Posts Recentes

RESENHA Os Seis Finalistas

27 de julho de 2018


Se a Jangada diz que esse livro é o queridinho dela ultimamente é porque esse livro é incríveeel! Primeiramente, essa capa é linda demais, foi amor à primeira vista. Logo que eu comecei a ler comecei a sentir uma semelhança com The Hunger Games (Jogos Vorazes) por serem Vinte e Quatro jovens escolhidos para ficarem um período treinando antes de irem para o espaço. Me lembrar Jogos Vorazes fez com que eu me interessasse mais pela história, mas não pense que o livro é bom por se parecer um pouco com algum outro, Os seis finalistas é bom por si só.


A história é a seguinte: depois de tantos anos sofrendo maus tratos, poluição e desrespeito ao meio ambiente a Mãe Natureza decide retribuir aos seres humanos todas as coisas ruins que eles fizeram à terra. Enchentes destroem vários países ao redor do mundo matando várias pessoas e deixando famílias sem todos os membros, sem lar e sem rumo na vida. Agora todos vivem do jeito que conseguem, lutando para sobreviver mais um dia, o governo faz racionamento de comida e tenta ajudar como é possível.




Em meio a esse cenário devastado, os cientistas tentam encontrar uma saída para a humanidade, e qual é essa saída? Povoar outro planeta, para ser mais especifica a lua de Júpiter, também chamada de Europa. Mas para isso acontecer eles precisam mandar alguém para lá, Os seis finalistas, e é ai que entra nossos protagonistas. Naomi é filha de imigrantes e mora nos EUA, é uma garota muito inteligente, manda muito bem em ciências e tem até alguns prêmios. Se tem uma coisa no mundo que ela ama é sua família, seu irmão mais novo, Sam, tem um problema no coração e ela sempre tenta achar um jeito de curar ele, uma vez ela hackeou o sistema do hospital para descobrir o que ele tinha, como podemos ver ela é muito esperta.

Leonardo é um jovem italiano que, antes de acontecer essa tragédia com a terra, era um ótimo nadador, venceu várias competições quando estava no colégio, mas ai veio as enchentes que mataram toda a sua família e ele ficou sozinho no mundo e desde então vem tentando sobreviver a cada dia de uma vez. Quando a narrativa é iniciada ele está pronto para se matar, ele não aguenta passar mais um dia olhando os pertences de sua família e imaginando como seria se eles ainda estivessem vivos. Mas quando ele está pronto para acabar com seu sofrimento ele ouve o som de um navio chegando e fica curioso e o segue. Podemos dizer que essa escolha mudou a vida dele para sempre.

Naomi e Leo são recrutados para serem um dos Vinte e Quatro jovens que treinarão duro para salvar a humanidade, sem pressão. Apesar de Naomi e Leo ficarem muito amigos durante o treinamento, eles têm intuitos diferentes em relação aquela viagem. Para o Leo aquela viagem é a salvação da sua vida, ele precisa conseguir ficar entre os seis finalistas que irão para a lua de Júpiter, ele não conseguiria voltar para a Itália e viver sozinho de novo. Mas Naomi não quer ir por nada nesse mundo, ela é muito ligada a família e a seu irmãozinho doente e sente que não pode deixa-lo, mas isso tudo não é uma escolha, é um recrutamento.

Naomi promete a seu irmão que vai encontrar uma forma de voltar para casa e acabar com aquela ideia insana de mandar seis jovens para o espaço. Ela e o irmão seguem um blog chamado O conspirador do espaço que tem toda certeza que existe vida na lua de Júpiter e que essa viagem é muito perigosa. Baseada nisso, Naomi vai até o fim para provar isso e salvar a todos com a ajuda de Leo.

O final é surpreendente e eu só vou dizer uma coisa: EU PRECISO DE UMA CONTINUAÇÃO...


P.S: A frase no topo do livro te dá um spoiler do que vai acontecer, mas você só se toca no final...
"Aprendemos da forma mais difícil na Terra que nenhuma tecnologia ou riqueza vale poluir e destruir nosso planeta. Vocês não podem se dar ao luxo de cometer o mesmo erro em Europa."


Título: Os Seis Finalistas
Autora: Alexandra Monir
Editora: Jangada
Nº de Páginas: 328
Sinopse: "Mudanças climáticas tornam nosso planeta inabitável, as grandes cidades do mundo estão debaixo d'água. Num último esforço para encontrar um novo lar para a humanidade, a Missão Especial mais audaciosa da história é lançada: a colonização de Europa, uma das luas de Júpiter. Agora, no Centro de Treinamento Espacial Internacional (CTEI), 24 adolescentes brilhantes foram recrutados e se preparam para disputar seis vagas na equipe que deixará para sempre a Terra carregando o futuro da raça humana. Leo, um nadador italiano profissional, não vê a hora de encarar esse desafio, depois de perder a família inteira numa inundação. Já Naomi, uma americana de ascendência iraniana - e gênio da ciência -, tem muitas suspeitas com relação ao CTEI, após uma missão semelhante falhar em circunstâncias misteriosas. Na medida em que o treinamento testa os limites de cada um e a tensão aumenta entre os astronautas, a amizade dos dois se torna essencial para enfrentarem o que está em jogo: a humanidade, a Terra e suas vida" *Exemplar cedido em parceria com a editora.

RESENHA Engano Irresistível

26 de julho de 2018


Depois de ler muita fantasia, decidi que precisava voltar ao meu gênero do coração por segurança, porque ler um romance de vez em quando não faz mal, certo? Optei por Vi Keeland sem pretensão alguma, já li algumas outras coisas da autora e gostei, mas não imaginei que fosse me apaixonar tanto assim pelos personagens dessa história, tudo aqui é muito forte, muito real. Diferente daquele enredo onde os personagens fazem tempestade em um copo d'água, aqui as coisas não são facilmente resolvidas, o passado é motivo para se fechar em uma conchinha, e abri-la pode doer.

Rachel é parceira demais de sua amiga, e quando vê que a mesma teve o coração partido por um babaca, ela resolve que vai dar um jeito na situação, brigando com o cara, isso acontece logo no início do livro, ela está lá, dando um esporro em um lindo homem que saiu com a sua amiga e é casado e a primeira coisa que você pensa é "Pronto, ela vai se envolver com um homem comprometido" mas após o esporro e na ida pra casa, Rach descobre que brigou com o homem errado, aquele não era o homem que saiu com sua amiga, ela estava bêbada demais para apontar para o homem correto, o que fazer diante dessa situação? Ir embora, não se desculpar e agir como se aquilo nunca tivesse acontecido, certo? É o que Rachel faz, mas quando chega para a aula... Descobre que o desconhecido é Caine, que não será somente seu professor, será também o supervisor de monitoria, como superar essa vergonha e conviver como se aquele primeiro encontro nunca tivesse existido?

Passei a noite sem dormir por conta dessa belezinha aqui! Tenho o hábito de ler e-book antes de me deitar, ajuda a cair no sono, acontece que comecei a ler Engano irresistível e não consegui mais parar, precisava saber o que ia acontecer e lá se foi uma noite bem dormida embora.

Lidar com o que aconteceu no primeiro encontro é bastante complicado pra Rach, ela tenta a todo custo resolver essa situação para não ter complicações com seu professor, mas só piora as coisas, chegando atrasada e coisas do tipo, já Caine acha graça nisso tudo, ele é um homem bastante jovem, mas que tem uma formação acadêmica de dar inveja, sem contar que é extremamente profissional. Aqui o relacionamento entre aluna e professor é questionado o tempo todo, Caine não é desse tipo de cara, ele sabe que sente algo por Rach e sabe que é quase impossível lidar com esse sentimento, mas ainda assim respeita muito o seu emprego, sendo assim, inicialmente ele vai pelas beiradas, colaborando na monitoria, dando dicas importantes e de quebra sendo um bom amigo que sempre sai com Rachel, mas ela... As coisas são complicadas, ela se segura demais em relação ao que sente também, principalmente por respeito, mas hora ou outra as coisas sairiam de controle né? Só posso dizer que quando a "relação" deles de fato passa a acontecer, é de pegar fogo.

O livro é narrado de uma maneira bastante diferente, além do ponto de vista de ambos os personagens, há também alguns capítulos no passado, que narram a adolescência de Caine e a infância de Rachel, eu achei isso muito estranho, na verdade doloroso! Rach passou por muita coisa quando era pequena, coisas pesadas demais, incluindo abuso e violência, mas Caine... Você muitas vezes se pergunta qual a necessidade de mostrar o passado dele também, mas quando descobre, fica totalmente sem reação. Essa é uma daquelas situações onde você se pergunta se vale realmente a pena saber a verdade.

Pra além de um romance com algumas cenas hot, esse é um livro bastante forte, que fala sobre as dores e cicatrizes que carregamos ao longo da vida, fui pronta pra me apaixonar pelo mocinho e terminei o livro chorando pelos dois, definitivamente um romance que vai ficar marcado em mim. 
"Você é tão cheio de si, que já decidiu que vai partir meu coração. Já parou para pensar que talvez seja eu que parta o seu coração algum dia?"

Título: Engano Irresistível
Autora: Vi Keeland
Editora: Universo dos Livros
Nº de Páginas: 336
Sinopse: "A primeira vez que vi Caine West foi em um bar. Ele notou que eu o estava encarando e deduziu que fosse um flerte. Quando veio falar comigo, coloquei-o na linha, exasperando tudo o que eu pensava sobre ele ser um mentiroso, traidor e egocêntrico. Sabe, aquele delicioso canalha havia levado minha amiga para jantar; depois, foram para cama e ele nem sequer mencionou que era casado. Por isso, merecia cada xingamento que saía da minha boca. Quando terminei, um sorriso preguiçoso se expandiu em seu rosto perfeito em resposta ao meu sermão. Só então percebi que o homem para o qual eu vociferava impropérios não era o cara certo. Ops. Lindo engano. Com vergonha, saí sem me desculpar e achei que nunca mais veria o estranho bonitão na vida, certo? Foi o que pensei... Até chegar à aula na manhã seguinte... Olá, professor West, sou sua nova assistente. Trabalharei diretamente abaixo de você... no sentido figurado. Embora trabalhar debaixo do professor West não fosse uma má ideia..."

RESENHA A Parábola do Semeador

23 de julho de 2018


Eu conheci a editora Editora Morro Branco por conta de Octavia Butler, quando eu soube que suas obras seriam finalmente traduzidas, decidi conhecer qual editora faria esse milagre incrível. Sempre me soou uma situação muito estranha, pra não dizer racista de maneira velada, que a maior mulher na ficção científica nunca houvesse sido traduzida, ser negra nessa questão, só "clareou" ainda mais os motivos. Octavia é uma escritora de renome no cenário mundial, não só por seus prêmios conquistados mas por escrever obras que atravessam as fronteiras do tempo, independente da época em que foram escritas, sempre vai se encaixar no cenário atual de alguma maneira, e nessas horas me pergunto porque Margaret Atwood, tem recebido tanta notoriedade, e Octavia não? Suas obras são igualmente sensacionais, mas o recorte racial presente em Octavia, que muitas vezes foi o motivo para impulsionar a minha leitura, aos olhos dos outros nem sempre é atrativo, pois bem, a Morro Branco ouviu minhas preces e tem traduzido suas obras porque reconhece a importância dessa representatividade e acima de tudo, reconhece o talento dessa mulher magnifica. Minha experiência com Kindred foi tão forte e impactante que hoje considero um dos melhores livros da vida! Por meio dele entendi como o contexto de escravização serviu para perpetuar hábitos que excluem minorias e que reproduzimos nos dias de hoje, Dana sempre vai ser uma personagem forte e sinônimo de resistência pra mim, mas já em A parábola do semeador... Lauren nem parece um ser humano de verdade, nem parece uma adolescente que amadurece enquanto sofre, Lauren me soa como uma entidade, consciente de seus valores e de seu poder de mudança, sabe até onde pode ir, e do que precisa para tal.

O ano é 2024, em um futuro distópico os EUA passa por sérias mudanças, o cenário é um verdadeiro apocalipse, não há comida para todos e essa custa caro, água é um bem valioso e a segurança não existe, pessoas moram nas ruas, em construções abandonadas, andam sujas, tomar banho é um verdadeiro luxo, Lauren mora em uma das poucas comunidades que ainda são seguras, protegidos por portões altos e um muro maior ainda, a comunidade se esconde de uma civilização assustadora. Nesse ambiente eles tentam viver como uma pequena cidade, plantando seus alimentos, ensinando as crianças e ajudando uns aos outros, acontece que hora ou outra essa paz iria acabar, não se pode esconder de um mundo que te engole, e após seu pai, um dos responsáveis pela comunidade morrer, e a mesma ser atacada, queimada e muitas famílias morrerem, Lauren se vê destinada a fugir e dar início a tão sonhada Semente da Terra, mas o que é isso?

Lauren é a primeira filha de um homem integro, que sempre pensou no bem coletivo, pregador, casado com outra mulher e que sempre incentivou a educação para seus filhos, apesar disso, nunca deixou de treiná-los para caso algo acontecesse, Lauren e seus irmãos leem com frequência, mas também atiram, aprendem a plantar e tantas outras técnicas para sobreviver ao mundo caótico. Acontece que Lauren não é tão religiosa quanto seu pai espera, ela acredita em Deus, mas em um Deus diferente, o Deus da mudança, e pensando nisso ela criou A semente da terra, uma espécie de religião, mas que não segue os preceitos de nenhuma outra, e visa o bem da comunidade. Criou, mas ainda não colocou em prática, a Semente existe apenas em seus escritos e anotações, quando se vê sem ninguém, em um mundo violento e sem ter para onde ir, ao invés de sentir medo ela sente que essa é a chance para criar a sua comunidade.


Meu Deus que livro! Assim que chegou, passei na frente de todas as outras leituras e não me arrependi nadinha! Octavia não soube dosar a mão para brincar com o meu coração. Após a destruição de sua comunidade a personagem principal decide fugir para uma outra região, a alguns milhares de quilômetros de distância, acompanhada de dois outros sobreviventes de seu bairro, ela parte, Lauren é muito inteligente, antes de tudo acontecer ela teve a esperteza de sentir que as coisas não iam bem, estocou comida, munição, roupas e até mesmo dinheiro, ela estava preparada para o pior, sempre esteve. Acompanhá-la em sua jornada é como ver uma líder nascendo, uma caminhada que iniciou com três pessoas e no final da obra terminou com uma verdadeira legião. Lauren é humana, mas tem um dom especial, ela partilha o sentimento de outras pessoas, principalmente a dor, então quando ela precisa atirar em alguém, matar alguém, ela sente a dor junto com quem sofre, inicialmente achamos que isso é uma fraqueza mas não é assim que as coisas funcionam...

Sobre o cenário, tudo é perfeito e perturbador, a autora soube exatamente segurar as mãozinhas no que diz respeito aos detalhes, eu me vi caminhando nas estradas secas, me vi me escondendo de tiroteios e me desesperando pela vida de meus amigos, eu me vi na cabeça de Lauren, pensando em um mundo melhor e sentindo que sou a mudança e as coisas podem melhorar a partir das minhas ideias, assim como ela, me senti forte.

Poderia ficar horas falando sobre essa belezinha, mas minha única dica é: Leiam Octavia, leiam até sua lista de compras, essa mulher é sensacional, suas obras escritas a tanto tempo seguem sendo reais, reais demais! Me vi assustada pelo rumo que nosso mundo vem tomando, mas consciente de que alguém muito antes de mim já vinha pensando nisso.
“As pessoas jogam coisas para nós as vezes – presentes de inveja ou de ódio: um animal morto cheio de vermes, um saco de merda, até um membro decepado de uma pessoa ou uma criança morta.”


Título: A Parábola do Semeador
Autora: Octavia Butler
Editora: Morro Branco
Nº de Páginas: 416
Sinopse: "Quando uma crise ambiental e econômica leva ao caos social, nem mesmo os bairros murados estão seguros. Em uma noite de fogo e morte, Lauren Olamina, a jovem filha de um pastor, perde sua família, seu lar e se aventura pelas terras americanas desprotegidas. Mas o que começa como uma fuga pela sobrevivência acaba levando a algo muito maior: uma visão estonteante do destino humano ... e ao nascimento de uma nova fé."
*Exemplar cedido em parceria com a editora.

Todos os direitos reservados 2019 |
Desenvolvimento por: Espalhando Bonitezas - Web Design
Para o topo!