RESENHA Pluft, o fantasminha

terça-feira, 7 de agosto de 2018
Título: Pluft, o Fantasminha
Autora: Ana Maria Machado
Editora: Nova Fronteira
Nº de Páginas: 48
Sinopse: "Peça teatral sobre Pluft, o fantasminha que tem medo de gente.

Conta a história do rapto de uma menina (Maribel) pelo malvado pirata Perna-de-Pau. Escondida no sótão de uma velha casa, ela conhece uma família de fantasmas e faz amizade com Pluft, um fantasminha que tem medo de gente."

*Livro cedido em parceria com a editora. 







 Hoje é dia de resenha um tanto incomum, de livro infantil! A Nova Fronteira lançou essa edição linda de Pluft, o fantasminha e não me aguentei de curiosidade, corri para solicitar. Esperava uma simples história infantil mas percebi que é bem além disso, uma linda fábula, com direito a lição de moral e tudo.
  
 Escrito inicialmente para ser uma peça de teatro infantil, “PLUFT o fantasminha” ganhou tamanha fama no palco do Tablado que após um tempo sendo remontado tornou-se famoso em livros e cinema gerando um reconhecimento à Maria Clara Machado como sendo uma das mais importantes escritoras de dramaturgia para crianças.
 Pluft o fantasminha conta a história de duas histórias. Isso mesmo, conta a história de um tesouro escondido por um capitão e conta a história de Pluft.



 Como? Bem, depois do falecimento do capitão Bonança, o mesmo deixou para seus companheiros de navio um mapa que levava a um tesouro, mas este mapa foi roubado por nada mais nada menos que o pirata Perna de Pau, um homem horrendo que acredita, assim como muitos acreditam, que tesouro tem a ver com dinheiro.
 O tesouro do capitão era a sua neta Maribel e, reconhecendo que a menina poderia saber onde estaria o tesouro escondido do capitão Bonança, Perna de Pau rapta ela, chegando ao destino do mapa, uma casa abandonada beirando a areia branca da praia.
 Entra então a segunda parte da história, a parte de Pluft.

 Este fantasminha vive nesta casa beirando a areia branca da praia, mora com a sua mãe sra. Fantasma e seu tio fantasma Gerúndio. O jovem fantasma sempre teve medo de gente, nunca pôde mostrar como era ser corajoso para a família, assim como seu pai um dia foi. Mas com a chegada do Capitão Perna de Pau e de Maribel que estava em apuros por estar presa às garras do perigoso pirata, Pluft vê uma oportunidade de criar coragem para salvá-la, vencer o medo de gente e ainda por cima criar um grande laço de amizade.
 É uma história bastante divertida ideal para crianças que adoram aventuras de piratas e fantasmas, mostrando que nem sempre tesouros são referenciados como sendo dinheiro, mas sim valores que deixamos aos nossos ancestrais e pessoas queridas que carregamos junto de nós. Sem contar que Pluft foge do esteriótipo esperado por nós, estamos acostumados com a ideia de humanos sentindo medo de fantasmas, e não o contrário. Ana Maria Machado além de quebrar lindamente esse estigma, propõe uma discussão a respeito do medo imposto em crianças, do escuro, de fantasmas e tantas outras coisas, quando isso passou a ser ruim? Como Pluft, um fantasminha tão fofo poderia ser mal para alguém? Uma doce história, ideal para todos os niveis de idade. 


15 comentários:

Renata Souza disse...

Olá
Eu amo livrinhos infantis tenho vários aqui, e fiquei com bastante vontade de ler esse. Parece ser uma história bem gostosinha de se ler. Adorei a resenha continue

Amilton Júnior disse...

Muito legal! Com certeza é um livro que todas as crianças deveriam ganhar como presente, gostei demais da filosofia que ele traz, uma quebra no estigma de que tesouro se baseia em riquezas terrenas, enquanto que todos os valores espirituais como amor e sinceridade são os verdadeiros tesouros!
Ótima sugestão!
Abraços! 😊

Clayci disse...

Ahhh que amor <3
Eu estou numa fase de ler livros infantis hhhahaha ainda mais com meus sobrinhos,
Adorei a sugestão <3

Sai da Minha Lente

Mary Pires disse...

Ai que edição fofa.
Eu acho que a minha mãe já leu essa historinha para mim na infância, pois ela me é familiar. Até hoje eu adoro ler livrinhos infantis, ainda mais em uma ediçãocaprichada como essa.
Amei, Bjs.
Mary

Karini Couto disse...

Tudo bem? Que história interessante.
Adoro leitura infantil e leio muitas com a minha filha. Não estou claramente lembrada, mas tenho a impressão se já ter ouvido essa história antes.

Beijos.

www.alempaginas.com

Aninha Goulart disse...

Oiiiiii,

Não conhecia a obra, mas achei a capa muito fofinha e com um conceito interessante. Acho que ajudaria muitas crianças a perderem seus temores e abrirem caminho para um mundo novo e sem medos. Gostei bastante da dica e vou procurar o livro para poder ler com a minha sobrinha.

Beijinhos...
http://www.paraisoliterario.com

Viviane disse...

Olá, tudo bem? Que livro interessante, gosto de livros infantis apesar de ler poucos, porque não tenho crianças em casa..rs! Gostei muito de saber que o livro aborda tema como amor, sinceridade e que os verdadeiros tesouros não são os materiais e sim, aqueles que guardamos no nosso coração.
Ótima resenha, obrigada pela indicação.

Beijos e Abraços Vivi
Resenhas da Viviane

Lucy disse...

Oi, Dayhara! Já conhecia a escrita de Ana Maria Machado, gosto muito do jeito que ela escreve para crianças. Imagino que a história seja mesmo fascinante, mesmo para os adultos! rsrs
Bjs
Lucy - Por essas páginas

Karem F disse...

Ohhh que livro fofo. Adorei a historia alem de piratas ter fantasmas, ensinamentos sobre medo etc.. já esta na lista de livros para dar de presente.

Tatah disse...

Olá!
Que história interessante para trabalhar com crianças em escolas e incentiva-las a pensar e refletir. Uma história que com certeza envolve até nós adultos. Gostei de conhecer!

Beijos!

Book Obsession disse...

Olá!
Acredita que nunca li a história desse fantasminha? Claro que já tinha ouvido falar e só de ler sua resenha fiquei com uma vontade danada de embarcar nessa mundo infantil, mas que sempre deixa alguma sementinha pra refletirmos.
Beijos!

Camila de Moraes

Luna disse...

Olá, Dayhara!

Só uma coisa: eu acho que a Maria Clara Machado e a Ana Maria Machado não são a mesma escritora. Uma hora você menciona o nome de uma e outra o da outra. Mas a Ana Maria eu conheço por ter lido uma coletânea de contos de fadas publicada pela Zahar em que o prefácio, a apresentação do livro era feito pela Ana Maria Machado, que faz parte da Academia Brasileira de Letras.

Sobre a história: fiquei cheia de vontade de ler! Eu lembro que assistia um desenho que amava muito sobre um fantasma. Acho que era Gasparzinho. Como eu amava esse desenho!!! Bateu saudade! Acho que eu iria gostar muito dessa fábula, costumo me encantar com as histórias infantis e sempre apreciei as fábulas.

Bjs!

kênia Cândido disse...

Oi Dayhara.

Adorei sua resenha, pois lembrei demais do Gasparzinho, eu adorava esse desenho. Pela sua opinião a história é bem divertida e caso eu tenha uma chance quero conferir essa história de perto. Parabéns pela resenha.

Bjos
http://historiasexistemparaseremcontadas.blogspot.com/

Livros & Tal disse...

Oii que história mais fofa, gente. Adorei a premissa do livrinho e a filosofia que a história nos trás. Infelizmente não tenho o costume de ler livros infantis, mas acho que seria uma boa pedida para o meu afilhado.

Beijos

Rafaelle Vieira disse...

Olá!
Livros infantis não chamam mais minha atenção, mas gosto de conferir para indicar a leitura para familiares. Ainda não conhecia o livro, mas achei a história bem legal.

Beijos,
Rafa -Fascinada por Histórias

Postar um comentário

 
© Uma dose de Cacto - janeiro/2016. Todos os direitos reservados.
Criado por: Dear Maidy. Tecnologia do Blogger.
imagem-logo