Posts Recentes

RESENHA Menina Boa Menina Má

16 de janeiro de 2019


Oi, aqui é a Isa e eu só tenho uma palavra para descrever esse livro: intenso. Sabe aquele ditado “filho de peixe peixinho é”? Então, esse livro tem uma relação com esse ditado, uma relação tão direta que chega a ser assustadora, e nossa protagonista veio provar isso. Annie mora com sua mãe, mas ela não teve uma infância comum, o que é uma pena para ela, durante toda infância ela via crianças indo para o porão de sua casa e nunca voltando, além de sofrer abusos tanto físicos quanto psicológicos, sua mãe sempre quis mostrar a sua psicopatia para ela de maneira muito crua, sem pensar nos efeitos e sequelas que isso poderia causar.


Certo dia ela decide ir até a polícia e denunciar a mãe, mas se você está achando que foi uma decisão fácil para Annie você está extremamente errado, pois mesmo a mãe fazendo tantas coisas ruins, ainda é a mãe dela, correto? Dificilmente você consegue se desassociar desse sentimento tão forte que a maternidade te faz sentir, ainda assim, mesmo sentindo um amor enorme pela mãe, ela sabe que o correto é denunciar, essa situação não é normal e sua mãe além de criminosa é doente, alguém precisa parar isso.


Quando a polícia chega na casa de Annie no meio da noite para buscar sua mãe, a garota se vê em um misto de sentimentos, não sabe se fez a coisa certa, se arrepende, sente alívio, como culpá-la por sentir tudo isso? Era sua mãe sendo presa, a mulher responsável pela sua criação. Depois da denúncia sua vida muda totalmente ela é treinada por um grupo de especialistas para ser inserida em uma nova família, então ganha um novo nome, Milly. Mas entrar do nada em uma nova família, com pessoas que você não conhece, viver uma vida que não é a sua, frequentar uma nova escola e ter uma irmã não é nada fácil.


Foi Mike que a levou para sua casa, ele é psicólogo e sempre levava adolescentes “problemáticos” para passar o tempo que for preciso em sua casa, sua esposa é muito compreensiva com isso, mas sua filha, Phoebe, não aceita bem esses jovens que vem morar em sua casa. Durante esse tempo que Annie fica na casa de Mike ela precisa ensaiar para o julgamento de sua mãe, no qual ela terá que depor, e também precisa retornar ao ambiente escolar, o que se torna um pesadelo, mais um no caso de Annie, as meninas fazem brincadeiras idiotas com ela e não a deixam em paz.

Juntamente com tudo isso que não vai bem em sua vida ela trava uma luta diária com sigo mesma, vocês lembram do ditado? (filho de peixe peixinho é) Então, Annie é assombrada com pensamentos ruins, que talvez ela seja igual sua mãe, que a qualquer momento ela vai começar a matar crianças e colocá-las no porão. Esse sentimento vai ficando cada vez mais forte com a chegada do julgamento, tanto que ela tem a opção de testemunhas por vídeo, mas ela não quer, Annie sente saudades da mãe, ela quer vê-la, mas o medo do que pode acontecer quando esse encontro ocorrer a aterroriza e a ideia de ser como sua mãe tira seu sono.

Esse livro é um jogo psicológico muito bem elaborado, tudo gira em torno da mente dos personagens, da possibilidade de Annie ser igualmente doente, do medo que assombra, das lembranças. Eu gostei muito de como isso foi explorado, por mais que não seja um livro de grandes acontecimentos, grandes situações ou ambientes que sejam bem elaborados, a autora provou que não precisou de muito para criar uma grande obra, o grande plano central e o que move a história é a cabecinha de nossa personagem, o que os traumas de sua infância causaram e a grande dúvida, Annie é uma cópia da mãe? Ela é forte o suficiente para ter as rédeas de sua mente? São muitas perguntas, uma narrativa estarrecedora e que quebra qualquer linha de pensamento, você sente raiva, desconfiança, pena, mas você não tem certeza de nada.

Esse livro é ÓTIMO, sem mais questionamentos. Vocês precisam ler, a narrativa é intensa, eu fiquei “AAAA o que vai acontecer??” o livro todo. Essa capa é maravilhosa e passa os sentimentos exatos que essa história causa, medo, desconfiança, beleza, infância? É muita coisa pra absorver, muitas perguntas mas ao final só uma importa: será que Annie é uma menina boa ou uma menina má? 
"Achei que você seria menos dona de mim depois que eu a entregasse, mas às vezes tenho a sensação que é ainda mais”



Título: Menina Boa Menina Má
Autora: Ali Land
Editora: Record
Nº de Páginas: 376
Sinopse: "Os corações das crianças pequenas são órgãos delicados. Um começo cruel neste mundo pode moldá-los de maneiras estranhas Nome novo. Família nova. Eu. Nova. Em folha. A mãe de Annie é uma assassina em série. Um dia, Annie a denuncia para a polícia e ela é presa. Mas longe dos olhos não é longe da cabeça. Os segredos de seu passado não a deixam dormir, mesmo Annie fazendo parte agora de uma nova família e atendendo por um novo nome — Milly. Enquanto um grupo de especialistas prepara Milly para enfrentar a mãe no tribunal, ela precisa confrontar seu passado. E recomeçar. Com certeza, a partir de agora vai poder ser quem quiser... Mas a mãe de Milly é uma assassina em série. E quem sai aos seus não degenera..."*Exemplar cedido em parceria com a editora.

33 comentários:

  1. Ainda não conhecia o livro, mas amo thriller, então já fiquei animada. Ainda mais por saber dessa propensão de Annie a coisas ruins e por amar jogos psicológicos. Quero ler, só pra saber se a menina é igual a mãe.

    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Cami, tenho certeza que você vai amar essa leitura, flui de maneira unica.

      Excluir
  2. OLá!! :)

    Eu confesso que ja ouvi falar imensas vezes neste livro e que ate tenho vontade de o ler em breve...!

    Enfim, que otimo que gostaste asism tanto e que achaste que o jogo psicologico foi assim tao bem elaborado!

    Boas leituras!! ;)
    no-conforto-dos-livros.webnode.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, essas questões psicológicas de fato são muito bem elaboradas, vale a pena ler.

      Excluir
  3. Nossa, é um livro bem psicológico mesmo,mas sabe que li um livro um tempo atrás que existe uma doença que faz com que as mães mantenham os filhos doentes para que eles não possam sair de perto delas. Foi bem impactante para mim ler aquele livro. E acho que cada momento que passa entendo mais as situações de criação.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Greice, acho que conheço alguns livros que abordam o assunto que voce mencionou, é algo muito interessante também, a criação envolve muita coisa.

      Excluir
  4. Não conhecia o livro, a capa é bem intrigante e a premissa do livro e interessante pra quem curte o gênero.
    Sinto na vibe de leituras maisnleves, mais tranquilas, então este com certeza não é algo que eu pegaria por agora, tô fingindo de intensidade, está
    Sua resenha passa a impressão clara pro leitor do quanto o livro segurou você, e isso é legal da gente ler numa critica, parabéns.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie, é realmente muito intrigante. Espero que você dê uma chance futuramente.

      Excluir
  5. Tudo bem? Li esse livro assim que lançou e adorei. Esse é o tipo de livro que me prende. Costumo ler muito livros que abordam alguma patologia, distúrbio ou a mente humana após traumas, privações e afins.
    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sério Ka? Fico feliz que pra você a leitura tenha sido tão boa também.

      Excluir
  6. Olá, tudo bem? Ah que bafo! Não conhecia o livro, nem esse ar de mistério todo envolta dele, por isso fiquei curiosíssima! Sua resenha está maravilhosa, e ela me instigou a querê-lo agora haha. Enredos de jogos psicológicos sempre são ótimos para nos fazer pensar além da caixinha. Dica anotada!
    Beijos,
    http://diariasleituras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ana, pois é, baita livrão! Eu acho essas questoes muito boas e certamente rendem boas histórias.

      Excluir
  7. Olá

    Annie parece ser aterrorizante,mas dificilmente crianças que vivem em ambientes não saudáveis não seguirão o mesmo molde, porque somos frutos do meio que vivemos e sem a influência de alguém que nos oriente para boas prática fica praticamente impossível.

    Já quero ler essa obra.

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Joanice, acho que pra além disso, o que mais se firmam são os traumas por conta dessas situações ne? Muito complicado.

      Excluir
  8. Eu sou completamente fascinada por thriller psicológico e estou louca para ler esse. Adorei poder conferir a tua opinião sobre a leitura e acho que vou gostar bastante quanto eu comprar. Eu adorei ver um pouco mais sobre a trama, fiquei ainda mais curiosa.

    ResponderExcluir
  9. Oie, bom dia!

    Me interessei bastante por esse livro, principalmente por ter essa pegada que, como você diz, faz com que você não saiba o que está acontecendo porque sempre tem alguma coisa e não consegue parar de ler. Estou sentindo falta de uma leitura assim, com certeza vou querer ler.

    Beijos e parabéns pela resenha!

    ResponderExcluir
  10. Estou louca para ler esse livro, de tantos elogios que tenho escutado sobre ele.

    A sua resenha aumentou demais a minha vontade em ler e conhecer o desfecho dessa história!

    ResponderExcluir
  11. Oi Day, tudo bem? Como faz muito tempo que eu não visito o seu blog, tenho que dizer que estou muito feliz em ver a nova "cara" que ele ganhou, está tudo muito lindo. Esse é um dos livros que está na minha lista de desejados, porque tenho lido resenhas incríveis sobre ele, mesmo sabendo que somos pessoas diferentes com opiniões diferentes.

    Se eu tinha alguma dúvida de comprar esse livro (por causa do preço, é claro) antes de ler a sua resenha, agora está mais do que claro que eu preciso lê-lo urgentemente!
    Beijos e Abraços Vivi
    Resenhas da Viviane

    ResponderExcluir
  12. Olá!
    Nossa concordo plenamente contigo, não é um livro cheio de acontecimentos, e cheio de ação. Mas a autora soube muito bem trazer uma trama que joga com a gente o tempo todo, psicologicamente. É uma trama que prende justamente porque a gente fica se perguntando se ela se tornara uma pessoa ruim como a mãe e é simplesmente sensacional essa forma de prender o leitor.

    ResponderExcluir
  13. Oi.

    Eu já tinha visto outras resenhas que também falavam da qualidade da narrativa. Ainda não tive a chance de ler o livro, mas desde o ano passado que eke está na minha lista de leituras.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  14. Olá!
    Eu fiquei louca com a narrativa desse livro. Achei perfeito e o final não deixou a desejar em nada.
    Maravilhoso! Um dos melhores que li em 2018.
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  15. Eu estou louca pra ler este livro, acho que vou comprar assim que receber. E adorei o seu texto, me fez ter uma ideia melhor do que se trata, eu ouvia falar bem do livro mas sem ter muita dimensão do que era.

    Bjus, Mirian (Castelo do imaginário.)

    ResponderExcluir
  16. Eu estou bem curiosa pra ler este livro porque eu só ouço elogios para ele. Quero muito mergulhar na trama e ver se saco o final antes do tempo.
    Beijos

    ResponderExcluir
  17. Desde que eu li a primeira resenha desse livro percebi que era uma daquelas leituras que você não pode mais largar e é tipo: UAU! estou louca para ler, espero poder fazer isso logo, não me aguento mais de curiosidade.
    beijos

    ResponderExcluir
  18. Olá, tudo bem Dayahara?

    Eu recebi esse livro do Grupo Editorial Record e posso dizer tranquilamente que trata-se de uma ótima leitura e gostei muito do livro. Parabéns pela resenha, ficou muito boa e gostei de conferir a sua impressão.
    Abraço!

    ResponderExcluir
  19. Depois de ler a sua resenha a primeira coisa que veio na minha mente: será que Annie se tornou a cópia da mãe?. Achei uma história muito intrigante, admito. Imagina o quanto deve ser complicado parauma filha ver a sua mãe fazendo as coisas que fez e a própria mãe querendo mostrar para ela que é normal?. Fiquei muito ansiosa para saber o final desse livro. Achei a capa sensacional e sua resenha muito instigante.
    Beijos

    ResponderExcluir
  20. Como assim não conhecia esse livro? O.o, Amo Thrillers e esse somente pela premissa me deixou bem curiosa. Amo livros que me faça questionar e que consiga mexer com minha mente, esse já anotei, amei sua resenha e obrigada por me apresentar mais um Thriller hahaha

    ResponderExcluir
  21. Oi, tudo bem?
    Eu recebi esse livro e acho a capa uma das mais lindas da minha estante, mas até agora não tive curiosidade com a história, sabe? Mas agora lendo sua resenha fiquei bem curiosa com a trama, parece ser uma obra envolvente e muito bem construída. Enfim, acho que vou colocar esse livro na frente das minhas próximas leituras.

    Beijos :*

    ResponderExcluir
  22. Eu amo suspenses psicológicos!! Já fiquei super interessada pelo livro, só pelo título. Estou muito curiosa com todos os fatos, sobre a mãe, como será desenvolvido toda a trama em volta do que a filha sente e tal. Muito interessante mesmo. Dica super anotada!

    Traveling Between Pages

    ResponderExcluir
  23. Olá Isa!!!
    Acho que o livro vai para uma vibe tanto de suspense quanto de thriller psicológico e meio que sempre fomos ensinados que somos um pouco do que nossos pais são de fato, então entendo a perturbação da personagem.
    Agora fico me perguntando se essa filha desse psicólogo não vai aprontar nada que possa dar em algo ruim para a protagonista.
    Adorei a capa do livro e o título do mesmo.

    lereliterario.blogspot.com

    ResponderExcluir

Todos os direitos reservados 2019 |
Desenvolvimento por: Suelen Marques - Web Design
Para o topo!