RESENHA Sorte Grande

quinta-feira, 5 de julho de 2018
Título: Sorte Grande
Autora: Jennifer E. Smith
Editora: Galera Record
Nº de Páginas: 384
Sinopse: "Desde que perdeu os pais, Alice não acredita na sorte. Mas ela acredita no amor. De seus tios, de seu primo Leo, de seu melhor amigo, Teddy. Quando precisa decidir o que dar a Teddy em seu aniversário de 18 anos, a ideia parece chegar naturalmente: um bilhete de loteria. Com todos os números importantes para ambos: número dos anos que estiveram juntos, datas importantes e endereços marcantes. Quando a combinação se prova vencedora e o menino ganha quase 150 milhões de dólares, os dois se envolvem em um redemoinho de loucuras juvenis, interesseiros e sonhos de infância realizados. Tudo estaria perfeito, não fosse um beijo trocado no auge das comemorações. Um beijo que mudaria tudo. Mas o dinheiro não pode comprar o amor. Mas será que pode dar uma ajudinha?"
*Livro cedido em parceria com a editora




 “O amor é como a loteria”, um imprevisto, um prêmio, uma sorte grande. Mas, o que de fato é a sorte? Destino ou simples obra do acaso? “Sorte grande” é um romance que vai mexer com a nossa concepção do significado de sorte, do que ela realmente quer dizer, e, ainda, se ela quer dizer alguma coisa.


Primeiramente, eu simplesmente a-m-e-i esse romance, é de uma leitura muito fácil e gostosa, me deixei levar por essa história tão amorzinho, mas por outro lado com um plano de fundo tão triste. Segundo, penso que Sawyer poderia ter tido um pouco mais de destaque na narrativa, mas, né, choices. Alice é a narradora de sua própria história, uma garota de 18 anos que está em seu último ano do colegial, tem dois melhores amigos, Leo e Teddy, mora em Chicago e é órfã. Seus pais morreram com 13 meses de diferença entre um e outro quando Alice era criança, e tal acontecimento fez sua vida transformar-se totalmente: teve de mudar-se da Califórnia para Chicago, na casa de seus tios, Jake e Sofia, e seu primo Leo. Eram verdadeiramente uma família feliz, que se amavam independente de qualquer coisa, mas as lembranças do passado e da vida antiga pareciam continuar bem ali, em Alice, o que a fez perder a fé no mundo e nas coisas que o regem. Como esperar algo depois da abrupta morte de seus pais? Como acreditar na sorte quando o que de mais valor que se tinha foi arrancado de você? E como acreditar no amor quando o homem que você ama não te ama de volta? Bem, como todo – ou quase todo – romance, há uma história de amor. E a de Alice é seu amor de anos por Teddy, seu grande amigo. Teddy não tinha nada de especial, tanto exterior, quanto interiormente. Alice apenas o amava. Talvez por fazer parte de sua história e constituir quem ela é hoje, participando de cada momento desde sua mudança para a casa de seus tios; talvez pela identificação com ele, que, de certo modo, também havia perdido o pai; talvez ambas as coisas. Na linha tênue entre amizade e amor, entre carinho e desejo, a amizade poderia se destruir com um simples “eu te amo” dito fora do contexto, e Alice não se arriscaria a perder mais alguém, ainda mais porque a amizade entre eles – e Leo – sempre fora tranquila. Pelo menos até o dia em que Alice resolve dar um presente de aniversário um tanto peculiar a Teddy: um bilhete de loteria. Esse presente seria o pior dos presentes se não fosse pelo fato do bilhete comprado ter sido vencedor do prêmio de milhões de reais, e aquele dinheiro definitivamente mudaria a vida de todos. E Alice detestava mudanças.

Identifiquei-me muito com a história em certos pontos, como a morte de sua mãe e sua desesperança no mundo, que vai sendo mudada ao decorrer do romance, assim como creio que aconteça ao decorrer da vida, as coisas são completamente repletas de mudanças, absolutamente nada permanece igual e precisamos aceitar isso. Eu gostei muito de como a sorte é tratada, como algo que apesar de independer de nossa vontade, tem muito a ver com nossas escolhas e com as escolhas das pessoas que nos cercam e sobre como essa sorte é relativa. Alice teve sorte em poder se encontrar novamente em uma família em que todos a amavam, teve sorte em poder ter os melhores amigos que se poderia ter e teve muito sorte em ser quem ela é, pois, sim, ela tem muita sorte em ser alguém com uma força e um coração imenso. O barato da sorte é descobrir – ou perceber – que ela se encontra em cada um de nós, nas pequenas coisas que nos fazem querer viver. A sorte pode estar em um grande prêmio em dinheiro, trazido por um simples bilhete de loteria. Ou talvez a sorte esteja em enxergar que a verdadeira sorte está bem em nossa frente, em forma de pessoas e pequenos grandes momentos.


– Bem, sempre foi difícil saber o que você quer – explica ele, e eu sorrio, porque tudo que realmente quis foi isso: família e amigos, segurança e amor, o sol entrando pelas janelas em uma manhã de sábado. Só isso.

20 comentários:

Clayci disse...

Eu achei a capa desse livro tão linda quando o vi pela primeira vez. Mas não corri atrás para saber do que se tratava. A sua resenha foi a primeira que li e sinto que iria gostar da leitura. Mais um livro para aquela lista que nunca acaba hahahaha.. quero ler.. <3

Sai da Minha Lente

Aline M. Oliveira disse...

Oi Day! Imagine você, comprar um bilhete de loteria pra dar pra alguém e esse bilhete é premiado? Loucura! Gostei muito da premissa da história, por também me identificar com as perdas da personagem. Perdi minha mãe aos dois anos, então sei bem as mudanças e a barra que é você achar que não tem sorte por perder o de mais importante na vida. Gostei de como a autora soube usar essa perda pra inserir outro tipo de amor e cuidado, e outro tio de sorte também, como você disse, talvez a sorte esteja ao nosso redor, na forma de nosso amigos e família, e a sorte maior seria reconhecer isso. Obrigada pela dica!


Bjoxx ~ www.stalker-literaria.com

Tamara Padilha disse...

Oi, eu gosto dos livros dessa autora, ou melhor, li um e gostei muito. Parece um livro bem interessante e fiquei curiosa para conhecer essa personagem e a sua vida que não parece ter sido nada fácil.

Bruna Costabeber disse...

Oi, Day, tudo bem?
Tu ainda não tinha lido nenhuma resenha desse livro, mas me encantei com suas impressões e com a forma como o leitor parece se encantar com esses personagens e com a história. Outra coisa que curti foi como a sorte é trabalhada nesse livro.
Vou anotar a dica desse livro.
Beijos

Viviane disse...

Olá Dayara, tudo bem? Eu nunca acreditei em sorte e sim, que conseguimos as coisa conforme as nossas atitudes, se fizemos os bem para os outros o bem voltará para nós, mesmo que demore um pouco..rs! Eu gosto muito da maneira como expõe a sua opinião nas resenhas, deixando sempre claro que é o SEU pensamento e esse livro parece que mexeu com os seus sentimentos porque a resenha ficou muito linda.

Beijos e Abraços Vivi
Resenhas da Viviane

Sara Kerolen disse...

oii tudo bem ?
eu já tinha visto esse livro por ai apesar de ter achado a capa bem bonita de primeira ele não tinha me chamado atenção mais depois da sua resenha me deu uma curiosidade em conhecer a obra irei ler ela em breve obrigado pela dica :)

cris disse...

Oi tudo bem? Amei a capa, parece um enredo interessante, não conhecia o livro e nem a autora, foi emocionante ler sua resenha muito bem explicada, fiquei curiosa sobre o livro e como desenrola a história. Parabéns pela resenha, obrigado pela dica. Bjs!

Debyh disse...

Olá,
Eu gosto de como os livros desta autora sempre trazem algum tipo de mensagem importante. E gostei de como você enxergou isto quanto a sorte dela, parece um livro muito bom mesmo.

Debyh
Eu Insisto

Beatriz Andrade disse...

Eu acho a capa desse livro tão simples, mas tão bonita! Eu gostei bastante da sua resenha, me parece ser uma boa leitura e fiquei curiosa com o livro.

Fabrica dos Convites disse...

Achei a capa do livro bem bonita mas o enredo ensina Me interessou muito não. mesmo depois de ler a resenha ainda continuo sem interesse, uma o
Bjs Rose

Ju disse...

Adorei isso que você disse no final, que a sorte pode estar na forma de presença de pessoas e em pequenos grandes momentos. Muita gente realmente não percebe a sorte que tem. Adorei a premissa do livro e fiquei bem interessada na leitura.

Jéssica Melo disse...

Olá, eu não conhecia esse livro, mas pelos seus comentários parece ser uma leitura bem gostosa e com uma reflexão bacana *-* Dica anotada.

Bruna Eduarda disse...

Olá! Tudo bom?

Acredito que já vi essa capa em algum lugar, porém não sabia do que se tratava o livro. Aparenta ser um livro bem bonito e tocante, principalmente com o modo que a sorte é retratada na obra. Confesso que fiquei bem curiosa e definitivamente o leria caso tivesse a oportunidade . Adorei a resenha ♥

beijos

Book Obsession disse...

Olá!
Esse livro está na minha lista de leituras e amei conhecer mais do enredo através das suas impressões.
Fiquei com a sensação de ser um livro ao mesmo tempo leve e intenso, com boas reflexões sobre a vida e sobre as pessoas que temos perto, assim como o tempo que elas estão conosco.
Agora fiquei ainda mais curiosa!
Beijos!

Camila de Moraes

Carol Oliveira disse...

Oie!
Eu já tinha visto a capa desse livro por ai mas nunca liguei o nome da autora ao livro e nem li sinopse nem nada. Sua resenha me apresentou o livro e agora quero ler ele!
Comofaz com os 62838292 livros que tem na frente?

Ótima resenha!

Beijos
Carol
www.thereviewbooks.com.br

Lara Xavier disse...

Olá
Eu já queria ler esse livro antes agora a minha expectativa esta muito alta em relação ao livro. Espero não me decepcionar com a leitura

Livros & Tal disse...

Olá, tudo bem?

Apesar da parte que me parece "engraçada" de ganhar na loteria e tal, fiquei com a sensação de que esse livro faz o leitor refletir bastante. A questão da morte dos pais da garota, assunto complicado, mas muito importante de ser abordado, de forma correta, é claro. Não conhecia o livro, mas fiquei curiosa.

Beijo!
Ana Luz.

Lucy disse...

Olá! Parece ser uma história bem gostosa de se ler, já fui assuntar preços. hahahah
Gostei mto da resenha e da sensação que vc teve com a leitura, acho q vou curtir horrores.
Bjs
Lucy - Por essas páginas

Dani Souza disse...

Oi.

Estou com esse livro preste a iniciar a leitura. Já li outros livros da autora e gosto muito dos livros dela. Ela tem uma ótima escrita e a narrativa de seus livros são sempre encantadores. Estou bem curiosa com relação a esse livro e querendo muito gostar da leitura.

Tahis Aguiar disse...

Olá!
Segunda resenha que leio desse livro e só aumenta a minha curiosidade de conferir essa história que tem tudo para me agradar. Engraçado que não vi muitas divulgações sobre esse livro, mas adorei conhecer e já quero conferir. ótima resenha, só me deixou mais animada pela leitura.

beijos!
https://blogminhaestanteliteraria.blogspot.com/

Postar um comentário

 
© Uma dose de Cacto - janeiro/2016. Todos os direitos reservados.
Criado por: Dear Maidy. Tecnologia do Blogger.
imagem-logo