RESENHA O auto da Compadecida

sexta-feira, 6 de julho de 2018
Título: O auto da compadecida
Autor: Ariano Suassuna
Editora: Nova fronteira
Nº de Páginas: 280
Sinopse: "O 'Auto da Compadecida' consegue o equilíbrio perfeito entre a tradição popular e a elaboração literária ao recriar para o teatro episódios registrados na tradição popular do cordel. É uma peça teatral em forma de Auto em 3 atos, escrita em 1955 pelo autor paraibano Ariano Suassuna. Sendo um drama do Nordeste brasileiro, mescla elementos como a tradição da literatura de cordel, a comédia, traços do barroco católico brasileiro e, ainda, cultura popular e tradições religiosas. Apresenta na escrita traços de linguagem oral [demonstrando, na fala do personagem, sua classe social] e apresenta também regionalismos relativos ao Nordeste. Esta peça projetou Suassuna em todo o país e foi considerada, em 1962, por Sábato Magaldi 'o texto mais popular do moderno teatro brasileiro'."
*Livro cedido em parceria com a editora. 





 Auto é um estilo de peça teatral em que mescla personagens populares com personagens fantásticos e busca por meio de sua poética apresentar questões de moralidade. 
 Em Auto da Compadecida nos damos de cara primeiramente com o apresentador Palhaço que vai narrar os acontecimentos que virão dali em diante. João Grilo, que é muito amigo de Chicó abre a cena e então é comédia que não acaba mais. Pois é por meio de trapaças e mentiras engraçadas que comete com as pessoas da cidade que esse pobre malandro consegue se safar dos apuros da vida, isso até chegar o dia que ele resolve trapacear a igreja corrupta dizendo que sua patroa, mulher do padeiro, pagaria para quem enterrasse sua cachorra em latim. Após a igreja e João Grilo lucrarem com o funeral do bichinho, acabam por serem noticiados da vinda para a cidade de um dos maiores bandidos do sertão. Na tentativa de enganar o perigoso Severino, João Grilo não escapa da morte e acaba por parar no purgatório, lugar onde ele e mais tantos outros personagens serão julgados frente a frente pelo diabo, Emanuel e Nossa Senhora Aparecida.



Dois grandes personagens presenteados à Literatura Brasileira por Ariano Suassuna que
ficaram marcados tanto no papel, quanto nas telinhas e nos palcos. João Grilo e Chicó, dois nordestinos simples e muito felizes carregam a essência de um povo brasileiro com uma fé distante de ser abalada, nem mesmo diante das dificuldades que a vida os
entrega. 
 Totalmente de cara nova, essa edição de Auto da Compadecida vem com uma carinha de Nordeste brasileiro com suas folhas parecendo cordel, com imagens uma mais linda que a outra, além de uma história sobre por onde já passaram encenações desse clássico de Ariano Suassuna.


É verdade que eles praticam atos vergonhosos, mas é preciso levar em conta a pobre e triste condição do homem. A carne implica todas essas coisas turvas e mesquinhas. Quase tudo o que eles faziam era por medo. Eu conheço isso, porque convivi com os homens: começam com medo, coitados, e terminam por fazer o que não presta, quase sem querer. É medo.

24 comentários:

Karine Fernandes disse...

Eu simplesmente adoro essa história, merece muitos prêmios, o filme então eu bato palmas, apesar de já estar bastante enjoada de assistir ele é uma história muito reflexiva quando para pra pensar. Parabéns pela resenha, muito boa.

Beijos

Ana Carolina Lopes disse...

Olá, tudo bem?
Eu perdi a conta de quantas vezes assisti o filme juntamente com minha família, é hilário demais e imagino que o Auto seja tão bom quanto. Adorei sua resenha e seu blog :)
Abraços

Ps Amo Leitura disse...

Olá.

Se eu não me engano, quando estava no colégio eu tive que fazer a leitura desse livro, porém não me recordo muito da leitura. Gostei dessa nova capa e tudo mais. Mas não sei se leria agora, mas sem dúvidas me aventuraria de novo.

Beijos,
Blog PS Amo Leitura

Aline M. Oliveira disse...

Oi Day! Eu AMO este livro e AMO MAIS o filme! Ariano é mestre, isso é inegável! Li este livro na escola, mas depois de adulta, com o faro apurado e já experiente nas artes da leitura, ( >.< ) eu li novamente, e aproveitei muito mais a comédias e as grandes lições ensinadas por Chicó e João Grilo. Não é maravilhoso como Ariano nos coloca em um ambiente simples e comum, com pessoas simples e também muito comuns e consegue nos mostrar tanto de tantas coisas? Esse livro é divertido e didático! Deveria ser leitura nacional obrigatória! Amei a resenha!


Bjoxx ~ www.stalker-literaria.com

Nina Spim disse...

Oi, tudo bem? Adoro o filme e parece que a narrativa do livro tem outra pegada, mais séria e menos expansiva. Mas, ainda assim, parece um ótimo trabalho. Não fiquei com vontade de ler, porque confesso que não sou muito de literatura teatral, mas entendo a importância do livro e espero que mais gente possa fazer essa leitura! A capa é linda! Adorei a sua foto, bem ilustrativa hehe.

Love, Nina.
www.ninaeuma.blogspot.com

Ritchelly Galani disse...

O que dizer dessa história que considero tanto?! haha Amo o filme mas não li o livro e fiquei bem empolgada com essa nova edição, que esta linda.. <3 Adorei ler sua resenha e a foto ficou linda <3

Beijos,
Conta-se um Livro

Paac Rodrigues disse...

Eu confesso que nunca li a obra, mas amava o filme e sempre tive curiosidade em ler, dps de ver essas novas capas pirei mas ainda não tive chance =/

Nay* disse...

Eu sei da existência do livro, mas ainda não o li, amo o filme pra mim é um dos melhores filmes brasileiros
Ariano é incrível como autor e como pessoa.

Larissa Dutra disse...

Olá, tudo bem? Já ouvi falar do filme e do livro, porém ainda não assisti nem li. Adorei tua resenha e fiquei bem curiosa, parece ser um livro incrível! Obrigada pela dica!

Beijos,
Duas Livreiras

Cabine de Leitura disse...

Ahhh... posso não ler sua resenha?! esse livro é o próximo da minha estante. Eu amo o filme, amo as palestras do Suassuna que vejo no youtube e estou colocando mil expectativas nesse livro que nõ tem a edição linda igual a sua, mas a história é a mesma rsrs. Não vejo a hora de começar essa leitura.

Abraços.
https://cabinedeleitura0.blogspot.com/

Daniele Vieira disse...

Olá
Preciso ler a peça, minha irmã amou a leitura, e gosto bastante dos filmes que já vi. Essa edição deve ser mesmo muito bonita, estou gostando bastante dessa onda de livros com edição e diagramação diferenciada

Ana Caroline Santos disse...

Olá, tudo bem? Ah um livro que quero ainda desbravar pela frente. Gosto MUITO do filme, e só me falta coragem para ler a peça. O formato diferente é bem interessante também desta edição. Adorei!
Beijos,
http://diariasleituras.blogspot.com.br

Mercia Machado disse...

Oiii!
Ariano Suassuna foi uma pessoa incrível que contribuiu muito com suas obras, discursos e movimentos... Nunca li o livro do Auto da compadecida, mas já ri muito com o filme. Essa edição tá linda, ainda não vi pessoalmente e fiquei curiosa para ver a diagramação interior.
Com certeza é um livro que quero ter na minha estante.

Lorena santos disse...

Oi.

Eu já assisti o filme mas não sabia da existência do livro e para ser sincera eu realmente não o leria não sei, acho que meio que perdeu a graça pra mim, mas obrigada por compartilhar sua experiência com essa obra.

Ivi Campos disse...

Eu li o livro na época em que a série de TV foi ao ar na rede globo e isso tem quase 20 anos... rs Mas ainda tenho a lembrança do quanto a leitura foi divertida e pertinente. Amo Suassuna.
Beijos

Aninha Goulart disse...

Oiiii,

Nossa eu li O Auto da Compadecida eu era novinha, acho que devia ter uns 14 ou 15 anos, e pra época lembro de ter achado uma história curiosa, mas um pouco difícil de compreender (com certeza porque não tinha maturidade para compreender os dialetos), mas sua resenha me deixou muito curiosa para ler esta nova versão, ver se minha percepção da história vai ser diferente agora e conferir esta nova edição que esta realmente muito lindinha.

Beijinhos...
http://www.paraisoliterario.com

Larissa - Srta. Bookaholic disse...

Oi, tudo bem?
Eu assistia o filme quando era mais nova e adorava, agora faz tempo que não vejo, mas gosto muito da história e imagino que a leitura seja ainda mais bacana. Essa edição está a coisa mais linda e queria saber como ela é por dentro, da próxima traz foto da diagramação? kkkk Bom, adorei a resenha, espero ler esse livro algum dia, creio que vou adorar.

Beijos :*

Tamara Padilha disse...

Nunca li esse livro, embora tenha certa curiosidade, porém, ao mesmo tempo tenho um pouco de medo, pois não gosto muito do gênero peça de teatro em livros. Adorei a edição que parece estar linda.

D e s s a disse...

Eu adorei o filme, mas ainda não tive coragem de ler o livro. Não curto muito esse tipo de narrativa, e não sei se vou gostar tanto assim. Achei essa edição muito bonita!
beijos

Florescendo Livros disse...

Olá
Não da pra contar quantas vezes eu vi o filme, acho maravilhoso acho insuperável o modo como o povo brasileiro é representado na história. Adorei a resenha!
Beijos

Bruna Eduarda disse...

Olá! Tudo bom?

Confesso que já assisti o filme varias vezes, principalmente quando era criança, porém não é uma história que eu de fato faço questão de ver haha Eu nunca fiz a leitura desse livro e acredito que deveria dar uma oportunidade. De fato a capa tem uma cara de nordeste ❤️

Beijos

Barbara M. Cabalero disse...

Oi.
Já assisti ao filme mais de uma vez, mas admito que não lembro muito bem da história. Não li o livro e não sei se gostaria dessa narrativa mais teatral, mas acho que é um daqueles livro que deve ser lido. Ainda mais nessa edição tão linda...
Beijos.

kênia Cândido disse...

Oi Dayhara.

Eu tenho muita vontade de ler este livro. Eu só conheço a história através do filme, que por sinal, é maravilhoso. A nova edição está também fascinante, com toques bem nordestino. Parabéns pela resenha e obrigada pela dica.

Bjos
http://historiasexistemparaseremcontadas.blogspot.com/

Salvattore Mairton disse...

Como não amar essa historia? Tem personagens tão divertidos e marcantes, que o leitor não consegue parar de ler e rir com suas presepabas ao redor do Brasil. Bem interessante sua resenha desse classicl, foi ótimo conferir tua opinião.

Postar um comentário

 
© Uma dose de Cacto - janeiro/2016. Todos os direitos reservados.
Criado por: Dear Maidy. Tecnologia do Blogger.
imagem-logo