Posts Recentes

RESENHA Sorrisos Quebrados

22 de abril de 2019

Hoje a resenha vem em tom bastante sentimental, Sorrisos Quebrados é uma obra que eu namorei por muito tempo e estava só esperando por uma boa promoção para poder adquirir, assim que chegou já deixei que a obra furasse a fila e foi a melhor decisão que eu poderia tomar, li a história em um dia e me emocionei muito, Sorrisos Quebrados de certa forma acaba trazendo uma bela história sobre se permitir para o amor, depois de tudo, e além do mais nos alerta sobre relacionamento abusivo e violência doméstica.
"Não existe nada pior do que tentar salvar alguém e terminar soterrado."
Paola viveu um relacionamento absurdamente abusivo, para qualquer pessoa de fora, tudo parecia lindo, ela e seu marido aparentavam ser um casal bastante feliz e com planos lindos, mas sozinhos a coisa mudava de figura, ela apanhava de seu marido e vivia com medo, morava em um verdadeiro inferno e lidar com o seu companheiro era como pisar em ovos, não era possível saber quando viria a próxima surra. Cansada disso, Paola resolve ir embora desse casamento e paga o preço mais alto, o casamento acaba, mas sua vida também, não irei contar aqui o que realmente aconteceu porque acredito que irá atrapalhar a experiência de leitura de vocês, mas o que posso dizer é que Paola fica com marcas visíveis por todo o corpo, é como se ela tivesse sido destruída não só mentalmente como fisicamente, depois disso ela resolve se estabelecer em uma clínica não só para fugir do mundo como também para tentar ficar bem, após um trauma tão grande. Ela vive feliz da melhor maneira que pode, bastante isolada de todos e tenta passar o tempo pintando, porque é isso que lhe deixa bem. Afinal, após o relacionamento absurdamente agressivo e a experiência traumatizante, Paola não tem a intenção de voltar a se relacionar com nenhum homem porque o que jurou lhe amar, quase a matou, mas tudo muda de figura quando rapaz surge do nada, invadindo o seu espaço enquanto ela pinta, e Paola simplesmente desmaia, por medo de um homem tão grande machucá-la novamente.


André é voluntário na clínica que Paola mora mas ele nunca a viu porque a moça reside em uma área mais afastada(justamente pela sua intenção de se afastar de todos), até que algo chama a atenção do rapaz e ele fica hipnotizado por ver aquela mulher consumindo a arte ao extremo, ele só não esperava que a reação dela fosse tão estranha, um desmaio, a partir disso, tanto André quanto Paola vão reconsiderar os seus caminhos, enfrentar seus empecilhos e quem sabe, se permitir amar novamente.

A real é que eu não esperava que Sorrisos Quebrados fosse um livro tão forte, logo nas primeiras páginas eu já me via chorando, pensando em como um relacionamento mina qualquer autonomia feminina e faz parecer que não há mais saída, me emocionei demais com as cenas de violência porque a autora foi bastante real e crua nessas descrições, foi doloroso porque me senti impotente. Após esse episódio Paola decide se afastar de todos e viver isolada em uma clínica, pintando e mais nada, ela se sente segura nesse ambiente até encontrar André. Eu realmente entendo o medo dela, ele é um homem imenso fisicamente do tipo que você vê e não imagina que seja muito delicado, mas isso logo muda de figura quando você passa a conhecê-lo melhor, ele é um homem bastante doce e apaixonado pela sua filha Sol, ela é uma garotinha que apesar da pouca idade já sofreu muito na vida e também carrega seus traumas, não consegue ter amigos por conta das suas condições também, sente medo de tudo mas com Paola… Ela desabrocha feito uma flor, é aí que a autora me pegou de jeito! Esse amor todo entre Paola e André não seria possível se não fosse por Sol, ela é uma garota doce, bastante inteligente e que é colocada como o elo de ligação entre os dois, é por Sol que André vive e faz tudo, é por Sol que Paola se permite recomeçar também.

Como Sol faz acompanhamento na mesma clínica que a protagonista, depois que as duas passam a se conhecer, a amizade e os encontros se tornam mais frequentes, consequentemente André passa a ver Paola também e a atração logo surge. Paola não é o padrão de protagonista esperado, ela passou por situações adversas e que mexeram com sua auto estima porque seu físico foi abalado, metade do rosto dela foi destruído, as cicatrizes não são nada bonitas, mas André não parece se importar com isso, ele só vê a mulher que é bondosa com sua filha, que não mede esforços para agradar sua pequena, para André, Paola é a beleza em vida, ele só precisa fazer com que ela acredite nisso também. É óbvio que depois de tudo, Paola não quer repetir os erros e nem voltar a amar, a última vez que ela se entregou para alguém ela quase morreu, isso não vai acontecer novamente, mas André parece um pai tão bom, um homem tão amável e protetor Por que não se permitir ser feliz de verdade?


Como esse é um livro bastante curto, quando as coisas começam a acontecer, tudo logo ganha grandes proporções e sinceramente eu amo isso, nada de enrolação, tudo muito direto ao ponto, sendo assim, o que começa com um beijo logo se torna uma faísca, tanto André quanto Paola colocam na cabeça que será só algo carnal, porque ambos já se machucaram demais e não precisam sofrer por amor outra vez, cá entre nós, quem acredita nisso? São dois protagonistas muito machucados pela vida, que não mereciam nada do que aconteceu em seus caminhos mas que se tornaram sobreviventes, os dois carregam uma carga emocional que pesa o coração e a leitura, mas que torna bastante claro como são merecedores de um amor de verdade, que os coloquem em primeiro plano e que façam ver como amar pode ser bom. A relação entre eles vai acontecendo, muitas vezes numa intensidade maravilhosa, mas que fazem os dois sentirem um medo absurdo de como as coisas caminham. Eu me vi irritada em alguns momentos com a postura de Paola, ela fugindo o tempo todo, negando as coisas, mas quem sou eu para julgar? Nunca passei por uma experiência de relacionamento abusivo e muito menos de violência, não posso mensurar como isso fica marcado na mente de uma mulher, todo o seu medo e sua negação são justificáveis por tudo que ela passou, assim como o medo de André em se permitir amar, estava bem claro desde o início que era amor, só faltavam ambos assumirem… Hahaha. Essa foi uma leitura bastante agradável principalmente por Sol, uma garotinha esperta e que acabou ganhando muito espaço na narrativa, além disso, a autora conduz a história de maneira muito dinâmica então você nunca fica entediado ou acha que as coisas acontecem de maneira lenta demais, quando começa, você não dá conta de parar. A capa é bastante condizente com o enredo porque a história em si é permeada por tintas e pinturas lindas, o nome Sorrisos Quebrados é uma metáfora que quando finalmente entendi o significado me quebrou de jeito, essa é uma história forte, sobre uma mulher sobrevivente e que precisa restaurar o seu amor por si mesma para poder voltar a confiar no mundo. Um livro doce, apaixonante e muito tocante, a recomendação é mais do que obrigatória porque acredito que seja uma obra que todos no mundo deveriam ler.






Título: Sorrisos Quebrados
Autora: Sofia Silva
Editora: Valentina
Nº de Páginas: 232
Sinopse: "Sorrisos Quebrados gira em torno de três personagens: a jovem Paola, a pequena Sol e seu pai, André. Os três são vítimas de violências distintas, que deixaram marcas profundas em cada um. Trata-se de uma história de superação de dores, magia, estrelas e de como importantes laços humanos podem se formar a partir da autoaceitação, da arte e da tolerância no cotidiano."
Todos os direitos reservados 2019 |
Desenvolvimento por: Suelen Marques - Web Design
Para o topo!