RESENHA Quem é você, Alasca?

segunda-feira, 17 de setembro de 2018
Título: Quem é você, Alasca?
Autor: John Green
Editora: Intrínseca
Nº de Páginas: 272
Sinopse: "Miles Halter leva uma vida sem graça e sem muitas emoções na Flórida. O garoto tem um gosto peculiar: memorizar as últimas palavras de grandes personalidades da história, e uma dessas personalidades, François Rabelais, um escritor do século XV, disse no leito de morte que ia em busca de um Grande Talvez. Para não ter que esperar o próprio fim para encontrar seu Grande Talvez, Miles decide fazer as malas e partir. Ele vai para um internato no ensolarado Alabama, onde conhece Alasca Young. Ela tem em seu livro preferido, O general em seu labirinto, de Gabriel García Márquez, a pergunta para a qual busca incessantemente uma resposta: Como vou sair desse labirinto? Miles se apaixona por Alasca, mesmo sem entendê-la, e o impacto da garota em sua vida é indelével."
*Exemplar cedido em parceria com a editora.


 Esse livro faz parte do projeto Setembro Amarelo que tem por finalidade trazer um debate saudável sobre transtornos mentais, suicídio e maneiras para preveni-lo. Obrigada Editora Intrínseca por topar participar desse projeto, vocês são maravilhosos e a atenção que recebi foi fora do comum, é isso que torna a editora um diferencial no mercado. 

 Quando pensei no projeto do Setembro Amarelo, um dos nomes que me vieram em mente foi o nosso querido John Verde, Tartarugas até lá embaixo se tornou uma das minhas obras favoritas pelo fato do autor falar tão bem sobre TOC, em poucas vezes me senti tão representada assim. No entanto, eu nunca havia lido Quem é você, Alasca? Mas sabia que a redoma dos transtornos e do suicídio rondava essa história, e pra ser sincera, esses assuntos ocupam o enredo como um polvo, que vai nos prendendo com seus tentáculos cada vez mais.
 Miles Halter é um jovem adolescente que vive na Flórida, ele é extremamente solitário, sem amigos, bastante franzino, apaixonado por últimas palavras. Ele adora ler biografias e desse modo acaba descobrindo as palavras ditas por muitas pessoas antes de morrer, famosos, políticos, escritores, diga um nome e Miles saberá qual foi a última palavra que essa pessoa disse antes de morrer. Ele resolve se mudar para o Alabama, estudar no Culver Creek, mesma escola que seu pai estudou, ele decide trilhar esse caminho porque quer ir em busca do seu "Grande Talvez" e entender tantas outras questões da humanidade. Chegando lá ele logo faz amizade com seu colega de quarto, Chip, um cara baixinho mas com ideais bastante firmes, e graças a ele é apresentado para Alasca, a garota que vende cigarros e que as vezes é calmaria, outras vezes é furacão. Apesar de ser comprometida, Miles se apaixona por Alasca quase que instantaneamente e decide viver isso, mesmo que seja unilateral. Pela primeira vez na vida, nosso protagonista de fato se sente vivo, seja pelas encrencas que arruma com seus novos colegas, ou por essa paixão quase cega, que ele começa a viver.
 Mas ok, porque esse livro está no projeto Setembro Amarelo? Eu decidi não dar spoilers sobre a história, apesar de ser um livro bastante antigo e famoso, não irei contar o que acontece, mas quero falar sobre como adolescentes aqui são retratados, todos, de todos os tipos.
 Miles é um garoto solitário, inicialmente eu senti muito medo que algo acontecesse com ele, é um cara sem amigos, sem atrativos físicos, com esse gosto quase mórbido por últimas palavras, ele é aquele adolescente solitário, que na verdade é um cara incrível, mas ninguém dá atenção, sabe?
 Alasca, apesar de nenhum laudo, tem algum transtorno, ela é extremamente deprimida, ou extremamente feliz, não há meio termo, isso é bastante compreensível quando pensamos em todos os traumas que ela já passou, pra você ter ideia, Alasca era a única pessoa presente quando sua mãe morreu de maneira súbita, ela não conseguiu ligar para a emergência porque só sabia chorar, seu pai chegou duas horas depois, a viu sentada ao lado da mãe e culpou a menina, que na época ainda era uma criança, Alasca carrega essa culpa de maneira tão viva, que é como se ela fosse a depressão em carne, indo aos extremos, agindo sem medo de consequências físicas ou emocionais.
 Chip, o companheiro de quarto, é um garoto bastante humilde, sofreu muito quando criança, ele e sua mãe foram vítimas de violência doméstica, e esses traumas ainda são notáveis nele.
 Vocês entendem porque esse livro está no projeto? São adolescentes totalmente machucados por suas realidades, por motivos que definitivamente não os tornam culpados, as coisas simplesmente aconteceram com eles, e logo em seguida deixaram cicatrizes. 
 A história caminha desse modo, e tem como um dos focos a paixão de Miles por Alasca, que em determinado momento passa a ser correspondida, mas algo acontece e tudo muda, tudo. O que posso dizer é que nunca saberemos o que de fato aconteceu, quais foram os motivos, nunca, mas o que podemos fazer é nos atentar a quem está do nosso lado, observar detalhes, oferecer nosso carinho, insistir na vida da outra pessoa, e mostrar como ela importa.
 Quem é você, Alasca, nos diz muito sobre lealdade, amor, e como as últimas palavras nem sempre são as que gostaríamos de ouvir. Um livro denso, tocante, e que me comoveu mais do que eu esperava. 


"Se ao menos conseguíssemos enxergar a infinita cadeia de consequências que resulta das nossas pequenas decisões. Mas só percebemos tarde demais, quando perceber é inútil."





33 comentários:

Karini Couto disse...

Se eu disse que nunca li esse livro? Que ele já passou por mim diversas vezes e sempre fui deixando para depois, você acredita?!
Adoro livros que nos faz sentir e refletir.
Eu vou mais uma vez adicionar esse livro na minha meta e dessa vez tentar cumprir.

Adorei essa capa. Se não me engano, esse livro já teve outras capas não?!
E como colocou é um excelente livro para quem está apoiando o Setembro Amarelo. Tenho 3 livros para ler r por em pauta, sobre doenças mentais.
Beijos.

www.alempaginas.com

Jéssica Martins disse...

Oi, Dayhara! :D
Eu acho esse livro tão intrigante! Ainda não tive a oportunidade de lê-lo, mas sempre que vejo alguém falar sobre ele me dá uma muita curiosidade. Gosto muito desse tipo de literatura que envolve transtornos psicológicos e saber que este livro tem ligação com a temática do Setembro Amarelo, me faz ter vontade conhecê-lo devido à sua importância também. Adorei o post! Beijos!

Jéssica Martins
castelodoimaginario.blogspot.com

Amilton Júnior disse...

É mesmo um enredo muito intrigante e diferente de tudo que tenho lido até hoje, mas no mesmo tanto desperta vontade em descobrir toda a verdade. Fiquei curioso por saber o que acontece entre o casal, aliás deve ser um forte ensinamento para que todos nós nos atentemos aos nossos relacionamentos, às pessoas que estão ao nosso redor.
Ótima sugestão!
Abraços! ��

Leitura Enigmática disse...

Quero muito ler esse livro, pois gosto muito da escrita de John Green, pois ele me conquistou após ler "A culpa e das estrelas" e "Tartarugas até lá embaixo". Agora vejo excelentes comentários e resenhas sobre "Quem é você Alasca?" e está aguçando demais minha curiosidade. Eu irei colocá-lo na minha lista de Novembro,se tudo der certo.

Stalker Literária disse...

Oi Day! Acho que de alguma maneira, o livro tratou de algo comum de uma maneira que não fosse pesada. Mas nos faz pensar no que seria o nosso grande talvez, o que a gente espera e sonha. É um livro mais reflexivo do que um romance ou coisa parecida. Eu gostei, gostei da maneira como os personagens são reais, a maneira como a vida é cheia de altos e baixos, de como as coisas podem não sair da maneira que esperamos. É bonitinho, não é o melhor livro do mundo, mas é bom. Obrigada pela resenha!

Bjoxx ~ www.stalker-literaria.com ♥

Clayci disse...

Eu sou fã do autor e sei que muitas pessoas não gostaram desse história. Mas é a minha favorita dele <3 Torcendo MUITO Para sair a adaptação que estão prometendo há 84 anos haihuahiuahuahiahia logo.

Sai da Minha Lente

Florescendo Livros disse...

Olá
Eu gostei muito de saber que estão fazendo um projeto como esse, eu tenho na familia casos muito tristes de transtornos psicológicos que assim como você mencionou, não tinha um laudo, mas precisava de mais atenção. Esse livro eu li a muito tempo atrás, como você mencionou o escritor tem uma forma de nos envolver e nos tocar com suas histórias, eu o considero um dos livros mais queridos da minha vida. Eu queria muito que se tornasse filme, mas já estou perdendo as esperanças.
Adorei a resenha
Beijos

Carol Mendes disse...

faz tempo que li esse livro, e realmente é uma história comovente que nunca iremos saber o motivo, e precisamos tirar o máximo proveito da companhia de quem está próximo de nós!
sua resenha ficou ótima!

Virando Amor

Larissa Dutra disse...

Olá, tudo bem? Confesso que li este livro com altas expectativas, que infelizmente não foram atendidas. Eu gostei da história toda em si, porém o final me deixou um tanto decepcionada. Adorei a indicação, nesse sentido (setembro amarelo) acho que é uma ótima dica mesmo.

Beijos,
Duas Livreiras

Bianca Ribeiro disse...

Esse livro é muito lindo, eu li ele quando tava etec e fiquei super apaixonada, foi o primeiro que li do Green.
Ele me fez refletir sobre muitos aspectos da vida e eu fiquei muito apaixonada, tanto que até hoje ele é um dos favoritos da vida. Adorei a resenha!

Marijleite disse...

Essa citação que você colocou no post é uma de que nunca me esqueço, mesmo já fazendo anos que li esse livro. O Miles foi um dos poucos personagens que já me irritaram em livros, rsrs. Amei conferir suas considerações sobre esse livro, deu até vontade de reler ele.

http://petalasdeliberdade.blogspot.com

Grazi Moraes disse...

Olá amore,

Adoro o John ele é um lindo e amo a escrita dele.
São sempre livros intensos né.
Adorei a escolha para o Setembro Amarelo.
Adorei sua analise a respeito do livro.
Escolha de quote muito boa também.


Beijokas!
www.facesdeumacapa.com.br

Alice Duarte disse...

Oiii Day

Acho esse projeto maravilhoso, uma iniciativa linda com certeza. Quanto ao livro, já tentei ler esse e outros do John Green mas infelizmente o autor não é pra mim, a narrativa dele me cansa e não consigo empatizar com os personagens.

Beijos

www.derepentenoultimolivro.com

Beatriz Andrade disse...

Eu ainda não li esse livro e gostei de você não ter dado spoiler sobre ele, embora já seja bem conhecido eu sei pouco da história. Eu acho que é um livro que deve ser uma ótima leitura e cheia de mensagens importantes. Parece ser muio intenso e com momentos nos quais a leitura seja um pouco mais difícil, o que deixa a obra ainda mais interessante.

Saga Literaria disse...

Olá, tudo bem?

Eu tenho vontade de ler "Quem é você alasca?", na verdade quero ler algum livro do John Green. Gostei da sua resenha, bem escrita, organizada e não deu spoiler, deve ser um livro intenso e envolvente com reflexões. Dica anotada!
Abraço!

Neyla Suzart disse...

Achei esse projeto super bacana! É super válido esse incentivo à leituras que tratam do assunto, acho que quanto mais conscientização, melhor. Parabéns!!!
Eu não li Quem é Você Alasca, mas tenho o livro já faz um bom tempinho e nem sei mesmo porque não li. Muito embora já tenha tomado um belo spoiller do que acontece no final (sempre tem aquele mala que chega e conta o que acontece na maior cara limpa, né?), tenho uma curiosidade enorme em saber mais sobra a história. Sei que ele divide opiniões, mas as críticas positivas sempre falam mais alto.
Fico feliz em saber que foi uma leitura que te comoveu (tenho certeza que também vou me sentir tocada), sempre bom quando um livro nos surpreende.
Beijos

Debyh disse...

Olá,
Conheço a história do livro porém nunca o li. Achei uma boa ideia incluir este tipo de livro na sua lista de Setembro Amarelo, adolescentes confusos e machucados sempre se enquadra neste tipo de tema.

Debyh
Eu Insisto

Viviane disse...

Olá, tudo bem? Eu gostei muito da sua iniciativa de escrever resenhas e indicar livros para o tema setembro amarelo, esse tema precisa ser lido e divulgado para muitas pessoas diferentes, eu mesmo não conheço muitos livros que falem sobre suicídio.

Eu confesso que fiquei muito decepcionada com a escrita do John Green, todas as pessoas falando que ele é um escritor maravilhoso, que as histórias são incríveis mas, eu acabei não curtindo principalmente, o final.

Gostei da sua resenha, é legal ver a opinião de outra pessoa sobre os mesmos livros porque, eu tenho uma outra visão da história! Apesar de não gostar da escrita do autor, gostei do tema que ele abordou no livro e da personalidade que ele deu para cada personagem.

Beijos e Abraços Vivi
Resenhas da Viviane

Marcia Pimentel disse...

Olá,
Já li muitas resenhas desse livro, mas nenhuma delas me deixou com tanta vontade de ler como a sua me deixou. Claro que já sei o que acontece por ter lido algumas resenhas com spolier. Gostei muito da sua resenha.
Abrçs

Ana Caroline Santos disse...

Olá, tudo bem? Ah que legal uma resenha diferente sobre o livro! Já li muitas sobre ele, e foram vários que não trouxeram boas impressões. Com a sua me senti tentada a conhecê-lo justamente para saber mais sobre os personagens. Adorei e que belo projeto!
Beijos,
http://diariasleituras.blogspot.com.br

Anna Caroline disse...

Oi, Dayhara, td bom?
Eu li esse livro há muito tempo, logo depois de ler A Culpa é das Estrelas e não ter gostado tanto quanto tds as pessoas que estavam surtando pela história xD
Confesso que quando comecei, estava mais animada, mas não sei pq, acho que a escrita do João Verde não me prende tanto.
Mas tenho que concordar q é um livro bem denso. O John gosta disso, né? De criar uns dramas adolescentes com personagens romantizados, mesmo que verdadeiros na essência.
Acho que o livro combina sim com o Setembro Amarelo, mesmo não tratando do tema tão explicitamente.
Gostei da postagem :)
Beijinhos

http://ultimasfolhasdooutono.blogspot.com

kênia Cândido disse...

Oi Dayhara.

Apesar de ser um livro bastante antigo e famoso, eu ainda não li ele e tenho aqui em casa. Gostei da opinião que deixou sobre ele, por isso eu fique animada em adicioná-lo na minha meta de leitura para conhecer melhor Alasca. Parabéns pela resenha.

Bjos
http://historiasexistemparaseremcontadas.blogspot.com/

Três Leitoras disse...

Oiii, já havia dito antes, mas reafirmo, esse seu projeto é sensacional, nunca é muito falar sobre a temática, trazer conhecimento e conscientização, mesmo que através de histórias fictícias... Curto muito histórias que trazem todos os tipos de adolescentes, acho que acaba rolando uma maior probabilidade de identificação e aquele pensamento "não sou o único)... Tive esse livro na minha estante por anos, acabei me desfazendo dele e depois de saber que é uma história tão tocante ao ler sua resenha, já me arrependi rsrs

Bruna Costabeber disse...

Olá,
Estou adorando as postagens sobre o Setembro Amarelo, principalmente, porque estou vendo indicações de vários livros que não achava falar sobre o tema. Gostei muito da proposta desse livro e fiquei intrigada para ver como esse "grande talvez" funcionaria pra mim. A única coisa que me incomoda um pouco nesse livro é a forma como o Miles parece ser viciado na Alasca.
No mais, vou anotar a dica e depois compartilho contigo o que achei.
Beijos

Lara Xavier disse...

Olá,
Esse livro eu nunca tive curiosidade em ler, não sabia do que ele se tratava e agora me deixou curiosa para ler, eu não sabia que o livro tinha alguma relação ao suicídio e pelo que eu li da resenha a Alasca ela não tem um diaginostico mais parece que ela sofre de transtorno bipolar. Vou anotar a dica

Alem de uma Prateleira disse...

Olá ainda não tive oportunidade de ler esse livro mas amei a escrita do John Green quando li A culpa é das estrelas. Um livro que chorei horrores por sinal.

Ainda não li nada sobre depressão ou suicídio. Sempre tive vontade de ler e como até hoje eu não sabia do que se tratava esse livro, vou comprar ele para ler.

Adorei a sua resenha. Beijos

Book Obsession disse...

Olá!
Já tem um bom tempo que li esse livro e sinceramente pouco lembrava sobre o enredo em si. Adorei poder recordar algumas partes e ver que se encaixou perfeitamente dentro desse mês que tem sido de resenhas maravilhosas e títulos que deixam várias sementinhas para refletirmos.
Sempre digo que devemos dizer boas palavras para as pessoas pois nunca sabemos o que podem estar vivendo e as palavras tem um peso enorme né, tanto para elevar quanto para destruir.
Beijos!

Camila de Moraes

Poesia na Alma disse...

Já li esse livro, na temática proposta, ele é superficial, entretanto cumpre o papel ao público alvo que é destinado, ou seja, trata da forma adequada para o público adolescente.

André disse...

Oi Day,
Todo mundo tem elogiado muito Tartarugas Até Lá Embaixo, mas os outros livros do John Green dividem muito as opiniões. Isso não é diferente com Quem É Você Alasca. Preciso ler os livros do autor para poder me posicionar sobre eles. Vou começar com Tartarugas que já peguei emprestado e depois leio os demais.
Beijos.

Thayenne Carter disse...

Olá,

Na época em que fiz essa leitura, em momento algum me toquei que poderia ter sido suicídio o que aconteceu, sempre encarei como um acidente infeliz, sobretudo diante do comportamento da personagem. Anyway, gostei de relembrar essa história que tem quotes tão tocantes e um enredo maravilhoso.

Beijos,
oculoselivrosblog.blogspot.com.br/

Livros & Tal disse...

Ola!!

Minha nossa, como amo o John Green e como é maravilhoso encontrar resenhas dos seus livros antigos!!
Antes de falar sobre o livro, tenho que parabenizar você por esse projeto incrivel que nos trouxe nesse mes de setembro! Me emocionou muito acompanhar!!

Esse livro em questão assim como todos os demais do autor mexeu muito comigo! O tema desse livro e tudo o que aconteceu me deixou totalmente sem rumo por uns dias!

O unico do autor que ainda nao li foi o tartarugas, mas pretendo ler em breve!

beijos

Ivi Campos disse...

Eu sou muito fã do John Green e com certeza, este é o livro responsável pelo meu amor por ele. Adorei o jeito que você descreveu o enredo e concordo muito com a sua conclusão sobre as ultimas palavras nem sempre serem o que queremos ouvir.
Que bom que você também gostou.
beijos

Saga Literaria disse...

Olá, tudo bem?

Eu nunca li os livros do John Green e já li diversas resenhas dos livros dele, isso é uma vergonha, pois vejo que são super elogiados. Gostei da sua resenha e a forma que escreveu e descreveu o livro, o enredo parece ser bem construído e envolvente. Fico contente que tenha gostado da leitura.
Abraço!

Postar um comentário

 
© Uma dose de Cacto - janeiro/2016. Todos os direitos reservados.
Criado por: Dear Maidy. Tecnologia do Blogger.
imagem-logo