RESENHA Ariel

terça-feira, 4 de setembro de 2018
Título: Ariel
Autora: Sylvia Plath
Editora: Verus Editora
Nº de Páginas: 208
Sinopse: "Com a publicação póstuma do livro de poesia Ariel, em 1965, Sylvia Plath se tornou um nome de destaque na literatura norte-americana. No entanto, o manuscrito de Ariel deixado pela autora quando morreu, em 1963, era diferente do volume de poemas então publicado e mundialmente aclamado. Esta edição bilíngue e fac-similar restabelece pela primeira vez a seleção e o arranjo dos poemas exatamente como Sylvia Plath os deixou antes de se suicidar. Além da reprodução dos manuscritos da autora, este volume também inclui os rascunhos completos do poema-título, “Ariel”, oferecendo ao leitor a oportunidade de acompanhar o processo criativo da poeta. Com esta publicação, o legado de Sylvia Plath pode ser reavaliado à luz de seu trabalho original e permanece conforme sua vontade. Sylvia Plath conseguiu, em Ariel, transformar em poesia tanto assuntos particulares como eventos históricos trágicos. Seus poemas evidenciam as dores de uma vida traumática, marcada pela morte do pai e pelos conflitos com o marido infiel, e são a prova do talento dessa poeta que, com otimismo ou sofrimento, soube unir técnica e emoção e criar uma obra já clássica."
*Exemplar cedido em parceria com a editora. 

Esse livro faz parte do projeto Setembro Amarelo, que visa a valorização da vida além de um debate saudável sobre transtornos mentais, suicídio e formas de evitá-lo.



 Sylvia Plath sempre me chamou a atenção, principalmente por saber que apesar das inúmeras teses, pesquisas, ensaios, nada nunca vai responder a maior questão que cerca essa mulher: Seu romance, foi de fato uma biografia? Pra quem não sabe, Sylvia Plath escreveu Redoma de vidro, onde a protagonista passa por algumas experiências de quase suicídio, a grande questão é, um mês após o lançamento a própria autora se matou, após inalar o gás do forno onde colocou a cabeça. Então por mais que tenhamos inúmeros estudos sobre uma autora tão ímpar, nunca teremos realmente uma resposta. A redoma de vidro foi um livro que realmente me marcou, a personagem tem um humor ácido, e lida com questões sérias de maneira bastante incomum, até então, meu conhecimento com Sylvia ia até aí, nunca havia lido seus poemas até a Verus lançar essa lindeza!
 Vou começar fazendo o caminho inverso e falando sobre a edição, que trabalho fantástico! Apesar de ser uma edição simples, curtinha, é extremamente esclarecedora, logo no início temos uma nota explicando sobre os poemas e como eles são integrais, pra quem não sabe, em edições anteriores, o marido de Plath retirou alguns poemas porque julgou agressivos demais, a acrescentou outros, o engraçado disso é que os poemas retirados falavam diretamente do episódio em que ele traiu a autora, ou sobre a relação deles, sem falar que mexer em uma obra, deixada pronta, e organizada de determinada maneira porque tinha uma intenção, é quase reescrever o livro de alguém, algo que não é seu direito. Quanto a isso, a Verus foi sublime, esclareceu esse ponto, indicou quais poemas foram retirados, quais foram inseridos, e claro, mostrou-os. A edição é bilingue, então atende a todos os públicos, no final há um trechinho com alguns rascunhos da autora e uma nota escrita por sua filha, é tocante demais, vale a pena.





 Agora sobre os poemas em si, sei que muita gente não curte poesia, mas definitivamente vale a pena, Sylvia é uma mulher única e que fez de seus poemas, o seu grito por socorro, ela não teve problema algum em falar sobre temas sérios e que não eram vistos com bons olhos na época, esses acima são trechos de meus poemas favoritos, e que mostram como ela realmente tinha intenções suicidas a muito tempo, mas para além disso, precisamos analisar como a escrita da autora, de certo modo, fomentou muitos estudos literários, e contribuiu para a literatura até hoje, Plath foi cedo demais, mas seus poemas ainda reverberam em nós.
 Sylvia sempre escreveu sobre suicídio, em seus poemas isso é notório, além de suas tentativas também, em A redoma de vidro, a personagem também tenta se matar e passa por algumas sessões de eletrochoque. O autoaniquilamento sempre foi uma grande questão, seja na vida ou obra da autora, isso só comprova o que muita gente não acredita, suicidas falam sobre suicídio, suicidas pedem socorro, suicidas gritam ao seu modo, eles dão os sinais, precisamos ter mais cuidado ao olhar para esses casos, procurar ajuda profissional é a primeira indicação, um ombro amigo não é um profissional, um ombro amigo não é psicólogo, mas um ombro amigo ainda significa que alguém se importa, e que sua vida faz diferença.




20 comentários:

Aline M. Oliveira disse...

Oi Day! Li a resenha do livro A redoma de vidro aqui e fiquei muito impressionada, tanto que fui pesquisar um pouco sobre a autora, e fiquei horas lendo sobre a vida dela, tudo sobre o relacionamento com o pai, depois com o marido, e o modo que ela viveu e como escolheu morrer. Agora lendo essa resenha fico feliz por terem juntado os poemas por inteiro, e puta com esse marido nojento que pra esconder suas falhas e a culpa na vida triste que ela teve, foi capaz de tirar tanto conteúdo do que ela tinha escrito. Vou acrescentar a lista de leituras, assim que o Redoma chegar, vou encaminhar este! Obrigada por me apresentar essa autora maravilhosa!

Bjoxx ~ www.stalker-literaria.com ♥

Larissa Dutra disse...

Olá, tudo bem? Eu amo ler poesias, mas ainda não conhecia esta obra magnífica. Parece ser uma leitura incrível, ainda mais pelo tema forte que traz. Ótima resenha!

Beijos,
Duas Livreiras

Bianca Ribeiro disse...

Adorei o projeto, primeiramente!

Segundo, adorei o livro, ainda não conhecia ele. Poesias já são magnificas e quando abordam esse tema então! Quero pra ontem. Acho que é um tema importantíssimo que deve ser falado. Parece ser uma leitura carregada de sentimentos. amei a dica!

Yvens Castro disse...

Olá, tudo bem Ju?

Eu li Sylvia Plath apenas uma vez na vida e foi o livro "Redoma de Vidro" que recebi pela Coleções Folha, mas vou uma leitura que gostei e fiquei impressionado. Adorei a sua dica, parece ser uma leitura que nos leva para o campo emocional e reflexivo. Parabéns pela resenha.
Abraço!

No Conforto dos Livros disse...

Olá!! :)

Que bom que gostaste de fazer a leitura!! :) Ainda não conhecia, mas fique algo interessado!

Fico contente que se debruce sobre questões importantes e que fique essa questão da autobiografia no ar!

Boas leituras!! ;)
no-conforto-dos-livros.webnode.com

D e s s a disse...

Sempre ouvi falar dessa autora, mas nunca tive oportunidade de ler nada dela. Eu não sabia sobre esse livro, mas adorei saber que é de poemas. Adoro ler esse tipo de livro, mas não tenho muito costume. Adorei a temática, acho bem importante, e principalmente para esse mês.
beijos

Garotas Devorando Livros disse...

Olá!!!

Tenho que confessar que não conhecia bem a autora, ouvi falar de Redoma de vidro, mas não sabia quem era a autora. Gostei muito das suas impressões sobre esse livro e fiquei bem interessada em ler, mesmo que os poemas em questão pareçam ser um pouco pesados. Enfim, vou procurar por essa edição, pois não quero ler a versão editada. Obrigada pela dica.

Beijos

Beatriz Andrade disse...

Oi, Dayhara!
Nossa, fiquei extremamente interessada em ler esse livro. Eu conhecia o Redoma de Vidro, mas não sabia que era a mesma autora, esse é um livro que eu quero muito ler e está na minha listinha de comprar há tempos. Ariel eu ainda não conhecia e gostei muito da sua dica, adoro poesias e acho que esse livro vai mexer muito comigo.

Lucy disse...

Oi, Day!
Achei mto tocante a sua resenha. Eu já tinha tentado ler A redoma de vidro, mas me dava certa aflição, algo agridoce na leitura, sabe? acabou que ainda não consegui. Vou tentar de novo. Sobre esse livro, gostei mto da descrição da edição, achei bem conveniente o marido dela ter retirado os poemas que retratavam justamente a traição dele e que bom que eles foram transcritos nessa edição mesmo assim. Vou já procurar pra adquirir.
Bjs
Lucy - Por essas páginas

Aline Souza disse...

Olá...
Não conhecia a autora e nem a obra, mas fiquei super interessada na obra, principalmente por fazer tanto tempo que não leio poemas... Já adicionei o livro na minha lista, espero poder ler em breve.
Parabéns pelo blog e pelo projeto.

Halfstarx disse...

Olá, achei linda sua resenha, o setembro amarelo é uma iniciativa ótima e admiro muito quem tenta ao maximo ajudar aquela pessoa que anda passando por problemas pessoais sérios. Sobre o livro, poesia é algo que não conheço muito, mas sempre adorei ler, provável que ia adorar esse livro, acho muito humano, ainda mais sobre alguem que botou muita carga emocional nelas. Ótima resenha, bjs !!

Livros & Tal disse...

Uau...

Não conhecia o livro, mas estou bem impressionada com a autora e o tema no qual ela escrevia. Não sou adepta a poesias e cara, achei muito interessante esse projeto que está fazendo sobre o setembro amarelo, Porém, por recomendações médicas, eu tenho que me manter afastada de tudo o que é livro ou filme que aborda esse tema.

Sendo assim, mesmo eu não podendo ler, fiquei impactada com a obra e com a história de vida da autora.

Beijão

Tamires Marins disse...

Bela resenha, Day! <3
Eu até sinto vergonha pelo que estou prestes a dizer, ainda mais agora que você falou, ainda que brevemente, sobre a vida dela. Eu não conhecia a autora, nem lembrava de ter visto o livro na news da Record, só lembrei porque a cor é bem chamativa e meio que chama a atenção. Mas sobre ela mesmo, nunca ouvi nada a respeito. Nem sobre seu outro livro publicado.
Fico aqui pensando se ninguém próximo lia seus poemas, será que ninguém enxergava que ela era uma suicida?
Eu sou uma das pessoas que não gosta do gênero, e unindo isso ao fato de muitos retratarem esse teor suicida só corrobora para que eu não o leia. Ler sobre isso me faz mal, sabe?
Mas gostei de conhecer um pouquinho da história dela, uma pena seu fim trágico.

Beijos

Marijleite disse...

Olá, muito bacana saber que essa edição traz os poemas retirados pelo marido. Ainda não conhecia esse livro mas pelo seu post fiquei curiosa para ler também e conferir os poemas, pois é uma temática sobre a qual me interesso.

Ps Amo Leitura disse...

Olá!

Adorei sua resenha e toda essa temática de setembro amarelo. É algo extremamente importante e precisamos falar sobre isso. Apesar de não ser fã de poesia, acho que por ser um tema forte, eu daria uma chance. Gostei muito da forma como você falou desse livro. Me chamou atenção.

Beijos,
www.psamoleitura.com

Mirelly disse...

Oii, tudo bem?

Já conhecia o livro e a autora, o livro já está na minha lista de desejados.
Amei saber que essa edição traz os textos retirados pelo marido. Acho que esse livro vai mexer muito comigo, ainda mais pelo tema abordado, já estou me preparando psicologicamente.
Eu amei sua resenha, obrigada pela dica.

Beijinhos!!

Polly - Entre Livros e Personagens disse...

Olá, tudo bom?
Tenho muita curiosidade em conferir as obras da autora, até mesmo seus poemas, sendo que não sou uma leitora ferrenha do gênero. Sempre ouvi dizer o que escreveu em sua resenha, que seus poemas são um grito de socorro e acho obras assim necessárias para que criemos empatia e aprendamos a perceber aqueles que estão em nossa volta na mesma situação.
Agora, que cara de pau esse marido dela né? Fiquei com ranço dele de cara ><
Dica anotada, amei a resenha! ♥
Beijos!

Ivi Campos disse...

A edição está linda mesmo e não poderia ser diferente, porque este conteúdo, sensível e intenso, merece um acabamento de primeira. Ainda não li nada da autora, apenas sei de sua história de vida e realmente ela tem tudo a ver com o seu projeto par ao blog dentro de setembro. Dica anotada e espero conhecer sua obra em breve.
beijos

Antonia Isadora de Araújo Rodrigues disse...

Olá!!!
Eu sou uma das pessoas que não gosta de poesia como você citou, mas tem livros de poesias que me chamam atenção principalmente quando são tratados de assuntos como este.
Eu achei incrível que a Editora teve todo um cuidado para deixar a obra intacta e trazer a mesma da forma mais fiel possível de um autora que deixou um legado.
Realmente, percebe-se que a obra da autora era um grito de socorro.
Livro anotado aqui com toda certeza!!!

lereliterario.blogspot.com

Giovana Soares disse...

Oii, tudo bem?
Eu sou uma dessas pessoas que não esta acostumada a ler poesia, eu até gosto, mas ela sai um pouco da minha zona de conforto. Mas eu gostei muito da sua resenha, deu claramente para ver que a autora consegue falar de temas bem polemicos e eu fiquei em choque ao saber que ela se suicidou logo após escrever um livro sobre o tema.

Postar um comentário

 
© Uma dose de Cacto - janeiro/2016. Todos os direitos reservados.
Criado por: Dear Maidy. Tecnologia do Blogger.
imagem-logo