Posts Recentes

RESENHA O tipo certo de garota errada

30 de julho de 2018

Título: O tipo certo de garota errada
Autora: A. C. Meyer
Editora: Galera Record
Nº de Páginas: 280
Sinopse: "O início da vida adulta não é nada fácil. Principalmente se você não é exatamente aquele tipo certo de garota. Aquele que frequenta todas as aulas da faculdade que o pai escolheu e sabe o que quer. O orgulho do papai e da mamãe. Aquele tipo de garota com o cabelo perfeito e hábitos saudáveis. Malu não é nada disso. Por outro lado, ela vive plenamente, como se cada dia fosse o último, e nada parece abalar sua coragem e determinação. Em meio a um problemático relacionamento com os pais, ela começa a faculdade de Direito a contragosto e lá conhece Rafael. Rafa está terminando o curso e os dois se tornam inseparáveis. Mas é só amizade. Até outro sentimento começar a falar mais alto. Com a atração se tornando incontrolável Malu e Rafa se permitem viver uma relação sem compromissos: livre, mas ao mesmo tempo intensa e apaixonada. Até que o destino os coloca diante de uma armadilha cruel. Pode o amor ser mais forte que o medo de amar?"
*Livro cedido em parceria com a editora


Já tive algumas outras experiências com a autora e quando vi O tipo certo de garota errada figurando entre a lista de lançamentos da Galera Record, confesso que fiquei um pouquinho receosa, a última obra de A. C. Meyer que li foi Cadu e Mari, que você pode conferir a resenha AQUI e posso assegurar que teve mais pontos negativos do que positivos, a ideia foi ótima mas a execução em si deixou a desejar, e um pequeno erro na capa me deixou um tanto descontente, sendo assim, quando essa belezinha chegou em casa eu já fui sem muita expectativa e talvez essa tenha sido a melhor coisa que eu tenha feito. O que era pra ser um romance despretensioso se tornou um grande livro sobre amizade, amores e um grande aviso sobre se cuidar.


Malu sempre esteve no curso errado, ela segue o estereótipo de garota rebelde, com cabelos coloridos, roupas desleixadas e tatuagens, mas está cursando Direito, mais por pressão de sua família do que por desejo próprio. Logo no primeiro dia de aula ela conhece Rafa, um rapaz que está se formando já, mas isso pouco importa, eles se tornam amigos inseparáveis. Malu é extremamente infeliz mas procura não transparecer isso, sua grande paixão é pintar, mas ela esconde isso dos outros, seus pais nunca aceitariam, fora isso, Malu tem um ar bastante melancólico, sempre fuma e bebe demais, sua sorte é sempre ter Rafa por perto para cuidar dela, e falando em Rafa... Ele é um homem absolutamente gentil, companheiro, um baita amigo, não do tipo machista, que marca território, ele é do tipo irmãozão, que protege o quanto pode, chega a ser fofo. Acontece que Malu segue infeliz, Rafa se aproxima mais ainda devido a isso e acaba descobrindo o talento da garota para a arte, imediatamente ele procura a opinião de uma profissional e adivinha? Malu passa a ser um verdadeiro sucesso no mundo das artes, com direito a exposição e tudo, diante disso ela é impulsionada pelo colega e pelos acontecimentos a contar para os pais que seu grande sonho é sair do curso de Direito e pintar, porque é o que ama fazer. 

Quando ela conta isso aos familiares, a resposta não poderia ser pior, a violência física e psicológica de seu pai é absurda e nesse momento você sente vontade de guardar a personagem em um potinho, ela é expulsa do apartamento em que morava e com a ajuda de Rafa e o sucesso das vendas dos quadros resolve viver de maneira independente e cortar relações com a família.

Desse modo, Malu se muda, passa a morar em um local em que ela pode pagar, vive para pintar e por conta de sua fragilidade emocional se aproxima mais de Rafa, a conexão entre os dois é imediata, você os vê como um casal o tempo todo, mas a personagem insiste em dizer que não acredita em amor e o mocinho segue dizendo que não quer um relacionamento sério, é como se os dois quisessem lutar contra uma força que é infinitamente maior que eles. Mas ainda assim, resolvem tirar proveito da situação, eles se tornam amigos coloridos, que ocasionalmente transam, mas que nunca terão um relacionamento sério, duas pessoas que na real se amam, poderiam procurar um caminho mais torto que esse?

É nesse momento que eu resolvo colocar meus dedinhos nervosos em ação e fazer algumas críticas, Malu é uma personagem rica, ela tem profundidade demais, mas no que diz respeito à amor, ela segue uma filosofia tão clichê que me fez revirar os olhos, ela não acredita em amor, acha que é coisa de gente que quer se machucar e afirma isso de maneira tão imatura que cansa, no que diz respeito ao relacionamento com Rafa, ele sempre foi muito sincero com ela, obviamente ele começa se apaixonar e não percebe, e ver duas pessoas que se amam, negando isso chega a ser ridículo. A impressão que tive é que não eram dois adultos em uma relação, e sim dois adolescentes que não se resolviam sobre quem ia dar o braço a torcer primeiro. 

Pois bem, o livro tinha tudo pra me fazer odiar a história, mas a narrativa começa com Malu no hospital e eu decidi terminar porque estava curiosa demais pra saber o motivo, óbvio que não vou revelar aqui, só posso dizer que vale a pena, salvou a história todinha e me arrancou tantas lágrimas porque eu estava com medo do que poderia acontecer... A guinada nessa história acontece de maneira inexplicável e foge de tudo que eu esperava, ainda assim, é bastante coerente e faz todo o sentido para o enredo, nesse momento eu percebi o quanto Meyer pesquisou sobre o assunto. Outros personagens tem certo espaço na história, como a vizinha de Malu e os amigos de Rafa, mas não se engane, essa é uma história sobre amor, mas que foca na amizade, acima de tudo.


Fica a minha recomendação dessa obra que tinha tudo pra me fazer desistir, mas me comoveu de tal forma que me desarmei todinha e desabei chorando, uma história curtinha mas com o final forte, A. C. Meyer soube como me conquistar como leitora.
“Mas sempre fui a ovelha negra, aquela que tinha os cabelos coloridos e gostava de chocar. Que fuma, bebe, fala palavrão e gosta de curtir as coisas boas da vida. O tipo certo de garota errada. Aquela que nenhuma mãe iria querer como nora, e que os garotos normalmente não levam para casa, para apresentar aos pais.”

Comentários
30 Comentários

30 comentários :

  1. Fui conquistado!
    Aparentemente foge um pouco do que tenho lido, a começar pela personagem que não "obedeceria ao padrão" de um estudante de direito, mas isso não é nenhum ponto negativo, pelo contrário, acredito que tenhamos tantos excelentes profissionais que não andam engravatados.
    A história de amor que se desenrolará promete muitas surpresas, um conpletamente apaixonado e a outra sempre receosa pelas feridas, será legal acompanhar o desenvolvimento. Sem dizer que esse ar de mistério que você deixou aumentou minhas expectativas hehe
    Ótima opção!
    Abraços ��

    ResponderExcluir
  2. Violência partindo de família é sempre uma dor sem fim, o preconceito do pai dela me assustou. Entendo um pouco os dramas da personagem por que minha família não aceita bem o meu trabalho.
    É um livro que me parece duro de ler, mas ela tem o apoio de Rafa e isso é um fôlego que ela precisa

    ResponderExcluir
  3. Nunca li nada da autora e não conhecia esse livro. Mas deu pra sentir que apesar da sinopse não entregar TANTO da história, ela parece ser bem intensa. Ainda mais essa relação com a família =/

    Sai da Minha Lente

    ResponderExcluir
  4. Infelizmente esse enredo não funcionaria para mim, os pontos negativos que ressaltou realmente são gritantes ao meu ver, fora essa vida sem compromissos, numa amizade de fachada enquanto há outros sentimentos aflorando. Estou numa fase onde gosto mais de personagens mais maduros e outros tipos de conflitos. Mas sempre é bom ficar por dentro de novos lançamentos, ainda mais da Record. Beijos

    Nara Dias
    Viagens de Papel

    ResponderExcluir
  5. Oh! Sua resenha me surpreendeu!
    Eu estava como você, sem muitas expectativas em relação ao livro justamente por causa de outras obras da autora.
    E agora vendo sua resenha positiva, quero dar uma chance e adoro romances e esses q tem reviravoltas surpreendentes sempre me encantam mais.
    A capa ficou lindona!

    ResponderExcluir
  6. Oi Dayh, que história profunda, eu não esperava isso, até pela capa que contra outra coisa. Já tinha visto o livro quando anunciaram o lançamento e eu não esperava este drama interno e familiar tão intensos. Tua resenha ficou ótima e me deixou com vontade de ler. Dica anotada.
    Bjos
    Vivi
    http://duaslivreiras.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  7. Olá,
    Eu só li um livro da A.C. Mayer e gostei bastante da escrita dela, mais não dei continuidade para a serie e esse livro me deixou curiosa vou anotar a dica

    ResponderExcluir
  8. Olá!
    Eu adoro a escrita da AC Meyer e estou curiosa pra conhecer essa leitura. Pelo que pude perceber nessa história temos mais pontos dramáticos e como fã de histórias que envolve núcleos familiares, certamente tem tudo pra me ganhar.
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  9. Olá, tudo bem?
    Eu ainda não li nada dessa autora, mas tenho muita vontade de ler. Fiquei muito contente por saber que esse livro tinha tudo para você odiar, mas que, graças a sua insistência, a leitura ter valido à pena. eu fiquei curiosa para saber porque a Malu estava no hospital e vou me arriscar em ler.
    Beijos

    ResponderExcluir
  10. Oi Day! Comecei a resenha também revirando os olhos pelo tipo de história que achei que seria, mas fui lendo e confesso que gostei muito da premissa. Saber que você gostou tanto e que ficou tão emocionada me deixa curiosa de verdade pra ler. Obrigada pela resenha!

    Bjoxx ~ www.stalker-literaria.com

    ResponderExcluir
  11. Olha... Apesar de toda a emoção que você mostrou nessa resenha, não sei bem se é o tipo de livro para mim! Sou formada em Direito e fico muito chateada de ver esse clichê de "estudo Direito porque minha família me obriga"!! Eu sei que o foco da história não é esse e nem nada do tipo, mas já pego birra de ver essas coisas e nem quero ler o livro!! É por causa desse tipo de ideia errada que as pessoas tem tanto preconceito da nossa carreira! Porque ninguém é forçado a fazer medicina, engenharia, marketing... É sempre o coitado do Direito que é mostrado como algo duro, chato e careta!!
    Beijos
    Camis - blog Leitora Compulsiva

    ResponderExcluir
  12. Olá, que bom saber que esse livro conseguiu te emocionar e que te agradou bem mais do que o outro que leu da autora, agora fiquei curiosa para conferir a história também.

    ResponderExcluir
  13. Olá! Acho que não cheguei a ler nada da autora ainda, então nem sei o que esperar, mas uma coisa que aprendi é sempre tentar ler um livro de um autor que conhecemos sem expectativas elevadas. Nem sempre conseguimos, né?
    Esse livro está na minha lista de desejados já há algum tempo, apesar de a premissa ter parecido clichê (o que já não tenho mais certeza depois da sua resenha) eu senti que iria gostar... Gosto de clichê kkk
    Amei a resenha e sua sinceridade.

    Abraços

    ResponderExcluir
  14. Olá!
    Que bom que vc curtiu a história! Eu não me senti muito atraída pela trama, me deu a impressão de "já vi isso antes" - e não me incomodaria com isso, mas nesse caso não vi algo que talvez diferenciasse de outras histórias semelhantes.
    Mas de repente eu posso dar uma chance à história e me surpreender positivamente, como você.
    Bjs
    Lucy - Por essas páginas

    ResponderExcluir
  15. Que bacana sua resenha!
    Nunca i nada da autora, mas tenho um livro dela (Louca por Você, que ganhei há séculos e até hoje não li). Fico feliz em saber que foi surpreendida e que o livro acabou sendo muito mais do que imaginava. Muitas vezes é melhor despir a danada da expectativa e ler sem esperar muito do livro, sempre funciona comigo quando estou meio pé atrás com determinada história.
    Não vou dizer que tenho vontade de ler, porque estaria mentindo. Mas caso um dia sinta vontade, espero poder gostar.
    Beijos

    ResponderExcluir
  16. Oi Day, é ótimo quando iniciamos uma leitura sem grandes expectativas e ela nos surpreende, amei saber que é uma trama que envolve além do romance, uma história sobre amizade, amores e um grande aviso sobre se cuidar. Dica mais que anotada e se der comprarei na Bienal.

    Bjo
    Tânia Bueno

    ResponderExcluir
  17. Que bom que a Meyer te conquistou como leitora, já li um livro dela e ela tem esse dom de conquistar mesmo, não conhecia O tipo certo de garota errada, mas o título já é bem curioso, espero me encantar tanto quanto você.

    ResponderExcluir
  18. Olá tudo bem?
    Eu sou suspeita para falar, pois A.C.Meyer é minha diva. A série After Dark dela é minha queridinha. Por ser fã, já sabia que iria gostar do livro dela, mas acabo de ser surpreendida. Pensei que seria um romance com uma pitada de drama, mas pelo visto a autora guardou uma surpresa. E agora estou mega, hiper curiosa para saber que tema foi esse que ela pesquisou e desenvolveu muito bem. E se você que não estava gostando terminou em prantos, eu que sou uma manteiga derretida, vou me acabar, risos.. Adorei sua resenha e agora estou super ansiosa para ler.
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  19. Oiiii,

    Achei essa capa absurda de linda, diferente da maioria que tem rosto que a gente vê por aí e gostei bastante do conjunto. Você tinha me ganhado até quado disse que a maneira como os personagens lidam com o amor que sentem chega a ser imaturo, porque eu acho que era algo que iria me i como dar bastante no decorrer da leitura. De toda forma eu anotei a dica e quando estiver com espírito para aguentar as imaturidade com toda a certeza pegarei para ler.

    Beijinhos...
    http://www.paraisoliterario.com

    ResponderExcluir
  20. Olá, já tinha ouvido levemente falar sobre esse livro mas sua resenha me trouxe informações bem completas sobte o entedo, personagens e a leitura em si.. amei conhecer mais do lovro por aqui mesmo não sendo o tipo de leitura que eu goste achei uma dica valida! Obrigada!

    Beijos

    ResponderExcluir
  21. Eu ainda acho que este livro tem coisas que eu não ia gostar hahahaha. Ainda não fiquei muito convencida da escrita da autora, já li algo dela mas não gostei muito. Gostei dos pontos que você citou na sua resenha, mas eu ainda não acho que seja para mim.

    Debyh
    Eu Insisto

    ResponderExcluir
  22. Olá, tudo bem? Nunca li nada da autora, mas sempre tive enormes curiosidades por sempre falarem bem da escrita dela. Não sabia que você já tinha resenhado um livro anterior, mas irei lá conferir a opinião. Das obras dela essa é a que me chama mais atenção e pretendo dar uma chance. Adorei!
    Beijos,
    http://diariasleituras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  23. Oie, tudo bom?
    Achei bemm clichê a história, haha. Uma garota contra os pais, um sonho de ser algo, a relutância em se apaixonar... mais do mesmo, né? Passo a dica dessa vez, apesar de ter ficado curiosa sobre o porquê drla ter ido para o hospital!

    ResponderExcluir
  24. Olá
    Ai eu não sou muito fã dessas histórias de garota rebelde e tals e mesmo com essa resenha maravilhosa não fiquei com vontade de ler essa obra. Livro com esse tema não são minha praia.
    Beijuh

    ResponderExcluir
  25. Oi!
    Não li o livro ainda, mas sempre tive muita vontade de ler algo da autora, em função dos comentários positivos sobre ela. A proposta do livro me agradou bastante e sua resenha me deixou curiosa. Vou colocar na minha listinha!

    ResponderExcluir
  26. Nunca li nada da autora, embora tenha uma obra dela aqui anotada para ler futuramente. Gostei de suas impressões e do enredo. Gostei também de saber das partes que possivelmente poderão me irritar e de saber que ai da assim a obra vale a pena ser lida. Vou anotar mais essa sua dica de leitura! Bexus @prefirolercomcalma

    ResponderExcluir
  27. Eu gostei da premissa e tenho curiosidade para ler algo da autora, mas um detalhe na sua resenha me deixou apreensiva que foi essa questão da protagonista se esquivar do amor de maneira clichê. Não sei se terei paciência com ela... rs
    Beijos

    ResponderExcluir
  28. Olá, tudo bom?
    Eis um ponto que me desanima: a autora cria uma personagem incrível, complexa e bem construída, mas coloca uma característica tão infantil que destoa com todo o resto >< Fico chateada com isso! rs No entanto, como fiquei muito curiosa para saber o que aconteceu pra ela começar o livro no hospital, eu quero ler! rs Acho que nesse caso a curiosidade vai falar mais alto. rs Ótima resenha!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  29. Ola!
    Essa é a primeira resenha que eu leio desse livro e minha nossa, confesso que eu estou de boca aberta aqui. O que aconteceu? Por que ela está no hospital? Por que chorou dessa forma? Deusssss agora eu quero ler! hahaha

    beijos

    ResponderExcluir
  30. Olá,
    Lendo tua resenha estava achando a personagem até bem desenvolvida, mas algumas características que você citou dela, me deixou bem ressabiado quanto eu gostaria de acompanhar ela durante a narrativa, pois acho que algumas atitudes da mesma me afastariam dela.

    ResponderExcluir

Todos os direitos reservados 2019 |
Desenvolvimento por: Espalhando Bonitezas - Web Design
Para o topo!