Posts Recentes

RESENHA Meu coração e outros buracos negros

23 de setembro de 2018

Título: Meu coração e outros buracos negros
Autora: Jasmine Warga
Editora: Rocco
Nº de páginas: 312
Sinopse: "Um tema amargo, mas necessário. Em Meu coração e outros buracos negros, a estreante Jasmine Warga apresenta aos leitores um romance adolescente que aborda, de forma aberta, honesta e emocionante, o suicídio. Aysel, a protagonista, enfrenta problemas com a família e os colegas de escola, como tantos jovens por aí, e, aos 16 anos, planeja acabar com a própria vida. Mas quando ela conhece Roman num site de suicídio, em busca de um cúmplice que a ajude a planejar a própria morte, num pacto desesperado, a vida dos dois literalmente vira de cabeça para baixo. Aos poucos, Aysel percebe que seu coração ainda é capaz de bater alegremente. E ela precisará lutar por sua vida, pela vida de Roman e pelo amor que os une, antes que seja tarde." 



Essa resenha faz parte do projeto Setembro Amarelo que tem como proposta promover um debate saudável sobre temas como saúde mental, transtornos, suicídio e maneiras para evitá-lo.

Todo mundo sabe da minha paixão por livros densos e meu amor ainda maior por romances que tratam de questões psicológicas, sendo assim, tornar Jasmine uma das minhas autoras preferidas não foi nada difícil, ela misturou amor e tristeza de maneira tão talentosa e real que me surpreendi totalmente, senti que faltaram páginas para uma história tão gigante como essa. 

Aysel planeja se matar faz um bom tempo, a vida dela deu uma guinada trágica e definitivamente ela não é uma adolescente feliz, muito pelo contrário, não só por algo chocante que seu pai cometeu, mas porque ela não é mais capaz de encarar a vida. O que a impede de se matar de fato, é o medo de falhar, ter sequelas e coisas assim, então começa a visitar um site meio... Mórbido, ele é destinado para quem quer cometer suicídio, ensina práticas, tem fóruns, e até uma aba para quem procura um parceiro para cometer o ato. É onde nossa protagonista conhece RobôCongelado, ou Roman, um cara de aparência totalmente normal, parece ter uma vida tranquila e cheia de amigos, mas ele carrega uma culpa imensurável que não é mais capaz de suportar, sendo assim, vai se matar e Ay é a garota perfeita, logo iniciam uma conversa no chat e a coisa vai fluindo.


O livro é narrado de acordo com os dias que faltam para que a dupla cometa suicídio, é meio estranho acompanhar a contagem, você precisa terminar para saber o que vai acontecer. Fica difícil seguir a leitura a partir disso, porque você leitor está consciente dos dias que faltam, e simplesmente não pode fazer nada, a não ser esperar e torcer para que mudem de ideia. Acontece que Ay e Roman começam a conversar, para entender os motivos um do outro e assim por diante, uma sementinha do amor começa a crescer, mas isso definitivamente não é coisa para eles, afinal, há um plano para seguir. Em muitos momentos vi que a autora tentou colocar o romance como se fosse a salvação para os dois, quando não é isso de fato, e talvez seja o único aspecto que tenha me incomodado, esse ar de "o amor salva" quando sabemos que não é apenas isso, procure ajuda psicológica antes de qualquer coisa.

Em suma, foi uma leitura muito prazerosa, Jasmine soube como ninguém escrever sobre personagens depressivos e a dor que cada um sente, como cada suspiro é uma espécie de fósforo preste a iniciar um terrível incêndio. Aysel tem uma metáfora bastante interessante para a depressão, ela a classifica como uma lesma, que as vezes está grande demais e a impede de respirar, e outras vezes fica escondidinha, é um modo bem real de mostrar como transtornos mentais são capazes de ocupar toda a nossa mente, e em outras fases, nem ao menos nos lembramos deles.

Triste, felizmente triste, se é que posso dizer isso, um livro onde podemos observar como a sociedade pode nos afetar de maneira absolutamente negativa, sendo por olhares ou por coisas que não aconteceram por nossa culpa, Aysel não é seu pai, ela sabe disso, porque as outras pessoas não? Carregar a culpa de outra pessoal é grave demais, e Aysel simplesmente desiste, ela não quer mais viver, não aguenta mais. Essa é uma narrativa muito tocante sobre a depressão, desde as primeiras páginas percebemos como a protagonista é depressiva, ela fala sobre isso durante a história toda, escrita em primeira pessoa, mas fala pra si, já que não tem amigos. Acompanhar sua dor, seu vazio existencial e sua opção por não mais viver, me fez pensar muito sobre como pressionamos as pessoas e resumimos toda a sua existência em um momento ruim. 

Já Roman... Ele é a versão de Aysel masculina, de verdade, é assustadora a maneira como eles se completam, assustadora porque são jovens depressivos, existindo, sofrendo e ninguém vê!

Passamos a leitura toda apreensivos pelo final, e dessa vez nada de spoilers, mas posso afirmar com toda a certeza que Jasmine soube trabalhar o tema lindamente e nos passar a mensagem correta. A lição que fica é a que sempre digo, mas sigo reforçando: Demonstre que ama as pessoas ao seu redor, se mostre disponível para ouvir, seja a companhia para procurar ajuda médica, não diminua o problema do outro, e acima de tudo, seja o ombro amigo que gostaria que fossem contigo, estar sozinho em um momento difícil não é justo para qualquer ser humano, coloque a sua empatia em prática, você pode salvar uma vida.

Meu coração e outros buracos negros é para você que tem um peito forte e que não chora por qualquer coisa, mas também para você que está com o coração fraco, sofrendo e precisa se levantar.

"O que as pessoas não entendem é que a depressão não tem nada a ver com o externo, tem a ver com o interno. Algo por dentro está errado. Orientadores pedagógicos amam dizer: pensamento positivo. Mas é impossível quando se tem alguma lá dentro, sufocando cada centímetro de felicidade que se pode juntar. Meu corpo é uma máquina eficiente de matar pensamentos felizes."





Comentários
31 Comentários

31 comentários :

  1. Gostei da sinopse e principalmente do assunto que trata esse livro, é um assunto bastante delicado, porém, isso acontece muito no dia-a-dia, pelo que pude perceber em sua resenha, a autora escreveu da forma mais natural possível sobre as coisas que acontecem na vida desses personagens, o que é um ponto muito positivo e com certeza quem passa por uma situação dessa talvez irá se identificar.

    ResponderExcluir
  2. Oi, Dayhara! :D
    Nossa, nunca tinha ouvido falar sobre esse livro, mas já sinto que preciso dele! Assim como você, também gosto muito dessas histórias que envolvem transtornos psicológicos e esta me chamou muito a atenção. Achei super assustadora a ideia de que possa mesmo existir algo assim na internet, como um fórum com pessoas que planejam se suicidar. Já sinto que me envolvi emocionalmente pelos personagens mesmo só tendo lido sua resenha e preciso saber o que acontece com eles no fim do livro. Espero comprá-lo em breve! Obrigada pela dica! Beijos!

    Jéssica Martins
    castelodoimaginario.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Olá!

    Imagino como a leitura deve ser apreensiva com essa contagem dos dois em cometer o suicídio.
    E realmente muita das vezes é isso que encuca o suicida, as sequelas que podem ficar se não der nada certo.
    Fico feliz que tenha gostado da leitura e que o desenrolar da história tenha lhe agradado!

    ResponderExcluir
  4. Eu tenho bastante curiosidade em ler esse livro. Ainda não tive essa oportunidade, pois são tantos lançamentos que estou sempre deixando para depois..
    O tema abordado é muito denso e é, talvez um dos motivos que o tenha evitado no passado, por conta de alguns problemas pessoais..
    Mas espero ler assim que sobrar um tempo.

    Adorei sua resenha e ela foi uma das poucas que consegue trazer a realidade da história sem desmerecer o assunto.

    Beijos.

    www.alempaginas.com

    ResponderExcluir
  5. Oi Day, tudo bom? Já tinha lida resenhas desse livro, mas sua está ótima, acho que consegui perceber o quanto ele é denso e aborda um tema muito forte. Nem sempre estou bem para ler livros com essa pegada psicológica, mas acho que deve ser mesmo uma ótima leitura!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  6. Eu também adoro ler livros que abordem questões psicológicas. Ainda não conhecia esse livro e a sua resenha me deixou curiosa para ler. É muito bom quando vemos livros que abordam assuntos tão importantes de uma maneira que consiga transmitir mensagens através da leitura e não o contrário. Adorei a sua resenha e espero ter a oportunidade de ler esse livro.

    ResponderExcluir
  7. Olá Day,
    Li esse livro numa época bem conturbada da minha vida e ele me mudou. A forma como a autora trabalhou a depressão e mostrou como a sociedade nos molda, mexeu muito comigo e me fez crer em um futuro melhor, sabe?
    Adorei conhecer seu ponto de vista sobre esse livro e fiquei com uma baita vontade de reler para ver o que vou achar agora, um pouco mais "curada".
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Olá! Adoro livros que abordam essa temática, mas tenho problema no mesmo ponto que você: odeio a ideia de que "o amor salva", porque, no mundo real, sabemos que não é assim. Pelo que você disse, isso acabou não atrapalhando a obra da autora, mas ainda assim é um ponto a ser evitado ao máximo

    ResponderExcluir
  9. Oi Day, eu gosto tanto de livros com forte carga dramática, mas eles me fazem sofrer tanto. Tua resenha me arrepiou, de verdade, só lendo o que tu escreveu eu consegui me colocar no lugar dos personagens e sentir essa culpa que eles carregam, já me doeu, imagino lendo. Acho que vou chorar muito. Fui ver no meu skoob e eu tenho ele, é que é da minha filha, por isso, não tinha certeza se eu tinha mesmo ele.
    Resenha maravilhosa, obrigada!
    Bjos
    Vivi

    ResponderExcluir
  10. Olá,
    Claramente é daqueles livros para se ler com lencinhos rs.
    Gosto de drama, e geralmente a reflexão que eles trazem são muito boas, mesmo que neste caso o tema seja bem pesado e angustiante.

    Debyh
    Eu Insisto

    ResponderExcluir
  11. Olá, tudo bom?
    Fiquei bem curiosa em relação a essa trama, que realmente parece ser bem desenvolvida e delicada. Apesar de quase passar essa mensagem errada de que o amor salva, é uma obra que parece mostrar uma mensagem muito clara de como devemos ser mais empáticos e solidários a dor do outro. Fiquei bem curiosa com a leitura e adorei a dica - assim como todas as outras que você tem passado nesse setembro amarelo!
    Ótima resenha ♥
    Beijos!

    ResponderExcluir
  12. Oi Dayhara.

    Menina que livro! Eu não conhecia e pela sua resenha eu fiquei completamente curiosa pela leitura. Vou anotar sua dica literária para ler o mais rápido possível, porque não sou de chora por qualquer coisa. Parabéns pela resenha e obrigada pela dica.

    Bjos
    https://historiasexistemparaseremcontadas.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  13. Oi Day sua linda, tudo bem?
    Esse título já meche muito com a gente. Estava lendo sobre esse assunto e vi uma entrevista em um blog com uma psicóloga dizendo que existe uma cartilha oficial sobre o suicídio e que os autores precisam tomar muito cuidado com o que escrevem, não só eles como qualquer pessoa, pois o que você falar pode servir de gatinho, aio invés de ajudar. Achei lindo o que disse no final. Dica mais do que anotada. Sua resenha ficou ótima.
    beijinhos.
    cila.

    ResponderExcluir
  14. Achei a proposta do Setembro Amarelo muito interessante e uma forma de alertar para questões tão importantes e que muitas vezes passa super despercebida, sem falar que tem muita gente achando que depressão é frescura e sabemos que não é, dentre outras coisas leva ao suícido e a questão que levou a protagonista a pensar em suicídio deve ter sido algo que a devastou.
    Concordo com você antes de sugerir qualquer coisa como o “amor” como salvação para tudo, o conselho sempre é terapia, o tal do amor em questão só mascara um problema grave.

    Bjo
    Tânia Bueno

    ResponderExcluir
  15. Oi, tudo bem?
    Tenho pessoas próximas a mim que sofrem com depressão e sei o quanto é importante falarmos sobre o assunto e, principalmente, que não devemos minimizar a dor dos outros. No entanto, eu confesso que tenho muita dificuldade com livros que abordam o suicídio. Todos que eu li foram leitura que me deixaram sentindo mal por dias e, por causa disso, passei a evitar esse tipo de livro.
    No entanto, gostei muito da sua resenha e fico feliz que tenha sido uma leitura prazerosa para você. Só achei uma pena que a autora tenha tentado colocar o amor como salvação, porque acho uma ideia perigosa. É preciso reforçar sempre a importância do tratamento especializado. Porém, parece que isso não chegou a prejudicar o livro e parece que o assunto foi bem abordado pela autora.
    Não é uma leitura que eu pretenda fazer por enquanto, mas adorei sua resenha e vou anotar a dica para dar uma chance em outro momento.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  16. Oiii Day

    O tema é bem duro pois a depressão não é brincadeira, mas gostei da abordagem que a autora trouxe, realista e coerente, com vários personagens para que o leitor possa observar e conhecer diferentes visões. Eu quero ler esse livro da Jasmine já tem algum tempo e parece que realmente será uma leitura felizmente triste, mas que vale a pena apesar da melancolia porque parece estar bem escrito.

    Beijos

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
  17. Olá,

    Eu li um livro similar a esse, só que já sabíamos o que tinha ocorrido com a personagem. Ela tinha tirado a própria vida e a amiga dela refazia os passos dela antes de seu último ato em vida.
    Esse livro deve ser extremamente pesado, mas necessário e também não indicado para quem está frágil emocionalmente ou mentalmente, já que destrincha passos sobre um possível suicídio.

    Não sabia que ele se tratava disso e já coloquei na minha lista de desejados.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  18. Já tinha ouvido falar desse livro e sabia que essa era a temática dele, mas essa foi a primeira resenha dele que li e confesso, estou surpresa pelo enredo, acho que nunca vi nada parecido... Achei a forma como ela abordou interessante e imagino a angústia que deve ser ler sabendo que eles estão contando os dias que faltam para se matar, nossa, me arrepiei! Vou acrescentar ele na minha lista de desejos!

    ResponderExcluir
  19. Olá, Dayhara!

    Definitivamente não é um livro para mim.rsrs Embora eu seja uma pessoa que lê muitos livros densos, fortes e fique destruída por eles depois, não acredito que tenho força suficiente para ler um livro como esse. Na verdade, eu evito por completo as histórias que abordam o tema suicídio. Não por acreditar que deva ser tabu, mas por saber que sofreria demais com os personagens e depois passaria muitos dias péssima, sentindo a depressão em mim. Até porque eu própria já sofri de depressão e também já pensei em suicídio. Não é uma história que me faria bem.

    A minha opinião é que livros assim nem sempre ajudam. Não quem está passando ou já passou por isso, pelo menos. Eles são super válido para provocar empatia e solidariedade naqueles que veem o outro sofrendo e não fazem nada, não estendem a mão. Sou a favor dessas histórias por causa disso, porque elas servem como um tapa na cara daquele que só pensa na própria vida e não olha para o lado, para alguém que ele poderia ajudar.

    E nem sempre o problema é interno, como uma espécie de doença mental. Muitas coisas podem provocar depressão nas pessoas mais saudáveis. Porque somos seres humanos e a dor nunca é sentida de maneira igual. No meu caso eu tive depressão (quase dez anos atrás) por causa de uma doença. De um problema de saúde que tive nos ovários e que me fez passar por um pesadelo completo. Os médicos não tiveram sensibilidade para dar determinadas notícias, foram frios, bruscos... roubando as esperanças que eu tivesse. Para uma adolescente cheia de vida e sonhos aquilo foi um baque tremendo. E foi difícil me recuperar. Cheguei a acreditar que não sairia da depressão, que aquilo me destruiria. Porque eu precisava combater uma doença física, fazer um tratamento longo e desgastante enquanto lidava com um emocional destroçado. Eu encontrei refúgio nos livros (romances e suspenses) e nas amizades que encontrei na internet. Que sei que foram enviadas por Deus. Sei que uma ajuda profissional é o mais indicado, todavia isso não funcionou para mim. Eu cheguei a fazer tratamento com uma psicológica e abandonei, pois aquilo me fazia mais mal que bem. E nos livros sim encontrei a melhor terapia. E o que era tão negro, tão insuportável se foi. É apenas uma lembrança ruim.


    Bjs!

    ResponderExcluir
  20. Oi Day. Curioso como duas pessoas completamente sem objetivos, querendo acabar com suas próprias vidas, conseguem se completar e um ajudar o outro. Aysel parece ter muito o que contar, sendo acusada de algo e ter que aguentar olhares todos dias, realmente entendo porque ela se sentiu tão vazia. Ganhei este livro numa cortesia no Skoob, e ainda não fiz a leitura.. Vou dar um jeito de ler rapidinho..!

    Bjoxx ~ www.stalker-literaria.com ♥

    ResponderExcluir
  21. Olá, eu já li esse livro e gostei muito. A autora soube mesmo falar sobre a depressão e das ideias suicidas com muita verdade, de forma bem realista. Eu acho que o romance entre os dois nem de longe é o foco ou algo importante, um foi para o outro a oportunidade de se abrir e de se sentirem compreendidos como tanto necessitavam, acho que há mais amizade e hormônios do que outra coisa entre eles.

    ResponderExcluir
  22. Oi, Day!
    Faz muito tempo que vejo esse livro dando sopa por aí e já tive curiosidade de ler para saber do que se trata. Gostei da sua resenha, acho que vai ser uma verdadeira lição de vida a leitura desse livro. Aparentemente ele não tem "gatilhos", então melhor ainda!
    Bjs
    Lucy - Por essas páginas

    ResponderExcluir
  23. Oi, tudo bem?
    Esse livro provavelmente faria um rombo no meu coração. Qualquer história que relata o suicídio, me sinto completamente desorientada. É muito importante que o tema seja abordado por conscientização e não romantização. Falar sobre a depressão abertamente é necessário. Obrigada pela dica do livro, irei ler, preciso!
    Beijos
    FALANDO DEMAIS

    ResponderExcluir
  24. Olá!
    Esse livro está na minha lista de leituras. Toda essa intensidade e a forma como a autora aborda sentimentos tão complexos, mas que ao mesmo tempo merecem atenção é o que me chama atenção.
    Sem dúvidas vou me emocionar e não tenho dúvidas que terei muitas reflexões.
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  25. Oi Day tudo bem? Que agonia deve ser esse livro que parece tenso, a partir dessa contagem regressiva, menina lendo sua resenha me transportei para ela, sua resenha me fascinou e assim como você adoro livros que tenha uma certa tensão e um drama psicológico, dica anotada, parabéns pelo post, bjs!

    ResponderExcluir
  26. Eu passei a resenha tensa e acho que passarei a leitura do livro também, envolvida com a melancolia que este livro tem. Gosto de livros assim, gosto de enredos mais intimistas e tenho a impressão que encontrarei isso aqui.
    Beijos

    ResponderExcluir
  27. Oi oi querida!
    Esse livro foi um dos únicos que ainda não li da autora. Eu gostei da sua resenha, porque agora eu sei realmente sobre os personagens e cenário. Quero ler esse livro porque além da sua sinceridade eu gostei dos quotes que você escolheu. Espero gostar da leitura tanto quanto você gostou. E antes que eu me esqueça, eu já li três livros com esse enredo e achei que todos deveriam ser mais citados para que todos saibam que isso não é brincadeira.

    Beijoss, Enjoy Books

    ResponderExcluir
  28. Oi tudo bem? Eu não conhecia a obra e nem a autora, e apesar de achar que esse tema deve ser tratado com cuidado tive a impressão de que a autora fez isso em grande parte, mas mesmo assim espera que tenha um aviso de gatilho no livro.
    bjos

    ResponderExcluir
  29. Nossa como eu amo esse livro!
    Eu li esse livro faz alguns meses e nem sei explicar a agonia que foi acompanhar esses personagens, teve momentos que senti uma vontade imensa de pegar eles no colo e tentar dar o conforto que eles precisavam no momento... Sei que a obra tem alguns defeitos, como o fato de romantizar um pouco as coisas, mas também entendo que isso funcionou como um toque de leveza a trama... Enfim, amei o livro e amei sua resenha...
    Bjos...

    ResponderExcluir
  30. Olá

    Assim que esse livro foi lançado, desejei fortemente lê-lo, mas como nao estava num bom momento, deixei o tempo passar. Confesso que tenho coração mole para livros dramáticos, provavelmente irei chorar horrores com essa leitura, todavia acho que valerá a pena.

    Beijos,
    https://oculoselivrosblog.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  31. Oie, tudo bom?
    Caramba, que livro lindíssimo.
    Eu li muitas obras que falam sobre o assunto, e me fez repensar demais em tudo que envolve esse tema. Os motivos, o que pode ser feito para evitar... é extremamente importante! Espero poder ler esse em breve!

    ResponderExcluir

Todos os direitos reservados 2019 |
Desenvolvimento por: Espalhando Bonitezas - Web Design
Para o topo!