Posts Recentes

RESENHA Bem-Vindos ao Paraíso

19 de setembro de 2018

Título: Bem-Vindos ao paraíso
Autora: Nicole Dennis Benn
Editora: Morro Branco
Nº de Páginas: 416
Sinopse: "Em um resort luxuoso nas belas praias de areia branca da Jamaica, Margot luta para manter Thandi, sua irmã mais nova, na escola. Ensinada desde pequena a usar o corpo para sobreviver, ela está determinada a proteger Thandi do mesmo destino. Mas quando a construção de um novo hotel ameaça sua vila, Margot enxerga uma oportunidade de independência financeira e a chance de admitir um segredo chocante: seu amor proibido por outra mulher. Bem-Vindos ao Paraíso é um romance de estreia poderoso e um hino sensível aos dramas de um mundo escondido na vasta extensão de mar turquesa, um lugar que muitos turistas veem apenas como um paraíso."
*Exemplar cedido em parceria com a editora.


Ser parceira da editora editora Morro Branco é uma verdadeira caixinha de surpresas, a gente nunca sabe o que vem, mas quando vem, é certeza de que ficaremos tremendamente emocionados com a história. Bem-Vindos ao paraíso tem exatamente essa pegada, mas para mim foi um pouco mais pessoal. Sou uma garota negra, e sempre fui muito leitora, desde pequena tenho esse hábito e demorei muito tempo para entender o que acontecia na literatura em si, eu lia de tudo, como uma leitora voraz consumia todo tipo de literatura que me era direito ou que a idade permitia, mas eu dificilmente via personagens negros, quando encontrava, sempre era o esteriótipo de empregada, amiga da protagonista e coisas do tipo, demorei muito a me questionar sobre essas coisas. Hoje, tenho muito mais perspicácia para fazer apontamentos sobre esse tipo de enredo que sinceramente, reforça uma estrutura social racista. Segunda coisa, crianças negras, durante parte da infância e adolescência, criam o hábito do auto-ódio, mas o que é isso? Simples, nós não queremos ser negros, não queremos ser a piada, não queremos ser os odiados, sendo assim, produzimos aquele desejo utópico de ser tornar pessoas brancas, alisamos o cabelo, usamos maquiagens que nos tornem mais claros, sem querer renegamos quem somos, não por odiar nossa cor, e sim porque pessoas brancas em suas atitudes muitas vezes veladas, odeiam. Veja bem pessoal, isso é algo MUITO sério, mas é o reflexo de uma sociedade que trata nós negros, de maneira bastante cruel, mesmo que disfarçadamente. Pensem em propagandas, filmes, tudo, como anda a representatividade? Ela é igualitária? Não, nunca é. Mas Bem-Vindos ao paraíso veio pra ser um verdadeiro tapa na cara sobre isso, eu indico não só por ser uma ótima leitura, mas porque na obra existem trechos tristes, cruéis, mas que são reais, se vocês se espantam com a leitura, imagine nós negros que passamos por isso diariamente.


Antes de mais nada, precisamos entender onde a história se passa, a Jamaica fica situada no mar do Caribe, possui uma ilha central e outras ilhas ao seu redor, o país demorou muito tempo para ser independente, e acredite ou não, é extremamente homofóbico, quando digo isso, não falo sobre um candidato babaca ou coisas do tipo, falo de pessoas que matam LGBTs, pessoas que defendem a lei da sodomia(que proíbe a relação entre pessoas do mesmo sexo) e coisas ainda piores. É justamente nessa realidade que vamos conhecer Margot, que durante o dia é simplesmente uma personagem que trabalha em um hotel de luxo, mas ao receber telefonemas com palavras bastante peculiares, como por exemplo "Sundae" ela se transforma, isso é um código para dizer que a pessoa ao telefone, quer contratá-la para um programa, sim, Margot trabalha como prostituta e ela faz isso mais pela sua irmã do que qualquer outra coisa. Faz porque precisa pagar a escola de Thandi, sua irmã mais nova que futuramente vai recompensá-la, assim que passar na faculdade, vai tirá-la da miséria e da prostituição, e nada disso será mais necessário. Margot é uma mulher negra, atormentada por esse esteriótipo sexualizado, ela se relaciona com hospedes ricos, e sonha com uma promoção no emprego, o que ninguém sabe é que ela é lésbica, na escuridão da noite, enquanto todos dormem, ela vai para a casa de Verdene, o grande amor de sua vida, uma mulher atormentada por ser quem é, e que sofre grave retalhações por parte de sua vizinhança. 

 Bem-Vindos ao paraíso tem uma variedade incrível de personagens que desmistificam os seus esteriótipos, Margot é uma garota de programa lésbica, que faz o que faz não porque quer, mas porque sua mãe Delores vendeu o corpo dela ainda criança, porque precisava de dinheiro e porque percebeu que a filha gostava de outra menina, Thandi carrega essa fardo de ser obrigatoriamente a tábua de salvação da família, a garota que vai entrar em uma boa faculdade, na verdade Thandi queria ser artista, e escondida de todos, usa cremes extremamente violentos para clarear sua pele, ser negra é o oposto de beleza para ela, sem contar que ela esconde o maior trauma de sua vida, não por medo, e sim por vergonha. Delores é uma personagem asquerosa, que tipo de mulher prostitui sua filha porque precisa de dinheiro? Isso me deixou assustada, mas dentro do contexto, é bastante real. Verdene é um mar de tranquilidade no meio disso tudo, ela frequentemente é vitíma de seus vizinhos, que jogam animais mortos em seu quintal e a acusam de coisas horríveis, simplesmente por ela ser quem é, do ponto de vista religioso e cultural, ser lésbica é uma verdadeira passagem para o inferno. 

 A construção desse livro é simplesmente genial, inicialmente as histórias destoam, Margot com a sua realidade, Thandi com os seus questionamentos, cada qual em seu universo de segredos, a autora vai construindo esses universos paralelos, mas que em determinado momento se chocam e quando isso acontece, você fica extremamente apreensivo. O que mais gostei, foi a maneira como uma autora negra, resolveu falar sobre sua cor, e como isso indiscutivelmente interfere em nossas relações amorosas, tanto Margot quanto sua irmã, sofrem com isso. É como se o fato de serem negras, a tornassem indignas de serem amadas, entendem a gravidade?


Essa é uma obra que aborda uma infinidade de temas de maneira muito direta e real, racismo, hipersexualização de corpos negros, prostituição, estupro, política e tantas outras coisas, 400 páginas que te arrebentam do começo ao fim, e que mostram que o paraíso, muitas vezes é o inferno para quem trabalha e vive nele. 



Comentários
21 Comentários

21 comentários :

  1. Foi uma das melhores leituras que fiz este ano. E de fato foi uma surpresa pra mim, pq simplesmente sai da zona de conforto com esse livro. Estou tão acostumada com a fantasia e o mundo scifi que precisava desse tapa na cara. A autora foi incrível com sua escrita, todos os personagens foram bem desenvolvidos e de todos eu senti um aperto no coração por causa de Thandi. Tão talentosa, mas insegura a ponto de não saber quem é e se amar do jeito que é. <3 Amei

    Sai da Minha Lente

    ResponderExcluir
  2. Olá!
    Eu tinha visto o lançamento desse livro, mas essa foi a primeira resenha que li a respeito dele. A editora tem investido em livros que trazem tramas que retratam aquilo que muitas vezes a sociedade tenta camuflar e mostra a realidade desses personagens. Achei muito interessante o seu relato pessoal e também de você ter citado a forma como a autora construiu o livro, a partir de suas experiências pessoais e tratando de diversos temas considerados tabus.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  3. eu to adorando a editora por trazer esses temas meio tabus pro mundo literario, amei a sua resenha, parece ser um livro ótimo e que eu me divertiria lendo, quero pra ontem!! Parabéns pelo trabalho!

    ResponderExcluir
  4. Deve ser uma leitura e tanto mesmo, principalmente por conta dos temas que são abordados. Anotando a dica
    Bjs Rose

    ResponderExcluir
  5. Putz, esse auto-ódio não consigo nem imaginar o quanto dói. Infelizmente preconceitos de todo tipo ainda são muito presentes, e não tinha nenhuma ideia de que a Jamaica era homofóbica nesse nível. Esse livro deve ser uma leitura muito difícil, mas bem necessária.

    ResponderExcluir
  6. Oi tudo bem? Não conhecia esse livro, mas a proposta da trama é bem chocante, numa sociedade principalmente que não aceita a diferença tanto entre cor como preconceito pelo diferente, isso é muito triste e adoraria ler esse livro, já coloquei na minha lista de leitura, obrigado pela dica, parabéns pela resenha, bjs!

    ResponderExcluir
  7. Que capa maravilhosa e o título me deixou curiosa. Comecei a ler a sua resenha já com expectativas sobre o livro. Adorei a premissa dele, parece uma obra que mexe muito com o leitor durante a leitura. Eu ainda não li nenhum livro da editora, mas minha lista de livros deles que eu preciso comprar urgentemente só aumenta e você contribui bastante com isso, viu?!

    ResponderExcluir
  8. Amei conhecer esse livro pela sua resenha, é uma leitura que quero fazer. Não sabia que na Jamaica a situação era tão complicada assim para os lgbts. Precisamos mesmo de mais autores negros e personagens negros na nossa literatura, as personagens desse livro me parecem bem construídas e passam por situações dificílimas.

    ResponderExcluir
  9. Olá, tudo bem?

    Não conhecia essa obra e achei interessante a premissa. É bom saber que essa editora está abordando temas como esse, hoje em dia é importante e necessário. Lendo sua resenha, percebi que tanto a história quanto os personagens, são bem construídos. Anotei a dica, espero que em breve possa ler.

    Beijos

    ResponderExcluir
  10. Oie!

    Não conhecia a obra e o nome é bem sugestivo! Adorei sua resenha, ela é verdadeira e acredito que o livro realmente tocou em pontos bem fortes, e me deixou bem curiosa para saber mais sobre ele! Abordar temas tão tocantes para a sociedade é bem difícil e adoro quando os autores conseguem construir uma boa história.

    Ótima resenha.

    Beijos

    www.thereviewbooks.com.br

    ResponderExcluir
  11. Olá Dayhara, essa é a segunda resenha que leio desse livro e pelos seus comentários ele parece estar muito bom, a autora soube trabalhar o racismo de uma forma bem bacana além dos demais temas *-* Quero muito lê-lo também.

    ResponderExcluir
  12. Oi Day! Que livro! Assim como você, eu cresci lendo muito, e também não questionava a falta de representatividade dentro das histórias que eu lias, só depois que fui perceber mesmo todo esse lance do racismo velado. Sei exatamente do que você tá falando. Adorei a resenha, gostei muito da premissa do livro, e estou realmente curiosa sobre ele. São muitas situações fora do padrão, o racismo, a prostituição, a sexualidade vista como criminosa. Dica mais que anotada!

    Bjoxx ~ www.stalker-literaria.com ♥

    ResponderExcluir
  13. Olá!

    Vem aqui, quero te abraçar depois dessa resenha divina! Infelizmente há poucos personagens negros na literatura e que não siga um “estereótipo”, mas o jeito que você abordou aqui, a autora soube trabalhar bem com tudo. E, aliás, a Morro branco vem arrasando nas edições! Já quero.

    Beijos,
    www.psamoleitura.com

    ResponderExcluir
  14. Estou com esse livro na minha lista de próximas leituras, pelo pouco que folheei, deu para perceber que a leitura vai causar um impacto mesmo. Acho extremamente importante podermos ter acesso a uma história assim, que nos chacoalhe e me tire da "zona de conforto" das histórias-padrão. Sua resenha me deixou ansiosa para poder começar a ler porque agora tenho ainda mais certeza de que vai ser uma leitura enriquecedora em muitos sentidos.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  15. Sua dica me arrebatou de um jeito que não consigo explicar... A representatividade na literatura, mesmo nos dias atuais, ainda precisa ser muito explorada, e quando vejo obras assim até me emociono rsrs
    Suas impressões passam um história que vale a pena conhecer, com personagens marcantes e cheios de personalidade. Dica mais que anotada!

    ResponderExcluir
  16. Não conhecia o livro, mas amo saber que mesmo que a tardio, os autores vem percebendo a necessidade da representatividade, de trazer nas suas histórias a realidade que negros e outras minorias enfrentam... Vejo isso como um grito de "cansei de ser colocado de lado por vc"... Ler a sua resenha me emocionou e com certeza quero ler esse livro!

    ResponderExcluir
  17. Olá!
    Eu sempre contente de ler suas resenhas porque vejo como você defende tantos pontos sábios de forma tão educada sem impor nada ou intimidar quem está lendo e sendo bem franca é bem difícil de ver alguém se posicionar com propriedade. A maioria grita, ofende e se perde em suas conclusões. Por essas e outras que admiro bastante seu espaço e mesmo não lhe conhecendo já dá pra perceber o ser humano incrível que deve ser.
    Sobre a leitura fiquei chocada com tantos temas abordados e pela veracidade, triste mas que infelizmente acontece e não é pouco.
    Preciso ficar ligada nos lançamentos da editora pois sigo cheia de vontade de ler uma dessas obras, mas acabo organizando meu tempo com outras leituras e sinto que estou perdendo a chance de me surpreender com leituras bem ricas.

    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  18. Olá
    Meu Deus, essa resenha merece ser aplaudida de pé. Que livro é esse ? Que premissa é essa ? Parece ser aquele tipo de livro que muitas pessoas precisam ler para enxergar que a realidade de uns é diferente das de outro. Recentemente vi um vídeo que me fez cair em lágrimas e escrevendo esse comentário meus olhos estão marejados só de lembrar, era uma fila onde tinham várias pessoas e um homem a frente falando sobre a condição de cada um, onde cada um que tinha aquela condição ou que não precisou passar por ela daria um passo a frente e no final ficou apenas um garoto negro, e ele chorava por que via todos a sua frente e ele era o único que ficou pra trás e nessa hora o homem que dava o comando pede para que todos olhassem para trás e que se lembrasse que nem todos tem as mesmas coisas, que temos que valorizar as pessoas independentemente de qualquer coisa. Eu fiquei arrepiada lendo sua resenha, por que realmente é um livro que trata assunto que muitas pessoas julgam tabu, mas não é tabu e sim uma realidade que muitos não querem ver. Amei sua resenha, estou sem palavras para ela ainda.

    ResponderExcluir
  19. Que enredo original e que bom que a parceria só tem te surpreendido positivamente. Essa é uma editora que quero muito conhecer melhor!!! O que mais me chamou a atenção na resenha foi essa mistura de personagens diferentes e os questionamentos que um dos personagens traz. E claro, quero ler algo que fuja de esteriótipos.
    beijos

    ResponderExcluir
  20. Esse livro parece ser incrível. Ainda nao o conhecia, mas adorei poder conhecer essa narrativa através da sua resenha. Deu para perceber que trata-se de um livro muito bom, com uma trama surpreendente. Vou anotar a dica para poder ler no próximo ano. Como esse ano eu não tenho espaço para novas leituras, ele vai para a lista de 2019.

    ResponderExcluir
  21. Olá, tudo bem?

    A Editora Morro Branco lança livros que por aqui em princípio são desconhecidos e vejo isso como um ponto positivo e outros pontos positivos da editora é que eles lançam livros premiados, sem contar que as edições são lindas. Parabéns pela resenha, ficou excelente.
    Abraço!

    ResponderExcluir

Todos os direitos reservados 2019 |
Desenvolvimento por: Espalhando Bonitezas - Web Design
Para o topo!