Posts Recentes

RESENHA 36 Perguntas que mudaram o que sinto por você

22 de julho de 2019


Tem dias que tudo que a gente precisa é um livro simples, com enredo leve e bastante divertido, mas que de algum modo insere um questionamento em sua vivência. Assim que recebi esse livro da editora me animei, principalmente por conta da proposta dele, afinal, o amor pode ser induzido? Existe alguma fórmula perfeita, ou algum conjunto de perguntas que pode ser suficiente para fazer com que outra pessoa se apaixone por você? A obra de Vicki Grant é baseada em um estudo científico da área de psicologia bastante interessante, de forma romanceada vamos entender como esse questionamento, pautado em pesquisas, poderia acontecer.


Nessa história vamos conhecer ambos os personagens de maneira bastante divertida, Hildy é o clichê ambulante dos livros, faz parte de uma família perfeita(pelo menos é a ideia que as pessoas tem dela), bonita, romântica, com gostos clichês e com a perspectiva de uma garota romântica, ela é a típica mocinha dos romances, um doce. Ela resolve participar desse estudo porque quer se envolver em outras coisas além dos problemas de família, e porque realmente acredita no amor. Já Paul, é o típico bad boy, ele participa desse estudo porque precisa do dinheiro, é um jovem bonito, com ar de galã mas que não acredita no amor, pois amor não paga as contas, não salva, ele acredita fielmente que no final das contas todos estamos sozinhos.

Pois bem, eles são dois estranhos, unidos apenas pelo interesse da ciência, se chamam por nomes fictícios e respondem tudo de modo bastante mecânico, Paul acha essa situação toda uma grande piada e só segue nessa pelos quarenta dólares que será disponibilizado, esse jeito dele acaba irritando Hildy, ela deixa a sala de modo bastante abrupto e não termina de responder as perguntas, mas Paul é um garoto persistente, ele quer os quarenta dólares a qualquer custo e encontra a garota nas redes sociais, o resultado? Diálogos que acontecem em grande parte online, mas que são fofos e sinceros, os protagonistas por mais opostos que sejam, se completam de modo que um se torna o alicerce do outro. Enquanto Hildy é nerdzona destrambelhada, toda romântica e passa a ideia de fazer parte de uma família de comercial de margarina, Paul é um jovem sozinho, que não sabe o que é amor porque sempre perdeu tudo, a vida não sorriu muitas vezes para ele, mas dessa vez a coisa será diferente. Ambos decidem que vão terminar de responder essas perguntas a qualquer custo, não somente pelo dinheiro, mas por uma questão de finalidade mesmo, e graças a isso vamos descobrir os nuances mais interessantes de cada um desses personagens.


Inicialmente achei Hildy uma garota mega espalhafatosa e exagerada, sempre ocupando todos os espaços e tudo mais, mas as poucos vi que era só um conceito bobo, criado pela cena inicial, ela não é essa garotinha perfeita que todo mundo julga, muito pelo contrário, sua vida é um caos, já Paul, foi amor desde o início, ele é bastante literal com tudo, tem esse ar de bad boy mas no fundo é um amorzinho, quando a protagonista precisa, ele oferece colo e isso é fofo demais, os dois tem pontos de vista muito diferentes sobre muitas coisas, mas isso em momento algum se torna um empecilho, cada qual ao seu modo, defende as coisas que acredita, seguem seus ideais mas nem por isso resolvem se afastar. Eu aprendi muito com a mocinha, não esperava nada disso mas simplesmente aconteceu, as respostas dela... São sensacionais, quando ela diz que o que mais ama nas pessoas é o modo como elas lhes proporcionam perspectiva... Isso me pareceu tão natural e sincero, eu aprendi com ela, e tenho certeza que Paul também.

A obra é muito curtinha, tem seus pontos altos que geralmente envolvem uma situação engraçada, como por exemplo um peixe voando na cara de alguém ou algo assim, foi uma leitura rápida, feita em um dia só, mas que me deixou leve e com o coração quentinho. Não necessariamente é uma obra bem fundamentada, com tudo bem explicadinho, como o final, mas acho que a intenção da autora foi mostrar como o diálogo é a chave para o amor, o que muda o que sentimos pelas pessoas não são as perguntas, mas sim as respostas e a maneira que lidamos com isso.



Título: 36 Perguntas que mudaram o que sinto por você
Autora: Vicki Grant
Editora: Galera Record
Nº de Páginas: 252
Sinopse: "Hildy e Paul têm as próprias razões para participar de um estudo do departamento de psicologia da universidade local que tem o intuito de “facilitar uma proximidade pessoal e, talvez, resultar em um relacionamento”. O experimento consiste em 36 perguntas, algumas inofensivas, como Quando foi a última vez que cantou sozinho?; outras nem tanto, como Qual sua mais terrível memória? As questões ajudam os dois a desnudar para o outro — e para si mesmos — sentimentos muitas vezes reprimidos. Segredos são revelados; vulnerabilidades, expostas. Hildy e Paul chegam ao fim do questionário entre risos e lágrimas, e baiacus voadores! Mas a pergunta mais importante permanece: eles se apaixonaram?"*Exemplar cedido em parceria com a editora. 
Todos os direitos reservados 2019 |
Desenvolvimento por: Suelen Marques - Web Design
Para o topo!