Posts Recentes

RESENHA Maresi

5 de abril de 2018


Esse foi o meu primeiro contato com a editora Morro Branco, se eu gostei? Li Maresi em algumas horas, em seguida li Kindred e logo sai a resenha de De volta para casa, então o que você acha?

Que livro sensacional, que trama! Eu sinceramente não sei por onde começar, tem tanta mulher incrível nessa história que quase soa injusto não mencionar todas as habitantes dessa ilha.

Pra começar, a Ilha de Menos, onde se localiza a Abadia Vermelha só pode ser habitada por mulheres, homens chegam até ao porto somente, para realizar trocas de alimentos e trazer novas garotas, o homem que ousar pisar os pés na ilha é severamente punido por forças que ninguém é capaz de explicar. Há um clima muito oculto e misterioso em relação a esse lugar, todos respeitam muito essas mulheres, pessoas de lugares distante as veem como lendas, mas se tem uma coisa que essas mulheres são, é reais, são mulheres de fibra e que não vacilam quando o medo encara elas de frente.


A história é narrada por Maresi, uma das garotas acolhidas pelas mulheres da ilha, fica claro no decorrer da leitura como essa união feminina é forte e elas buscam o poder por meio do conhecimento, esse é um dos pontos mais latentes da história e que é visto como um dos pilares dessa Abadia para que de fato ela funcione. Tudo é relativamente tranquilo na ilha, as garotas recebem ensinamentos por todo lado, todas se ajudam nas tarefas, mas quando uma garota nova chega, tudo muda de rumo. Jai é uma garota calada, chegou muito debilitada e tem uma história que ninguém sabe. Ela foi acolhida pelas mulheres da ilha porque fugiu de seu pai, um homem altamente cruel e que foi capaz de coisas baixíssimas com sua irmã. No entanto, ela não é de falar muito, sabemos que há um trauma e acima de tudo um temor, mas Jai fala pouco. 

Acontece que seu pai nem os homens que o acompanham querem deixar a garota em paz, a honra da família foi manchada e ele deseja vingar. Com isso, toda a ilha está ameaçada, aqui vale o ditado "Mexeu com uma, mexeu com todas" todas as mulheres da ilha irão lutar não somente para salvar Jai, como também para entender como a magia irá caminhar com elas a partir daquele momento. Eu subestimei o elemento fantástico desse livro e levei um grande soco na cara! Ele estava ali, quietinho, aparecendo uma vez ou outra, reverberando na história, mas quando apareceu... Mostrou porque merecia espaço.

Eu realmente não quero dar spoiler sobre esse livro, ele é só o primeiro de uma série maravilhosa, mas o primeiro contato com a escrita da autora não poderia ter sido melhor. Maria conseguiu construir um mundo fantástico em 200 páginas, colocou mulheres fortes e no decorrer da história reforçou a importância da literatura. Sem contar essa espécie de hierarquia que sabe dar lugar ao novo, sabe respeitar o espaço e a importância de cada mulher naquele local, até as crianças são empoderadas! É lindo demais.

Me senti confortável fazendo essa leitura, me senti acolhida, e acima de tudo entendi como a sororidade é importante, mulheres unidas são fortes, movem mares, literalmente. Esse é só o primeiro livro! Ele terminou muito bem fechadinho, tudo foi bem solucionado e ainda deixou um baita gostinho de quero mais. 
"A ilha tinha cheiro de mel e de sereno enquanto subíamos o caminho pela encosta da montanha e eu me lembro de pensar que nunca poderia ter sonhado com tal lugar quando vivia no vilarejo. Um lugar com calor e alimento e conhecimento. A vida em Rovas era como uma caverna onde ninguém tem ideia do mundo exterior e a escuridão fria da caverna é tudo que todos conhecem. Vir para a Abadia e aprender a ler foi como abrir uma grande janela e ser inundada de luz e calor."

Título: Maresi
Autora: Maria Turtschaninoff
Editora: Morro Branco
Nº de Páginas: 200 páginas
Sinopse: "Uma história sobre amizade e sobrevivência, magia e encantamento, beleza e terror. Maresi chegou à Abadia Vermelha quando tinha 13 anos, durante o Inverno da Fome. Antes disso, só ouvira rumores e fábulas sobre o lugar. Em um mundo onde garotas são proibidas de estudar ou seguir seus próprios sonhos, uma ilha habitada apenas por mulheres soava como uma fantasia incrível. Agora Maresi vive ali e sabe que é real. Ela está segura. Tudo muda quando Jai, com seus cabelos emaranhados, cicatrizes e roupas sujas, chega em um navio. Ela fugia da crueldade e dos perigos escondidos em sua terra natal – mas os homens que a perseguem não vão parar por nada, até encontrá-la. Agora as mulheres e meninas da Abadia Vermelha terão que usar seus poderes e conhecimento ancestral para combater as forças que desejam destruí-las. E Maresi, assombrada por seus próprios pesadelos, deve confrontar seus mais profundos e terríveis medos." *Exemplar cedido em parceria com a editora. 

RESENHA Entre as Estrelas

4 de abril de 2018



Só tenho uma coisa a dizer sobre esse livro: tristíssimo, arrasou meu coração. Esse livro é todo lindo e todo triste, a capa é maravilhosa e fiquei apaixonada por ela. A história é triste do começo ao fim porque já começa em uma situação ruim, mas ao mesmo tempo é lindo. 


A história é a seguinte, Carys e Max estão presos no espaço e não tem jeito deles voltarem para a nave nem tem como eles falarem com a central na terra, ou seja, eles estão largados no espaço e caindo cada vez mais em direção aos asteroides que estão ao redor da terra. E para piorar tudo isso os cilindros de oxigênio deles não estavam cheios e eles só tem 90 minutos de ar. O livro foi bem pensado sendo em terceira pessoa, então nós sabemos o que os dois estão pensando ao mesmo tempo o que é bom por que o livro todo se passa em 90 minutos e não dá para perder tempo. A narrativa é dividida em presente e passado, então ao longo do romance nós vamos sendo apresentados ao porquê de eles estarem no espaço e o porquê eles estão fora da nave. 





Os protagonistas vivem em um universo distópico, e, diferente de quase todos os livros, o país principal e que acontece tudo não é os EUA e sim na Europa. A Europa é o centro do mundo, a utopia, todas a leis e regras foram pensadas para o bem-estar comum e a prosperidade da utopia, no entanto, no momento atual da narrativa algumas regras não estavam agradando mais as pessoas. E é aí que Carys e Max entram. Nessa sociedade perfeita todos vivem em um sistema de rotação, então de 3 em 3 anos eles mudam de país, país esse que faça parte da Voivoda que são os países que aceitaram viver com todas as novas regras que foram criadas, ou seja, a cada 3 anos eles tem que mudar de casa, fazer novos amigos, aprender uma nova língua que, para eles, 5 é o mínimo que eles deveriam saber para poder falar com 70% da população mundial, o que faz sentido pois eles sempre mudam de país. Pode até parecer incrível, poder conhecer o mundo todo e conhecer novas culturas, no entanto, isso acaba se tornando muito solitário e triste. Além disso, eles têm uma regra que duas pessoas só podem se casar depois dos 35 anos de idade. Ninguém fala nada contra essa lei, mas como sempre e em todo lugar algumas pessoas não concordam tanto assim e duas delas são Carys e Max. Eles acabam se apaixonando e querem ficar juntos, mas como ele faz parte de uma das famílias fundadoras ele precisa dar o exemplo e isso dificulta muito a convivência entre eles, pois Carys não liga tanto assim para as leis. Muita coisa acontece até nós descobrirmos o motivo de eles estarem no espaço, coisas tristes, coisas idiotas que todo ser humano faz e muito amor. Esse amor é bonito e real, tudo se encaixa quando eles estão juntos. 


Os capítulos finais foram bem confusos para mim, mas no último capítulo tudo é esclarecido. É um livro ótimo e bem futurista, a sociedade está bem diferente do que imaginamos, as pessoas quase não cozinham, todos tem um chip no braço no qual é possível controlar tudo. É realmente bem avançado nesse quesito, então se você gosta de uma distopia com direito a retrato digital e com todas as paredes juntas como uma tela gigante esse livro tem que estar na sua lista. 
"− Pode até ser – responde Max −, e eu não gosto de ter que dizer isso, mas qualquer sistema que pode ser arruinado pelo fato de eu amar você já era bem frágil antes."


Título: Entre as Estrelas
Autora: Katie Khan
Editora: Bertrand Brasil
Nº de Páginas: 280
Sinopse: "Um romance futurista surpreendente sobre o impacto do primeiro amor e como nossas escolhas podem mudar o destino de todos ao nosso redor. Perfeito para os fãs Um Dia e Gravidade. Num futuro não muito distante, após a aniquilação dos Estados Unidos e do Oriente Médio, a Europa nada mais é que uma utopia na qual, a cada três anos, a população se muda para uma nova comunidade multicultural. Em um desses paraísos, Max conhece Carys, e é amor à primeira vista. Ele logo percebe que Carys é a pessoa com quem deseja passar o resto da vida - uma decisão impossível nesse novo mundo. Conforme o relacionamento dos dois se desenvolve, a conexão entre o tempo deles na Terra e o dilema atual no espaço vai sendo revelado. À deriva entre as estrelas, com apenas noventa minutos de oxigênio, eles concluem que só um deles tem a chance de sobreviver. Mas quem?"*Exemplar cedido em parceria com a editora.
Todos os direitos reservados 2019 |
Desenvolvimento por: Espalhando Bonitezas - Web Design
Para o topo!