Posts Recentes

RESENHA As mil partes do meu coração

27 de novembro de 2018



Colleen Hoover é uma das minhas autoras favoritas, esse ano tanto o Grupo editorial Record quanto a Galera Record deram total atenção a todas as minhas preces e muitos dos seus livros foram traduzidos, com isso, meu veredito é um só: CoHo é uma autora com a criatividade a todo vapor! Da mesma maneira que ela foi capaz de usar uma história pessoal para escrever É assim que acaba, ela foi criativa o suficiente pra construir uma história a partir da ruína familiar. As mil partes do meu coração fala sobre a importância da união familiar, a importância do diálogo e acima de tudo, auto estima.

A primeira cena dessa história já mostra como a vida de Merit Voss é completamente doida, ela está em uma loja, comprando mais um troféu para a sua coleção, quando nota um garoto a observando, isso é bastante incomum, a cidade toda conhece ela e sua família e nutrem profundo ódio, um estranho sorrir para ela é sinal de que não conhece a história de sua família. Esse joguinho onde Merit é observada e o estranho flerta quase que abertamente evolui quando ela sai da loja, e esse rapaz a segue, senta do seu lado, e depois de uma troca de olhares, rola um beijo, a maneira como essa cena é descrita, faz borboletas voarem no seu estômago, naquele momento eu só queria ser Merit, como um estranho pode beijá-la tão apaixonadamente assim? Logo em seguida o telefone do estranho toca e a mágica se desfaz, ele confundiu Merit com sua irmã gêmea, isso explica os sorrisos na loja, a proximidade e o beijo. Acontece que agora ela está apaixonada pelo namorado de sua irmã, como sair dessa enrascada?



 Essa família é um caos, um caos completo, tentar descrevê-la é quase como contar uma história de fantasia, tudo é muito absurdo, mas nada duvidoso. Pra começar, a família Voss mora em uma antiga igreja, tudo isso porque o pai foi rancoroso o suficiente para comprar a igreja quando teve a oportunidade, após anos nutrindo ódio pelo padre e seu cachorro, sendo assim, não é difícil andar pela casa e encontrar uma grande estátua de Jesus, ou coisas que remetam ao que a antiga casa era, como se não bastasse, a mãe de Merit mora em uma espécie de porão, apesar de estar separada de seu marido, ela tem agorafobia e se recusa a sair de casa, na parte superior da casa quem é a "esposa" é Victoria Voss, a antiga enfermeira da mãe de Merit, pois é, quando tinha câncer a mãe de Merit foi traída, a enfermeira ficou grávida e hoje é a esposa quem mora na parte superior da casa, bizarro? Isso nem se compara a Honor, a gêmea de Merit, que se apaixona por meninos sempre em estado terminal, por conta de um trauma passado ela só consegue se envolver com rapazes nessas condições. E então Utah, o irmão certinho, nerd, que segue sua rotina de maneira religiosa, é desesperador vê-lo fazer todos os dias as mesmas coisas, no mesmo horário. Pra ser sincera a única pessoa normal nessa casa é Moby, o meio irmão de Merit, filho de Victoria, uma criança esperta e sempre pronta pra quebrar qualquer clima tenso com uma pergunta ingênua.

 Quando contada desse modo, essa família parece bizarra e Merit parece ser uma das poucas pessoas sensatas nesse núcleo familiar, certo? Além de sua fixação por troféus, superficialmente ela não tem mais nada fora do comum, exceto o fato de ser a única a saber o segredo de cada um nessa família, e odiar cada um dos Voss por isso. Como se não bastasse, além de lidar com os segredos da família, ela precisa lidar com Sagan, o namorado de sua irmã que agora parece morar em sua casa e não a ajuda a esquecer daquele beijo, complexo, não?

Dessa vez CoHo foi longe demais, eu AMO sua escrita, e todo mundo que acompanha o blog sabe o quanto amo livros que falam sobre transtornos, pois bem, As mil partes de meu coração aborda a depressão! Não aguentando mais lidar com os segredos individuais de uma família que parece descer a ladeira em um ritmo desenfreado, Merit resolve escrever uma carta de suicídio, engolir os comprimidos que rouba de sua mãe, e deixar tudo de vez, a partir disso, a mágica acontece, a família Voss PRECISA falar sobre o que vem acontecendo, desenterrar todo o ressentimento até mesmo do casamento passado ou da infância, para ser minimamente unida. Além disso, Merit precisa lidar com os seus sentimentos quanto a Sagan e antes de mais nada, entender como a depressão está consumindo toda a sua saúde mental.

Livros que falam sobre a temática do suicídio mexem comigo, quando vi essa possibilidade nessa narrativa tive medo, principalmente porque em Tarde demais a autora abusou de gatilhos principalmente no âmbito sexual, mas todo o meu receio se desfez quando percebi a maneira em que a depressão seria tratada nessa história. Sagan não é o salvador de Merit, como inicialmente pensamos, ele não surge como um homem que vai curá-la disso, muito pelo contrário, a primeira coisa que fica muito óbvia no personagem, é como ele quer que Merit se reconheça como pessoa, capaz de ser amada, que tenha auto estima, nada de romance, ela precisa estar saudável mentalmente antes de qualquer coisa. Isso muitas vezes me deixou fula da vida, Sagan se aproveita dessa paixão da protagonista para convencê-la a cuidar de sua saúde mental, isso pode ser frustrante pra muita gente, mas foi o que de fato funcionou.

Pra além disso, a história mostra bem como a ausência de diálogo dá brecha para falta de respeito e amor entre familiares, em algum momento a coisa desandou na família Voss, em algum ponto eles foram parando de se falar, engolindo seus contrapontos e nutrindo ódio, o resultado? Uma família que se odeia e janta em silêncio, até a bomba explodir.

Eu queria muito me estender nessa resenha, mas não quero partir pra spoilers, só posso dizer que novamente CoHo foi bem mais além do que eu esperava, essa foi a personagem que mais me identifiquei, a protagonista tem todos os sintomas depressivos; aos pouquinhos abandona as aulas, se torna apática, dorme pouco, fala menos ainda, se exclui totalmente, e sua família não percebe. Nessa obra a autora soube manusear seus personagens em prol de um assunto que vai para além de uma narrativa ficcional, caso contrário eu não teria me identificado tanto. Entender como cuidar de si, é importante para poder então cuidar da família, me fez compreender a grandiosidade dessa narrativa. E pra não me prender somente a grande temática, vamos pro romance, fiquei de olho torno porque imaginei que fosse existir traição por parte de Sagan ou algo assim, mas novamente a falta de diálogo é o problema, ele não é o que imaginamos que ele seja, ainda assim, ele é o típico mocinho criado por Colleen, que te arranca suspiros do começo ao fim, de uma maturidade invejável, e responsável por colocar ordem na bagunça que é essa família. Quase que na base do conta gotas, a autora aborda a saúde mental por várias vertentes, seja pela depressão como foi o caso de Merit, ou a partir dos personagens secundários, agorafobia, aceitação e sexualidade, traumas que refletem em suas personalidades hoje, apagamento familiar, a necessidade de terapia, tudo é englobado em pouco mais de trezentas páginas. 

Terminei esse livro tranquila, porque mais uma vez fui contemplada por uma história que foge do comum e que ainda assim me representa, que fala de temas necessários e que mostra a importância da família pra construção de uma boa saúde mental, hoje não faço qualquer tipo de ressalva sobre a obra resenhada, porque meu coração terminou essa história quentinho, em tempos de ódio, usar a literatura para falar o necessário e representar minorias que sofrem com tabus, é revolucionário.

"Certa vez vi uma citação que dizia: “Não torne sua presença conhecida. Torne sua ausência notada.” Ninguém nessa família nota minha presença ou minha ausência. Todos eles notam Honor. Eu nasci depois, e isso faz de mim uma cópia desbotada da original."

 Título: As mil partes do meu coração
Autora: Colleen Hoover

Editora: Galera Record

Nº de Páginas: 336
Sinopse: "Para Merit Voss, a cerca branca ao redor da sua casa é a única coisa normal quando o assunto é sua família, peculiar e cheia de segredos. Eles moram em uma antiga igreja, batizada de Dólar Voss. A mãe, curada de um câncer, mora no porão, e o pai e o restante da família, no andar de cima. Isso inclui sua nova esposa, a ex-enfermeira da ex-mulher, o pequeno Moby, fruto desse relacionamento, o irmão mais velho, Utah, e a gêmea idêntica de Merit, Honor. E, como se a casa não tivesse cheia o bastante, ainda chegam o excêntrico Luck e o misterioso Sagan. Mas Merit sente que é o oposto de todos ali. Além de colecionar troféus que não ganhou, Merit também coleciona segredos que sua família insiste em manter. E começa a acreditar que não seria uma grande perda se um dia ela desaparecesse. Mas, antes disso, a garota decide que é hora de revelar todas as verdades e obrigá-los a enfim encarar o que aconteceu. Mas seu plano não sai como o esperado e ela deve decidir se pode dar uma segunda chance não apenas à sua família, mas também a si mesma. As mil partes do meu coração mostra que nunca é tarde para perdoar e que não existe família perfeita, por mais branca que seja a cerca"
*Exemplar cedido em parceria com a editora. 
Comentários
17 Comentários

17 comentários :

  1. Olá!
    A CoHo é incrível e suas histórias podem não ser as preferidas para muitos, mas se tem uma coisa que ela sabe como ninguém é nos faz refletir e sair da zona de conforto com tantos dramas.
    Ansiosa para pegar esse livro para ler.
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  2. Oi, Dayhara!
    Essa capa me impressionou da primeira vez que a via, pois essas costuras parecem muito reais, como se fossem um 3D. Fiquei impressionada! hahahaha Sua resenha me chamou muito a atenção para as questões psicológicas dos personagens e eu diria até que fiquei bem surpresa, porque eu nunca li nada da Colleen, mas sempre achei que os livros dela fossem mais românticos do que dramáticos, mas essa história me pareceu trazer assuntos mais fortes do que eu esperava. Fiquei muito curiosa com todas essas coisas bizarras da família da Merit. Adorei a resenha. Beijos!

    Jéssica Martins
    castelodoimaginario.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Olá!! :)

    Eu nunca tinha ouvido falar deste livro, devo confessar, mas da autora ja! Ainda bem que gostaste!!

    Enfim, acho otimo que o livro aborde tantos temas importantes, numa historia diferente que te fez identificares-te com ela!

    Boas leituras!! ;)
    no-conforto-dos-livros.webnode.com

    ResponderExcluir
  4. Oi, tudo bem? Não conhecia esse livro da autora. Ainda não li nada dela, porque o gênero não é meu preferido, mas gostaria de me arriscar com as histórias dela, sim. Me indicaram O lado feio do amor, mas ainda não consegui ler. Esse vou deixar na lista, porque aborda saúde mental e é um assunto que gosto muito de conhecer, especialmente porque convivo com agorafobia e outros sintomas da ansiedade. Adorei demais a sua resenha, me convenceu bastante! :)

    Love, Nina.
    www.ninaeuma.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Olá!
    Nunca li nada da autora mas este livro me chama atenção desde antes de ser lançado no Brasil. E olha que família louca mesmo esta hein?! Confesso que me animei mais ainda pra ler e entender tudo que acontece com Merit!

    ResponderExcluir
  6. Estou de acordo olho neste livro, até por conta da autora que eu gosto. O fato de abordar a união familiar e outro fato que me atrai.
    Bjs Rose

    ResponderExcluir
  7. Olá, tudo bem?

    Eu (Yvens) confesso que não conhecia esse livro da Colleen Hoover, é o meu primeiro contato e gostei da premissa. Achei interessante abordar a união familiar e gostei das suas descrições, impressões. Dica anotada!
    Abraço!

    ResponderExcluir
  8. Oi, Dayhara! Eu acho que já li algumas indicações desse livro, a premissa não me é estranha, mas não lembro de me sentir tão impactada por ele como agora. Gostei muito da sua resenha, fiquei entre a cruz e a espada, porque sei que é um livro bom, mas sei que vai me causar um turbilhão de emoções, então não sei se é o melhor momento para eu lê-lo. Vou esperar mais um pouquinho...
    Bjos
    Lucy - Por essas páginas

    ResponderExcluir
  9. Que família mais problemática essa da protagonista! Sabendo de todos os temas que o livro aborda, como a depressão, e curiosa por essa dinâmica familiar, depois da sua resenha, já vou colocar esse livro nos desejados.

    ResponderExcluir
  10. Olá Dayara, como vai? Estou ouvindo várias pessoas comentando sobre os livros da Collen Houver e, apesar de ainda não conhecer a escrita dela, estou pensando seriamente em compar um dos livros para tirar as minhas conlusões sobre a mesma.
    Essa foi a primeira resenha que eu li sobre "As mil partes do meu coração" e, apesar de achar a história muito chichê jovem, tenho que admitir que algumas situações colocadas são interssantissimas e merecem muita atenção.

    Gostei muito da sua resenha, vou adicionar o livro na minha listinha de compras.

    Beijos e Abraços Vivi
    Resenhas da Viviane

    ResponderExcluir
  11. Oi!
    Eu amo a escrita da Colleen Hoover! Um Caso Perdido foi um dos melhores livros que já li. Tenho quase todos dela, mas esse que foi um dos últimos que saiu aqui no Brasil eu ainda não comprei. Na verdade, pouco sabia da trama e agora, lendo a sua resenha, fiquei tão ansiosa como sempre fico para os livros dela.
    Bjss

    http://umolhardeestrangeiro.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  12. Olaa

    Menina pensa numa menina que está louca de vontade de ler esse livro! Assim como você, eu sou completamente apaixonada pela Colleen e por conta disso, quando vi esse lançamento, sem nem ao menos ler a sinopse do livro já o coloquei na minha lista.
    Adorei a sua resenha, foi a primeira que eu li sobre essa obra e tenho que te falar que estou com um pequeno receio sobre a tematica do mesmo, mas não posso deixar de ler!

    beijos,
    http://www.livrosetalgroup.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  13. Oi, Dayhara.

    QUE RESENHA INCRÍVEL! Foi a primeira que li deste livro e estou completamente encantada, apaixonada e desejando loucamente este livro! Amei, amei, ameeei! CoHo realmente arrasa em seus enredos e sempre consegue construir algo maravilhoso, apesar do drama envolvido. "É assim que acaba" é incrível também, e tenho certeza que esse vai me conquistar do início ao fim. Já quero!

    Beijos,
    Blog PS Amo Leitura

    ResponderExcluir
  14. Olá, tudo bem?
    Eu gosto dos livros dela, embora tenha lido bem poucos. O tarde demais eu fiquei com o pé atrás e não quis ler, já com esse eu senti uma curiosidade enorme. Também fiquei com um pouco de medo, mas ver a sua opinião me tranquilizou e agora quero comprar, então já adicionei à minha lista.

    ResponderExcluir
  15. Olá, tudo bom?
    Assim como você, adoro demais a escrita dessa autora e se pudesse leria todos os livros dela! Adorei saber que o livro aborda temáticas como união familiar, a importância e necessidade do diálogo e auto estima. Gosto muito quando essas temáticas são abordadas e tenho certeza que o enredo vai me agradar muito. Dica anotada, espero gostar tanto quanto você ♥
    Beijos!

    ResponderExcluir
  16. Olá Dayhara, eu já tive a chance de ler um livro da autora e gostei bastante da escrita dela *-* Pelos seus comentários esse livro parece estar incrível, a autora soube trabalhar de uma forma muito boa o tema da depressão e suicídio e as peculiaridades dos personagens *-* Espero ter a chance de lê-lo em breve.

    ResponderExcluir
  17. Li este livro na época do lançamento nos EUA e confesso que fiquei bem decepcionada com ele. Achei a protagonista muito dramática e eram tantos temas abordados no enredo que achei que ela não se aprofundou em tudo como deveria. Mas sigo fã da autora.
    beijos

    ResponderExcluir

Todos os direitos reservados 2019 |
Desenvolvimento por: Espalhando Bonitezas - Web Design
Para o topo!