu sou uma pessoa que normalmente passa longe de biografias, tenho um sério problema quanto a isso. Conheço a atriz pelos seus filmes, mas algumas coisas das quais você relatou na sua resenha eu não tinha ideia e confesso que estou um pouco chocada aqui.
Não vou dizer que é uma obra que eu leria agora, mas com certeza, é um caso para eu pensar em um futuro.

beijos,
Mayara

Aline Souza disse...

Nossa houve um tempo que lia diversas biografias, mas ultimamente não tenho lido tanto... Admiro muito a atriz e amo o papel feito por ela em simplesmente acontece. Não sei se leria o livro no momento, mas quem sabe um dia eu dê uma oportunidade.

Carolina Picasso disse...

Olá!
Sou apaixonada pelo trabalho dela. Assisti a muitos filmes com ela e assistirei aos muitos que ainda estão por vir e tenho muita curiosidade em ler o livro dela desde que vi o lançamento no exterior!
Adorei as frases das fotos que você escolheu para colocar no post.
Seu blog é lindo, parabéns pelo trabalho!
Beijos,
http://ofantasmaliterario.blogspot.com.br

Roberta Gouvêa disse...

Olá, tudo bem?
Eu ainda não sou a maior fã de biografias e autobiografias. Não que eu me negue a ler, mas sempre prefiro ler outro gênero. Além disso, não sou a maior fã da atriz. Então, esse não é o livro pra mim no momento. Beijos.

Bruno Marukesu disse...

Oi, Dayhara ^^
Também não sou adepto de autobiografias por acreditar que as pessoas serão tendenciosas em tocar somente em pontos da sua vida que lhe convém e que convenhamos será somente o ponto de vista dela, o que ela sentiu, mas não o que a outra pessoa que ela acusa/comenta pensou.
Concordo plenamente com você que é interessante ver uma pessoa da mídia além da ótima social, ler segredos que ela nunca quis espalhar numa TV FAMA afora, mas justamente por essa exposição por completo, esse tirar da pele que me incomoda em livros autobiográficos pois ela pode cometer um erro grave de interpretação e acabar destruindo amizades suas que jurou ser verdadeiras e que aguentariam tudo. Ninguém está disposto a se ver como vilão num relato, pelo menos é o que já percebi me baseando nos relatos ao meu redor de amigos.
Quando eu começar a ler biografias me atentarem àqueles que se foram pois numa biografia póstuma a pesquisa é detalhe e se procura vários pontos de vista de uma situação e não só do protagonista, sabe. Mas amei muito essa última frase que você compartilhou da Lily. Nunca tinha visto por esse prisma!!!
Foi interessante saber que ela possuiu distúrbio, vemos ela nas telas e não imaginamos que por trás de seus personagens a interprete está sujeita a dores, que não é forte como a imagem estereotipada que se tem dos atores e atrizes de Hollywood.
Parabéns pela resenha, viu.
Abraços.

Postar um comentário

 
© Uma dose de Cacto - janeiro/2016. Todos os direitos reservados.
Criado por: Dear Maidy. Tecnologia do Blogger.
imagem-logo