Posts Recentes

RESENHA A Ascensão do Mal

12 de janeiro de 2018


A Ascensão do Mal é o segundo livro da saga, então se prepare para uma resenha animada! 

Mais uma vez nessa releitura de O Mágico de Oz, Danielle nos coloca no mesmo universo do primeiro livro, o que não poderia ser diferente, acho isso bacana porque de certa forma a autora não fugiu da premissa do primeiro livro, a trama segue bastante envolvente, cheia de acontecimentos macabros e um suspense de tirar o fôlego. 

Nesse exemplar, muitas pontas ficam soltas para um futuro que está prestes a acontecer (no caso um terceiro livro) e ao mesmo tempo nos junta com pontas do passado (o primeiro livro), desse modo fica claro que a autora sabe muito bem sobre o que escreve e onde quer chegar, ela nos dá respostas que ficaram a respeito do livro anterior, mas ainda assim nos instiga para que fiquemos desejando o terceiro livro, foi uma jogada sensacional e que me deixou sedento pelo próximo exemplar.



Amy depois do seu fracasso na Cidade das esmeraldas e na missão de matar Dorothy, é enviada a terra de Oz e está concentrada na missão de matar Dorothy, e para isso ela tem que enfraquecê-la tirando o cérebro do espantalho, tirar o coração do homem de lata e tirar a coragem do leão, para tal ato ela conta com a ajuda de outros personagens que irão aparecer na saga e que pertencem a história original de O mágico de Oz. Acho isso um fator importante, a autora em momento algum deixou de se preocupar em criar a sua própria história mas ainda assim ela lembrou do clássico livro no qual faz referências, foi de um cuidado muito particular, encarar todo esse enredo foi como ver um excelente jogador de xadrez usando as peças certas.

Uma das grandes preocupações de nossa protagonista é se ela vai se deixar dominar pela magia de Oz e pertencê-la de fato, ou se voltará para casa como tudo era antes.


Não quero estragar a experiência de quem ainda vai ler essa continuação maravilhosa que deixa a gente com um gostinho de quero mais, assim como aconteceu em Dorothy tem que morrer.

Danielle sabe na medida certa como prender o leitor e instigá-lo a querer saber mais das suas obras.

Os outros dois livros ainda não foram lançados e não tem data prevista ainda, então só nos resta esperar para saber o que vai acontecer ainda.


Um livro fácil e rápido de ler, para quem gosta de releituras, fantasia, muita ação e reviravoltas, esse livro é para você.

E aí, estão ansiosos por essa continuação?


Título: A Ascensão do Mal
Autor (a): Danielle Paige
Editora: ROCCO
Nº de Páginas: 240
Sinopse:"Em Dorothy tem que morrer, Amy Gumm é uma garota do Kansas levada por um tornado para o mundo encantado de Oz. O que ela encontra por lá, porém, é uma paisagem bem diferente da descrita no clássico de L. Frank Baum, governada com mão de ferro por uma certa Dorothy Gale. Para fazer de Oz uma terra livre novamente, Amy precisa remover o coração do homem de lata, roubar o cérebro do espantalho e tomar a coragem do leão. E aí Dorothy morreria. Mas, em A ascensão do mal, aguardada sequência da série de Danielle Paige, ela continua viva. E o passado de Oz guarda muitos segredos que Amy ainda desconhece. Em quem ela poderá confiar para cumprir sua missão?"

RESENHA Virgem



Quando solicitei Virgem, tinha total consciência de que isso não era uma biografia mas ainda assim, quis ler para saber se isso realmente conferia. Durante grande parte dessa leitura me peguei rindo e me questionando sobre como é difícil ser mulher e como carregamos vários estigmas, como esse sobre ser virgem, você pode ser "pura" até certa idade, quem foge dessa regra vira objeto de espanto para todos os outros.

Ellie Kolstakis é uma jovem normal como qualquer outra, mas depois de uma consulta bastante constrangedora ela entende que é um pouquinho diferente das outras jovens de sua idade, ela ainda é virgem, a médica não vê isso como um problema, mas ela sim, entende que não ter feito sexo ainda é motivo de vergonha, como se ela estivesse atrasada em relação à outras mulheres ou coisa do tipo, toda essa pressão é fruto da cabeça dela, ela quem imagina isso. Creio que esses pensamentos são criados a partir da sociedade em que ela vive (nós vivemos), mulheres precisam usar rosa quando crianças, lá pelos quinze se tornam "mulheres" e por aí vai, essa história de perder a virgindade até certa idade faz parte de todos esses estereótipos que mulheres carregam ao longo da vida. Acontece que  com Ellie as coisas são diferentes, ela encara isso como se fosse um fardo, ela precisa dar um jeito nessa situação logo e não quer que outras pessoas descubram.
"Somos parte de uma geração que foi muito mal influenciada pela mídia, mas também da geração de mulheres que têm mais oportunidades que suas mães e avós."

Eu estava esperando uma leitura engraçada e foi isso que encontrei, Ellie me lembrou tantos outros chick-lists da vida, ela é muito divertida, sempre se mete em alguma situação doida e nos faz rir, mas o que realmente me chamou a atenção foi perceber como esse livro é necessário, ele é um verdadeiro manual sobre depilação, sua vagina e a saúde dela, perigos, o conceito da mulher de acordo com a sociedade... Tudo isso foi muito bem introduzido na história, entendemos essas questões sem nos dar conta, só sentimos o impacto ao terminar a obra.

Creio que Virgem veio como um ideal na minha cabeça e na verdade se tornou outro, eu esperava uma história maçante sobre como jovens querem ser descolados e fazer tudo que é necessário para não serem os excluídos do grupo, mas na verdade se tornou um manual de sobrevivência feminino, é cheio de quotes empoderadores e situações que certamente quem é mulher vai se identificar. Foi uma leitura feita em boa hora, e certamente me transformou.


"Sorri para mim mesma, percebendo o quanto havia crescido nas últimas semanas. Eu, Ellie Kolstakis, não odiava mais olhar no espelho. Estava finalmente deixando a minha angústia adolescente para trás, e desabrochando como mulher."


Título: Virgem
Autora: Radhika Sanghani
Editora: Fábrica231 (Selo da Rocco)
Nº de Páginas: 288
Sinopse:"Ellie Kolstakis tem 21 anos, ótimas amigas, uma boa situação financeira, está terminando a faculdade de Literatura Inglesa e ainda é... virgem. Mas ela está decidida a mudar isso até a sua formatura. Afinal, ela não escolheu esperar até o casamento, muito menos possui restrições religiosas ou está à procura de um príncipe encantado. O fato é que Ellie simplesmente não tem sorte quando o assunto é amor e sexo. Decidida a virar o jogo nos quatro meses que restam até se formar, a jovem divide seu tempo entre o trabalho de conclusão de curso, depilações inusitadas, seu blog, festas, conselhos de amigas e até mesmo tutoriais constrangedores no YouTube, envolvendo-se em situações mirabolantes e, claro, hilárias, da primeira à última página."
*Exemplar cedido em parceria com a editora.

RESENHA O Selvagem

11 de janeiro de 2018



Quando penso em tudo que me aconteceu em 2017 vejo como o meu gosto literário mudou, não digo que amadureceu nem nada do tipo, mas passei a ter outras preferências, um gênero que eu amava demais e simplesmente deixei de ter interesse foi o erótico, percebi que eu precisava mais do que cenas quentes e um romance clichê, eu queria que o livro me marcasse de alguma maneira, queria sentir vontade de falar sobre essa história pra todo mundo! Abandonei esse gênero porque nada me satisfazia e olhando o catálogo da Rocco resolvi arriscar, o primeiro livro dessa série me parecia uma história clichê e me surpreendeu totalmente, seja por ser um baita calhamaço ou por me fazer voltar pra esse gênero que gosto muito. Você pode conferir a resenha do livro O estranho AQUI, a leitura me agradou bastante então solicitar o segundo volume foi quase automático. Os livros podem ser lidos separadamente, não há spoiler nem nada, os personagens só vivem no mesmo círculo social (policiais gostosos hahaha).

Tess é dona de uma confeitaria, ela nasceu com o dom de transformar qualquer bolo simples em uma obra de arte, acompanhar o trabalho dela é coisa de outro mundo, inacreditável. Quando um cara bonitão e com cara de mal entra em seu estabelecimento e a convida para tomar uma cerveja ela faz o que qualquer um NÃO faria, aceita logo de primeira. Acontece que esse cara é Brock, um policial disfarçado que está seduzindo a ela para descobrir se ela está metida nos negócios de narcotráfico de seu ex marido ou não. Tess descobre a verdade da pior maneira possível, um batalhão de homens de farda e músculos durinhos acaba invadindo sua casa e levando ela para prestar esclarecimentos. Se você acha que isso é spoiler, pode parar, toda essa aventura é só o ponto inicial da história.


Depois de descobrir a verdade sobre Brock, Tess resolve dar um tempo, não quer mais envolvimento com ele, se sentiu enganada, acontece que Brock não vai desistir dela nem por um minuto, porque a ama demais e porque ela corre perigo, o ex marido da protagonista além de traficante foi um completo babaca com ela, fez coisas horríveis e a mocinha resolveu pedir o divórcio e não contar sobre os acontecimentos pra ninguém, nem para a sua melhor amiga. Agora Tess precisa ser forte, se reconstruir para conseguir viver um relacionamento saudável pela primeira vez em sua vida, contar a verdade sobre seus traumas para que as pessoas possam ser mais compreensivas com ela e se permitir viver, para finalmente ser feliz.

“Sou igual a todas as mulheres, você está vendo isso, mas por dentro tem outra coisa que não deixo que nem você nem ele vejam, é o estrago que ele fez em mim. Mas isso é meu. Ninguém atinge.”


São tantas as coisas que preciso falar sobre esse livro! Primeiro, eu amo como as editoras tem dado a devida importância para assuntos sérios, aqui os temas tratados são: Relacionamentos abusivos, estupro, divórcio e o rompimento de laços afetivos, as "obrigações" da mulher a partir de uma certa idade. Tess é uma mulher de mais de quarenta anos, não estamos acostumados com protagonistas nessa faixa de idade e achei isso primordial, tanto ela quanto Brock já são bastante experientes e não tem nada a perder, finalmente um romance sem joguinhos! Segundo, apesar de alguns errinhos de revisão, a escrita da autora evoluiu demais e se tornou muito mais fluída, o livro é um baita calhamaço, mas você lê ele em poucas horas, a história é tão envolvente e cheia de plots que você não larga por nada. Terceiro, a forma como a autora soube reutilizar os personagens do livro anterior foi excelente, nesse segundo volume tanto Gwen quanto Hawk tem a sua importância, eles aparecem pouco mas quando surgem pode ter certeza que é porque vão solucionar algum problema.

O livro em si é muito família, conhecemos toda a família de Brock, nos apaixonamos por seus filhos, sobrinhos, irmãos, odiamos a sua ex esposa e queremos fazer algo por seu pai. Tudo isso tira todo aquele estereótipo de livro erótico cheio de cenas quentes, aqui podemos contá-las nos dedos, essa não é a prioridade da obra. O foco é Tess vencendo seus medos e se curando das cicatrizes deixadas por seu ex-marido, Brock lutando por seus filhos e por uma família.

Eu realmente gostaria de falar mais sobre a obra, mas não quero dar spoiler algum nem estragar a surpresa durante a leitura. Mas deixo aqui a minha mais sincera recomendação, Kristen me fez retornar a um mundo que eu amava e não visitava a um bom tempo, espero poder conferir o desenrolar das histórias dos outros personagens.





Título: O Selvagem
Autora: Kristen Ashley
Editora: Fábrica231 (selo da Rocco)
Nº de Páginas: 464
Sinopse:"Romance, aventura e uma boa dose de erotismo são os ingredientes que dão liga a O selvagem, segundo da série O Homem dos Meus Sonhos. Depois de O estranho, a norte-americana Kristen Ashley conta agora a história de Brock Lucas, um típico brutamontes que não mede esforços para conseguir o que quer, e Tessa O’Hara, uma mulher doce que esconde um grande segredo. Quando ele a convida para uma cerveja, Tess não imagina que Brock é um agente que se aproximou dela para investigar os crimes de seu ex-marido. Ao descobrir a verdade, ela tenta se convencer de que Brock não é o homem dos seus sonhos e tem certeza de que precisa pôr fim a este relacionamento. Mas ele não está disposto a deixá-la ir. Pelo contrário, Tess tornou-se um vício incontrolável para Brock. E o agente selvagem está mais disposto do que nunca a finalizar seu trabalho. E a conquistá-la de vez."

*Exemplar cedido em parceria com a editora.

RESENHA O Terror Presente em Criaturas & Criadores

10 de janeiro de 2018


Vocês adoram receber pacotes de surpresa? Eu sim! Fiquei imensamente feliz quando recebi essa belezinha da Editora Record, vocês não tem ideia da beleza que esse livro tem, pessoalmente é outro nível! Capa dura, folhas grossas, todo trabalhado no brilho... Qualquer um fica facilmente apaixonado por essa edição. Confesso que não sou a maior fã de livros de terror, essa parte fica com o Pê, outro colaborador do blog, sou a louca dos romances, mas após uma ressaca causada por trabalhos da faculdade eu senti que precisava respirar um ar diferente, expandir meu "olhar literário" e me aventurar em outros meios, essa foi a primeira obra que tive em mente quando pensei nisso, não hesitei em começar a lê-la, mesmo pensando em como dormiria a noite. Os contos são extremamente curtinhos e li rapidamente, entrei profundamente em cada história, vibrei e senti medo como ninguém, a viagem pelo terror foi incrível. Acompanhar essa releitura feita por autores brasileiros mostra como os autores nacionais vem crescendo cada vez mais, nenhum deixou a desejar, todos foram fantásticos ao seu modo, vou comentar sobre cada um.


A criatura- Raphael Draccon - O primeiro conto mostra a entrevista entre uma youtuber e um médico, a intenção da personagem famosa é fazer com que o médico conte para as câmeras o que realmente aconteceu no dia em que o BOPE invadiu a favela e matou o maior traficante da cidade. O conto é uma releitura de Frankenstein e tudo parecia ir muito bem, nada de sustos, o entrevistado só estava contando como o traficante morreu, eis que ele começa a explicar porque tantos policiais morreram... A narração é feita no presente, durante a entrevista e quando os crimes aconteceram, o plot do conto é sensacional e você fica de boa aberta, com esse conto você entende como a criatura é capaz de tornar maior que o seu criador.

Conde de Ville - Carolina Munhoz - Esse conto foi muito bacana por um motivo bastante simples e representativo, a personagem principal é gorda! Representatividade importa meus caros, em todos os níveis. Elisabeth está em uma fase difícil, ela é escritora de terror e enfrenta uma grande crise criativa, não consegue escrever nada. Quando seu namorado que irá trabalhar em uma boate que acabou de abrir a convida para conhecer o lugar, ela conhece o dono do estabelecimento que é todo gótico e estranho, a paixão é quase imediata e já sabemos que aqui o clássico usado como base é Drácula. Talvez esse tenha sido o conto que menos me impactou, não teve nenhum ponto alto, tudo foi muito linear.

Por trás da máscara - Frini Georgakopoulos -  Primeiro preciso dizer que eu dou um prêmio a qualquer um que consiga falar o nome dessa autora haha sofri demais até pra digitar. Esse conto me deixou bastante emocionada, de verdade, o clássico usado como base é O fantasma da Ópera mas sinceramente, foi tudo diferente do que eu esperava, Christine segue em luto pela morte do seu pai, seu sonho agora é dar orgulho a ele, onde quer que ele esteja mas ela não anda desempenhando muito bem essa função, está a um passo de ser expulsa do local onde estuda e decide apelar para ajuda superior. Sua amiga Meg comenta com ela que há uma lenda muito interessante sobre o antigo teatro, um professor que lecionava lá morreu, desde então ele ajuda jovens com o coração puro a fazer música de verdade. Chris vai sem acreditar e o fantasma de fato aparece, aqui cremos que o cara realmente é um fantasma e até achei bizarro ela se apaixonar por ele... Que nada, o fantasma é o terror em si, sem querer dar spoiler, mas o ser de outro mundo é um grande alerta de relacionamento abusivo.

O sorriso do homem mau - Raphael Montes - Esse foi o conto que eu estava mais ansiosa pra ler, Raphael Montes é puro sucesso, teve seus livros traduzidos para mais de 20 países e fiquei um pouco desapontada com um conto tão curtinho, mas ele não deixou a desejar de forma alguma. Talvez esse tenha sido o conto mais macabro e que me deixou com medo de dormir. Pablo é um homem calmo, excelente dentista e ama crianças, possui uma linda família, mas há algo assustador nele, ele acaba sequestrando seu próprio sobrinho, faz coisas horríveis, espanca, mutila, é doentio e ele simplesmente não se lembra das coisas que faz, eu simplesmente não faço ideia de qual clássico Raphael usou como inspiração, mas seja lá o que for, quero ler! Pablo segue essa vida dupla por pouco tempo, ele não consegue fingir ser um bom marido, preocupado com o sumiço de seu sobrinho e um homem doentio nas horas vagas, você sente nojo das coisas que ele faz, sente pena de seu sobrinho, quando achamos que esse é o cenário do conto e que não iremos mudar de opinião, o autor mostra porque é tão famoso por suas histórias, ele mostra como o ser humano pode ser corrompido pela sociedade e como a perversidade está presente em todos.

Essa edição é uma das mais belas da minha estante, a leitura foi prazerosa demais e indico a todos que gostam do gênero ou querem se aventurar um pouquinho, você não vai se arrepender!
"De um lado um homem fascinado com o fruto de sua própria ambição. Do outro, uma mulher aterrorizada pelo mesmo motivo."

Título: Criaturas & Criadores - Histórias Para Noites de Terror
Autores: Raphael Draccon, Carolina Munhoz, Frini Georgakopoulos, Raphael Montes.
Editora: Record
Nº de Páginas: 248
Sinopse:"Clássicos do medo reinventados por quatro escritores brasileiros, para noites de sustos, terror e gritos. Quatro dos mais populares autores contemporâneas brasileiros, Raphael Draccon, Carolina Munhoz, Frini Georgakopoulos e Raphael Montes se uniram para reinventar os contos de terror clássicos. Frankenstein vive, e está numa favela do Rio. Rumores indicam que Drácula pode ser o dono de uma nova e badalada boate. Numa faculdade de artes, há uma lenda que diz que um fantasma ajuda belas jovens a cantar num teatro abandonado. Um mistério ronda a vida de um dentista e pai de família que está prestes a descobrir seu lado mais monstruoso. Quatro clássicos do medo reinventados por quatro escritores brasileiros para noites de sustos, terror e gritos."
*Exemplar cedido em parceria com a editora.

RESENHA O Leão Ferido

8 de janeiro de 2018


Você já amou tanto um livro que pediu a todos os signos do zodíaco para que ele não terminasse? Você já entrou tão profundamente em uma história que ao terminar a leitura você se preocupou com o futuro dos personagens? Bom, isso aconteceu comigo em O leão ferido.

A série Signos do amor tem como finalidade romances com um pequeno toque de erotismo mas acima de tudo que prese as qualidades de determinado signo do zodíaco, li o primeiro livro da série tem um bom tempo e amei, foi uma leitura profunda e que fez criar afeto pela autora, muito tempo depois encontrei essa belezinha em promoção na Amazon e o comprei sem medo de ser feliz, acontece que esse é o terceiro livro da série, sendo assim, pulei um, ao que tudo indica o segundo livro é sobre o ponto de vista de Evie sobre a história, eu fui diretamente para o terceiro e peguei todo o desenrolar da trama de acordo com o olhar de Leo e se você acha que me sinto mal por isso... Leo é um verdadeiro leonino que quando aparece faz acontecer, de personalidade forte e opiniões extremas. Observar esse romance pelo ponto de vista do mocinho me fez ver como os homens geralmente são sempre os fortões do romance, mas nada impede que uma triste história tenha acontecido em seu passado e os tornem fragilizados, sentir isso com o protagonista foi sensacional. 


Em O leão ferido temos a mesma história de O coração do Leão, pelo que pude entender nada mudou, a única coisa diferente do segundo para o terceiro livro da série é a narração, agora feita por Leo, ele é um cara muito ressabiado e desconfiado de todos, iniciamos a leitura já sabendo que Leo está hospitalizando, sofreu um grave acidente de carro e segue em recuperação, não somente física como psicológica, ele vem sendo acompanhado por um psicólogo mas insiste em não se abrir, mas como diz o ditado... Água mole, pedra dura, tanto bate... Ele vai acabar cedendo aos seus instintos de jovem machucado e vai desabafar. Simultaneamente vamos acompanhando como o romance entre ele e Evie nasce, ele a segue por muitos dias até ter informações o suficiente para saber sobre sua vida por completo até que ela percebe e ele precisa inventar uma desculpa de última hora, diz que Leo em seu leito de morte pediu para que ele conferisse se Evie estava bem, sendo assim ele passa a usar somente o seu nome de adotado, sem dar espaço para a desconfiança da garota.

As coisas vão avançando, o romance vai crescendo e florescendo de uma maneira mágica, Evie sofreu muito em sua vida, seja em lares adotivos ou tentando sobreviver sozinha, hoje ela tem uma vida simples e leva vida como pode, já Leo... Teve a sorte grande, foi adotado por uma família rica e herdou os negócios do pai, de certa forma ele herdou a esposa do pai também, ela é uma mulher totalmente maluca e que ele nunca chamou de mãe, entender o motivo para todo esse ódio por parte dele nos faz sofrer como ele sofreu na mão dessa mulher ardilosa, eu fiquei sem palavras quando descobri o que ela fazia com ele quando mais novo. 

Fiquei muito incomodada em como Evie não reconheceu Leo como o cara de seu passado, como comprou essa história de que ele era uma amigo de Leo e que veio só ver como ela estava, isso me pareceu muito estranho, eles tiveram uma história quando crianças, como ela não notou? E aí comecei a refletir sobre isso e como o signo poderia influenciar, Leo é um cara que assim como o signo de leão sabe se reinventar, é forte, destemido mas que sabe como seduzir as pessoas quando necessário, ele é capaz de fazer você comprar a história dele e acreditar em qualquer coisa que ele diga, leoninos são assim por natureza e a autora soube usar isso de maneira excepcional.

Foi um romance bastante trabalhoso de ler, apesar de ser curto a carga emocional é bastante intensa, acompanhar os problemas familiares do protagonista não foi nada fácil, a parte doce desse livro foi o Dr.Fox, o psicólogo que foi capaz de abrir o coração de Leo e curá-lo.

Terminei essa leitura feliz, realizada e com a certeza de que essa série tem tudo para ser a queridinha de minha estante.
“Ninguém jamais chegou nem perto de despertar em mim algo parecido do que eu sentia por Evie. Eu estava condenado pelo resto da vida a comparar todas as mulheres que eu conhecesse com a garota que ainda era dona do meu coração.”

Título: O Leão Ferido
Autora: Mia Sheridan
Editora: Arqueiro
Nº de Páginas: 240
Sinopse: "Cada livro da coleção Signos do Amor é inspirado nas características de um signo do Zodíaco. Esta história se baseia na mitologia de Leão e fala sobre as segundas chances que a vida nos dá. Leo se apaixonou por Evie quando os dois ainda eram crianças, no lar adotivo temporário em que viviam. No futuro difícil que parecia guardado para ele, a única certeza de seu coração era que nada jamais o afastaria daquela garota. Mas, na adolescência, ele foi adotado e teve que se mudar para outra cidade. Durante oito anos eles ficaram afastados contra a vontade e, nesse tempo, Leo precisou superar muitos obstáculos – sobretudo os problemas criados pela mãe adotiva – para se tornar o homem que merecesse Evie e pudesse finalmente buscá-la. O reencontro, porém, não foi fácil e Leo teve que se esforçar para se reaproximar de Evie, reconquistar seu amor e, com sua ajuda, deixar para trás toda a tristeza de uma infância de abandono. Em O Coração do Leão, Evie narrou seu lado desse romance. Agora, em O Leão Ferido, é a vez de Leo contar tudo o que lhe aconteceu e revelar o desfecho dessa história de amor."
Todos os direitos reservados 2019 |
Desenvolvimento por: Espalhando Bonitezas - Web Design
Para o topo!